ZTOP+ZUMO

Com a chegada do Tizen, comunidade Meego pode voltar para Mer

Desenvolvedor propõem volta as origens e reviver o projeto Maemo Reconstructed, o precursor do Meego.

A vida não está fácil para os fãs de sistemas móveis de código aberto: o Android torna-se cada vez menos aberto, a HP acabou com sua linha de produtos com WebOS, o Symbian deixou de ser uma fundação e volta a ser um produto da Nokia Accenture, e mais recentemente, a Intel anunciou seu apoio ao Tizen, deixando a comunidade do Meego a ver navios.

Numa mensagem postada na Internet, Carsten Munk propõe que a comunidade de Maemo/Meego se una sob uma nova bandeira que transcenda marcas e nomes bonitos como MeeGo, Maemo, Moblin e agora Tizen. De fato o que ele propõe é uma espécie de volta às origens e reviver o projeto Mer — diminutivo carinhoso de  Maemo Reconstructed — que nasceu com a idéia de recriar/reconstruir o Maemo na forma de uma plataforma aberta e que de um certo modo foi o ponto de partida do Meego.

Munk explica que entre as opções disponíveis para a comunidade Maemo/Meego — entre elas a de abraçar o Tizen e acreditar que “dessa vez vai dar certo” — a opção pelo Mer pode ser a melhor no sentido de criar um ambiente operacional realmente aberto e administrado abertamente por meio de um sistema baseado em meritocracia.

Fora isso, o foco desse produto estaria nos fabricantes de dispositivos e não no usuário final, o que significa facilitar a vida daqueles interessados em desenvolver produtos baseados na plataforma Mer, com uma arquitetura orientada para o dispositivo além de ser aberta para incorporar as diversas tecnologias disponíveis no mercado como MeeGo, Tizen, Qt, EFL, HTML5,etc.

Além disso, Munk deixa claro que essa iniciativa não é um movimento anti-Tizen ou anti-Intel, de modo que ele apoia qualquer iniciativa de colaboração do Mer  tanto com a Tizen quanto a Intel.

Para mais detalhes recomendamos a leitura de seu longo post e acompanhar o desenrolar dessa história no seu blog.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Ismael 07/10/2011, 00:55

    Eu espero que prospere.

    O raciocínio feito no artigo é muito pertinente. Projetos que são controlados por empresas tendem a ficarem sujeitos ao humor dos acionistas e CEOs que por sua vez são influenciados fortemente pelos pontos da NASDAQ.

    Não se trata de nenhum discurso anti-capitalista, e sim de foco. Para mim, o ideal são projetos de comunidades com apoio(não controle) de empresas.

    Exemplo disso pode ser tirado de algo mais próximo. Uma Cooperativa de Suinocultores vai cuidar da criação de porcos e derivados por toda sua existência.

    Enquanto isso, uma empresa que venda presunto, por mais tradicional que seja, pode descobrir que os clientes aceitam presunto de frango e que vale mais a pena. Ou mesmo que com o know how do tratamento de dejetos dos porcos pode investir na produção de banheiros químicos para as futuras colônias da Lua.

    Todos são negócios válidos, mas prefiro ter a estabilidade de investir meu tempo (doado) em algo que sei o objetivo.

    • Guilherme Mac 07/10/2011, 14:13

      Isso vc tem razão. Projetos dominados por empresas podem se tornarem instáveis a qualquer momento. Veja o Solaris. A Sun abriu para tornar o Solaris melhor. Eles conseguiram tornar o ciclo de desenvolvimento incrivelmente mais rápido. Mas com a Oracle as coisas mudaram do dia pra noite.
      Um bom exemplo de projeto comandando por uma entidade sem fins lucrativos, que gera lucro como consequência, é o próprio projeto Linux. A Fundação Linux comanda e as garras das grandes empresas não conseguem fazer "joguinhos" com o projeto, pois o interesse coletivo de quem está no projeto é preservado por força normativa.

  • Rodrigo Martins 07/10/2011, 10:14

    No pun intended…or is it?

    • mnagano 07/10/2011, 12:17

      Como já disse um notório político local: “Eu não diria que sim nem diria que não, muito pelo contrário…”

  • Adriano Lima 07/10/2011, 13:47

    Realmente um projeto mantido por uma fundação é muito mais estável do que os projetos mantidos por uma pessoa ou empresa, veja o caso do ReiserFS e o Postgre.

    • Adrianodl 08/10/2011, 17:39

      Poxa riparam meu mal trocadilho…….

  • Guilherme Mac 07/10/2011, 14:15

    Tizen é compatível com o MeeGo, e o MeeGo está consegue rodar programas do Android. Mer teria tbm essas mesmas vantagens?

    • Adrianodl 08/10/2011, 17:41

      Boa pergunta, o projeto Meego não é todo aberto, então por que ir pra Mer?
      Há partes do Meego fechadas pra justificar o fork ou a volta de um projeto anterior e possivelmente desatualizado?

  • dflopes 08/10/2011, 16:40

    se eles fizessem uma rom customizada do MER, que pudesse ser instalado em smartphones de ponta (Google Nexus, Galaxy S II HTC HD2, Google Prime ou Milestone, p.ex) daria uma grande visibilidade ao projeto.

    Se aina tivesse uma volta as origens, com a possibilidade de instalar no n900, seria incrivel. Pedir tb pro n8x0 seria abuso.

  • sidney 09/10/2011, 12:55

    isso me interessa, principalmente se der para adaptar ao n810.. de preferencia sem precisar de room rodando a aprtir de cartão de memória e sim uma instlação full via computador como a autalização de firmware do maemo fornecida pela nokia…(sonhar não paga imposto.)

    • Adriano Lima 10/10/2011, 10:50

      Como o projeto é aberto, tendo gente capacitada o bastante e tendo os detalhes (documentação) de hw de cada aparelho, sim é perfeitamente possível fazer não apenas uma versão full para o aparelho como uma forma bem amigável de instalar o S.O.
      O problema é você consegue no mundo real juntar esses três itens e mantê-los assim?

      • sidney 10/10/2011, 21:56

        quem pode fazer prefere fazer projetos para o n900, já que é mais poderoso e mais fácil de mudar o firmware…mas o fato de o n810 ser considerado obsoleto em parte pode ajudar prejudicar…vou ter mesmo que com rooms que rodem do cartão de memória.. ou comprar tablets de shenzen rodando android…

  • antonio carlos 04/11/2011, 11:12

    è por isto que ainda não penso em trocar o meu n900, que inclusive ontem recebeu nova atualização do s.o., no meu entender gostaria somente que pudessem atualizar o kernel, para poder colocar um dongle de tv digitalpara usar o vlc e quem sabe um pinpad, afinal trabalho com TEF, e gostaria de vê-lo rodando aplicações de automação.