ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Canola: o matador de iPod?

Guarde este nome: Canola. Não, não é óleo de cozinha. É um programa – ainda não é open source, mas vai ser – que transforma os internet tablets da Nokia (em especial o N800) em uma central de mí­dia que reproduz ví­deos, fotos e músicas, com algumas coisinhas muito interessantes a mais. Foi totalmente desenvolvido aqui em Recife pelo Instituto Nokia de Tecnologia e está disponí­vel para download no site oficial.

Aproveitando a interface touch screen do N800, o Canola é para ser usado com os dedos mesmo – nada de stylus. “O usuário não gosta da caneta”, diz Marcelo Oliveira, um dos responsáveis pelo projeto no InDT. Para um projeto reescrito do começo (quiseram ficar no básico), foram poucos meses de desenvolvimento (de julho a novembro de 2006) com mais ou menos 60 mil linhas de código em C (e mais um pouquinho em outras linguagens…).

Com o lançamento do N800 em janeiro, o Canola estava nas ruas. Segundo Oliveira, o feedback dos usuários – a maioria europeus – é excelente. “O Canola é nosso playground para criar produtos. Com um bom hardware, ele pode ser expandido”, diz, citando o exemplo de que já se fala no Canola Car Edition, com GPS e integração aos sistemas de injeção eletrônica do veí­culo (alguns usuários já fizeram isso) e um Canola Personal Edition (com RSS, VoIP, contatos).

O Canola roda sobre a interface principal do N800. Como é um tablet conectado, permite ver feeds de fotos do Flickr, por exemplo – e deixar na mesa. “O Canola quer ser sempre simples. Mas os pacotes adicionais o transformam em outros produtos, mais completos”.

Fica a dúvida no ar – levantada até por gente do INDT durante a Bossa Conference: Alô Nokia, por que não lançar o N800 no Brasil? Ajudaria a desenvolver novos produtos, estimular a comunidade open source (o INDT tem gente contribuindo com o Maemo, Linux que move os tablets) e deixaria os usuários mais felizes (quem não quer um DivX player com uma excelente tela e internet em qualquer lugar? Já entrou na minha wish list). Tá dado o recado 🙂

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin