Com myPad, Semp Toshiba entra no jogo dos tablets

C

A Semp Toshiba é a mais nova fabricante a apostar nos tablets com sistema operacional Android. A empresa anunciou hoje que vai lançar o modelo myPad MP 1003G ainda este mês.

Especificações oficiais: tela de 10,1″ (1024 x 600), processador Nvidia Tegra 2 (dual core, 1 GHz), 512 MB de RAM, portas USB e HDMI, Wi-Fi (3G opcional), Bluetooth, câmera VGA frontal, slot microSD (até 32 GB), alto-falantes estéreo e Android 2.2 (!).

O preço sugerido do myPad é de R$ 1.399 na versão Wi-Fi/R$ 1.699 para o 3G, à venda ainda neste mês, diz a empresa. A Semp Toshiba diz que já vendeu 6 mil unidades do produto customizado para alunos da Universidade Estácio de Sá, e alunos de alguns cursos no Rio de Janeiro e São Paulo terão acesso ao dispositivo no segundo semestre.

Mas, mas, mas, se sair a tal redução de impostos dos tablets, a STI estima que o myPad pode ficar com preço em torno (ou até mesmo abaixo) dos R$ 1.000. A conferir.

Em tempo: a Semp Toshiba vai vender o tablet sem Android Market instalado (!) e virá com uma loja de aplicativos da própria fabricante. A empresa diz que isso é uma decisão do Google, já que o myPad não tem recursos de telefonia, só dados (diferente do Samsung Galaxy Tab original, também com Android “de smartphone”, que funciona como um telefone gigante).


A companhia avalia um upgrade para Android 2.3, mas diz que o hardware não é compatível com Android 3.0, usado em tablets mais modernos de concorrentes, como Motorola Xoom, Asus Eee Pad Transformer e Samsung Galaxy Tab 10,1. Esses aparelhos têm configurações similares, mas já com Android 3.0, pronto para tablets. Pelo menos o botão de liga/desliga fica na parte superior do aparelho.

Este ZTOP recomenda cautela na compra de qualquer tablet hoje (ou comprar um iPad 2 nos Estados Unidos, se der/o bolso permitir). A adoção do Android 2.2 pela Semp Toshiba abre espaço para mais aplicativos de smartphone na tela grande (e sem acesso aos poucos, mas crescentes, apps feitos especificamente para tablets Android, já que só rodam nos aparelhos com Honeycomb). E a espera vale também para o bolso: se realmente o governo federal isentar os tablets de alguns impostos, todos os aparelhos – dos mais simples aos topo de linha –  vão ficar mais baratos.

Em tempo: a Semp Toshiba também terá um smartphone com Android 2.2 também – sem preço ou data de lançamento definidos:

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

<span class="dsq-postid" data-dsqidentifier="39120 http://ztop.com.br/?p=39120">comentários</span>

  • Está com um preço mais em conta. Porém, não vem com o Android 3.0 e a memória ram poderia ser de 1 Gb…

    • Preço mais em conta? R$ 1.399,00 por um Tablet com android 2.2, 512MB RAM e sem armazenamento interno?
      iPad Wifi 16GB por R$ 1399,00, iPad Wifi 64GB por R$ 1799,00, XOOM WIFI 32GB por R$ 1899,00 – Todos na FNAC!

      Fora o nome, me lembra os famosos HiPhones…#fail

  • Muito semellhante (igual?) aos modelos chineses que custam menos de 300 dólares. Tem gente que compra, mas é muito caro.

    Além disso, poderiam ter colocado pelo menos o Android 2.3.

  • O que mais me surpreende é que alguém foi pago para desenvolver esse projeto e achou uma boa lançá-lo desse jeito.
    Chuto que vá vender umas 700 unidades "porque faz tudo que o iPad faz, e é mais barato", mas duvido que os compradores dele voltem a algum tablet depois e especialmente que voltem à Semp Toshiba.

  • As fabricantes de hardware deveriam dispensar parte do investimento dos seus equipamentos para ouvir o consumidor, ou então pegar os caras do setor de P&D e botar eles pra acessar alguns fóruns e blogs pra que vejam estes comentários e no mínimo se envergonhem de suas criações. Eu não entendo porque gastar tanto recurso em algo que o consumidor não quer comprar. Muita gente vai usar um tablet muito em breve, mas com certeza vai ser um onde os recursos ao menos superem ou sejam equivalentes aos de um netbook.

    • Meu caro, acha que é simples assim? Eu trabalho com desenvolvimento de tablets, e acha que a empresa quer ouvir o que nós, que trabalharmos no desenvolvimento, temos a dizer? Acha que a culpa é nossa, que o requisito vem da gente? Infelizmente, está longe de ser assim, isso vem de cima. Se a maioria dos tablets aí é uma vergonha, como o pessoal vem dizendo, posso garantir que a vergonha não é dos devs. Aliás, vocês têm noção de como é difícil implementar, testar e estabilizar um tablet? Com certeza, não. Então não venha falar besteira, procure se informar primeiro. Pois trabalho com tablets tb (não esse da Semp Toshiba) e independente do produto final, tenho orgulho do que estamos fazendo, e não vergonha. Concordo apenas com a parte de que todas as empresas deveriam ouvir mais os consumidores para evitar produtos que não refletem a demanda.

  • Resta saber quem vai processar a Semp Toshiba primeiro pelos direitos do nome MyPad: a Apple ou a Xing Ling Electronics.

  • O myPad é um OEM do Shuttle P10AN01, que saiu na CES em janeiro, um hands-on em http://www.netbooknews.com/17685/shuttle-p10an01-

    Não consegui identificar o fornecedor da loja de aplicativos pelo screenshot; não parece ser o AppsLib, que seria a escolha natural para um tablet sem o Market pelo esforço da Archos de montar uma loja de aplicativos para tablets que não rodam Honeycomb. Parece o SlideME, mas sem fuçar não tem como descobrir.

  • O modelo Wi-fi é barato, mas no meu smartphone, com android 1.5, uso bastante o Android Market… (Epic Fail)&sup2;…

  • Louvável seja a decisão de mostrar a foto do aparelho depois de uso (morra black piano!).
    Lamentável pegarem um belo processador, quase a especificação referência do Honeycomb, e limitarem ao 2.2.
    Pra completar sequer divulgaram a versão da arquitetura da cpu no smartphone (ARM11, Cortex A8)… Pela cara, vai ser mais um Galaxy 5/ZTE Racer da vida.

  • Qual a diferença da Semp Toshiba Brasileira da Toshiba lá fora? Pois lá fora eles irão lançar um tablet bem superior com Android 3.0.

    • geovane, a Semp Toshiba é uma empresa criada entre a SEMP brasileira com a Toshiba japonesa. Mas isso não significa que a Semp Toshiba tenha que lançar todos os produtos da irmã japonesa – a linha de informática, incluindo o tablet, leva a marca STI, e nenhum produto dessa linha tem marca Toshiba.

  • A iniciativa foi boa mas neste preço, não rola. Dá pra comprar um iPad 1 na Fnac por esse valor. Se o preço fosse algo próximo a 899, 799, seria matador.

  • Concordo que o custo-benefício é desproporcional, um tablet não é um notebook, não devem ter o mesmo preço… Acho o MYPAD muito caro, principalmente por ter um processador que vai ser limitado pela versão inferior do sistema operacional….

  • Pior que os concorrentes e um pouco mais barato. Conclusão: típico produto criado para licitações públicas….

  • vou só dar uma dica: esse tablet é EXATAMENTE o mesmo modelo do Advent Vega ou Point Of View Mobii

    ou seja, funciona cyanogem mod 7 (nightlies), e o beta VegaComb ( Honeycomb)

    Eu tenho o Advent Vega, e roda honeycomb LISO, mesmo em estágio beta está perfeito

  • na verdade gostaria de saber se alguem tem informação de como instalar uma internet 3g no tablet sti, como consigo um aplicativo que permita tal funçao? já procurei no site da Semp toshiba mais não descobri nada.

  • eu comprei um my pad, alguem sabe se ha possibilidade de instalar o market nele??

    • 899 o de 10.1 com 2.3 na FNAC (loja física)

      merece o investimento? (pra rodar mods de versões mais atuais do android, e que tenham market)

  • comprei um modelo top, é uma merda, não recomendo, comprem um ipad ou ipad 2, não é mt mais caro e vale mt mais a pena, ou algum motorola, sansung, enfim algum concorrente…

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos