CategoriaIDF

Intel mostra novos chips Core vPro “Ivy Bridge” para o mundo corp

I

IDF São Paulo 2012 — Durante o keynote de abertura do IDF, Kirk Skaugen, vice-presidente do grupo de Digital Enterprise da Intel anunciou a chegada de uma nova linha de processadores Core de terceira geração “Ivy Bridge”, agora equipada com tecnologia vPro.

A plataforma Intel Core vPro é um produto voltado para uso em ambientes de negócios, em que vem a cada nova geração incorporando cada vez mais recursos, na sua maioria voltados inicialmente para facilitar o gerenciamento e a manutenção remota de sistemas e que também tem evoluído no lado da segurança, com ferramentas para proteção de dados, inclusive no caso de perda ou roubo do equipamento. A plataforma Core vPro está disponível para desktops, notebooks, All-in-ones e até Ultrabooks.

Talvez a novidade mais significativa desse novo vPro é o chamado IPT  (Identity Protection Technology) com PKI (Public Key Infrastructure), uma nova tecnologia que funciona mais ou menos como aqueles Tokens de banco que fornecem senhas de autenticação válidas por alguns segundos. A grande sacada nesse caso é que, com esse recurso incorporado ao processador, é possível criar sistemas de autenticação e transações na rede ainda mais seguras e simples de operar, já que o sistema se encarrega de estabelecer a conexão segura.

O mais interessante é que Skaugen já tinha alguns equipamentos baseados neste novo chip para mostrar. Entre eles o novíssimo ThinkPad X1 Carbon (também anunciado ontem)…

… o HP EliteBook 8470p:

… e o minúsculo ThinCentre M92 Tiny, também da Lenovo:

Ainda em tempo:

A Intel também anunciou ontem três novos processadores Xe0n: o E3-1200v2, E5-4600 e o E5-2400.  Mais detalhes sobre esses chips aqui.

 

Intel mostra Ultrabook com Ivy Bridge e Windows 8

I

IDF São Paulo 2012 — Durante a palestra de Fernando Martins, chefão da Intel Brasil, sobre Ultrabooks, um especialista da empresa demonstrou um Ultrabook já equipado com processador Haswell Ivy Bridge.

ERRATA: Soubemos pela nota do Engadget que um porta voz da Intel entrou em contato com eles e afirmou que a máquina mostrada não era um sistema com Haswell e sim um equipado com Ivy Bridge. Fiquei curioso, chequei a gravação dessa apresentação e, de fato trata-se em um Core de terceira geração.

Ao contrário do Ivy Bridge que não deixa de ser uma versão de 22 nm do Sandy Bridge, o Haswell é uma microarquitetura totalmente nova que trará ainda mais recursos que o Ivy Bridge e será ainda mais eficiente em termos de consumo de energia, permitindo até um dia inteiro de trabalho (8~10 horas de uso contínuo) ou até dez dias de “stand-by conectado” isto é, apesar de estar num estado de dormência, o sistema é capaz de trocar informações na rede, como receber avisos de alerta, e-mails, atualizações de sistema e até baixar arquivos.

O equipamento apresentado é um modelo de referência equipado com uma tela touchscreen rodando Windows 8.

Segundo a empresa, a tela touchscreen é um item opcional que pode ou não ser implementado pelo fabricante. De qualquer modo, a empresa acredita que esse recurso seja mais desejado a partir da chegada do novo SO do pessoal de Redmond.

Com relação ao processador propriamente dito, a empresa diz que ainda é um pouco cedo para entrar nos detalhes da sua microarquitetura. Mas esse assunto será tratado com certeza durante o próximo IDF em São Francisco, no segundo semestre.

 

IDF: Coisas legais que um executivo da Intel leva no bolso

I

IDF São Paulo 2012 — Como é comum nos IDFs, alguns executivos costumam andar com um ou mais componentes soltos no bolso que ajudam a ilustrar algumas idéias e conceitos técnicos. De um certo modo, trata-se de um momento único e que em muitos casos, é a primeira e a última vez que você poderá ver a até relar num deles em cores e ao vivo.

No exemplo abaixo temos três processadores: os dois maiores são versões “Ultra” de CPUs Core ix. Já o chip menorzinho é o famoso Atom Medfield, voltado para dispositivos móveis como tablets e smartphones.

Já o componente abaixo é um disco SSD “Larson Creek” de 20 GB. E para que serve um disco com tão pouca capacidade? Na verdade esse componente faz parte da nova tecnologia “Intel Smart Response” (RST) que utiliza um disco SSD como um cache de memória flash para um disco magnético convencional, com o objetivo de acelerar o seu desempenho. O resultado é assim uma solução cujo desempenho fica perto de um disco SSD de alta capacidade, porém bem mais em conta.

Já vimos essa tecnologia no passado em produtos como o disco Seagate Momentus XT. De fato nos foi explicado que o Instant Response é  a terceira geração da tecnologia Robinson, só que com um cache de memória Flash muuuito maior.

Interessante notar que o SSD acima tem o padrão de formato de um disco de 2,5″ e que poderia ser implementado em desktops ou té mesmo all-in-ones, junto com um disco rígido convencional de 3,5″. Para os portáteis existe uma versão compacta na forma de cartão mSATA, liberando assim espaço para um disco convencional.

De fato, no Showcase do evento — ou mais exatamente no stand da Gigabyte — vimos uma placa-mãe GA-Z77X-UD3H

 Já pronta para aceitar esse recurso:

Isso mostra que muitas das tecnologias criadas para o Ultrabook podem — com o passar do tempo — se espalhar para outras plataformas como desktops e All-in-Ones.

 

Ultrabook: Fabricantes nacionais anunciam seus modelos

U

IDF São Paulo 2012 — Um dia antes da abertura do evento, Fernando Martins presidente da Intel Brasil fez uma apresentação para a imprensa sobre a plataforma Ultrabook, destacando que a plataforma não é apenas um notebook leve e fino e sim um conceito mais amplo que engloba novos recursos que procuram — de um certo modo — encantar o usuário com a sua facilidade de uso.

Entretanto, a grande novidade da sua apresentação foi a confirmação de que o número de empresas que já vendem Ultrabooks no Brasil vai saltar de cinco…

… para onze fabricantes até junho desse ano. Interessante notar que fora a Sony, todos os novos integrantes desse grupo são marcas locais como Megaware, Positivo, CCE e Semp Toshiba.

Apesar de não aparecer na relação acima, a Lenovo também estava entre os modelos expostos, o que pode elevar o número de marcas para 12.

Ferando também mostrou uma relação de varejistas de todo o País que terão Ultrabooks para vender nos próximos 30 dias.

E para proporcionar uma experiência completa de uso do Ultrabook a Intel também anunciou que já existem produtos e serviços no Brasil que suportam alguns recursos de segurança disponíveis no Ultrabook. Talvez o mais importante seja o Serviço Anti-roubo da Intel, um serviço online que permite o usuário bloquear remotamente o seu Ultrabook no caso de perda ou roubo.

Quando questionado sobre quanto custaria esses novos Ultrabooks de marcas locais. Fernando não soube responder, sugerindo que seria mais fácil perguntar diretamente aos fabricantes. Entretanto, ele afirma que com a fabricação local, a tendência é que os preços tendem a ser mais em conta que os modelos importados.

Vamos conferir isso no showcase…

 

Começa amanhã o Intel Developer Forum 2012 em São Paulo

C

O maior geekfest do planeta (depois do Comicon de San Diego) — o Intel Developer Forum — está de volta em São Paulo. Digo isso porque a cidade já recebeu esse evento entre os anos de 2004 a 2006, sendo que depois ele se transformou no chamado Intel Business Forum antes de ir de vez para o limbo.

Eram tempos diferentes, já que na época o IDF era um mega evento bianual nos EUA que também viajava pelo mundo por países como Japão, China,  Taiwan, Israel, Alemanha, Brasil etc. Mas que nos últimos anos foi reduzido a uma única edição nos EUA e outro na China. Mas com a ascensão do Brasil como o terceiro maior mercado de PCs do planeta, o pessoal de Santa Clara decidiu que era tempo do nosso País voltar a receber o evento.

Nós já sabíamos dessa movimentação desde setembro do ano passado, época em que flagramos alguns colegas nossos da Intel Brasil no IDF de São Francisco na fila do gargalo observando atentamente o keynote e como o evento funcionava. A confirmação veio no último Editor’s Day durante o discurso de Fernando Martins.

Outra novidade é que o novo IDF é um evento que foi planejado pelo mesmo grupo que organiza a versão americana e da China, obviamente numa escala menor já que a idéia é de entregar o conteúdo mais adequado para o nosso mercado e indústria. O evento acontecerá no próximo dia 15 de maio de 2012 no WTC Convention Center de São Paulo. Mas como sempre acontece um dia antes da abertura, hoje é o “dia da imprensa” com uma programação especialmente voltada para a mídia em geral.

O keynote de abertura será apresentado por Kirk Skaugen VP do Grupo de Clientes de PC (que ficou no lugar de Mooly Eden que voltou para o seu país de origem para comandar a Intel Israel) e Dough Fisher, GM da divisão de software da empresa. Obviamente, os assuntos de destaque serão a plataforma Ultrabook, Ivy Bridge, sistemas para educação, Windows 8, etc.

Na programação das sessões técnicas para mim duas imperdíveis: o Human Centric Computer Interaction (GROS001) um papo cabeça sobre o presente e o futuro interação entre seres humanos e máquinas que era para ser apresentada por Genevieve Bell, diretora do Intel Experience Technology Lab mas que foi substituída por Horst Haussecker. Outra sessão interessante será o AIO and Enthusiast PCs – Integration Opportunities in Top Growing Desktop Segments (PCTS004) que será apresentado por Brent McCray e Carl Chavez.

Ainda em tempo:

Enquanto a metade da redação deste Ztop está aqui cobrindo o IDF São Paulo, a outra metade (a.k.a. Henrique) está a caminho de Santa Clara para cobrir o GPU Technology Conference 2012 que também acontece nesta semana.

Fiquem ligados.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos