ZTOP+ZUMO 10 anos!

Brasil desenvolve TV Digital aberta em 3D

Durante o Fórum Digital da LG Electronics (mais sobre isso em outro post) que aconteceu hoje em São Paulo, tivemos a oportunidade de falar com um velho conhecido deste Zumo — o engenheiro Marcelo Zuffo, coordenador do LSI (Laboratório de Sistemas Integrados) da USP. E numa conversa e outra, descobrimos que o nosso Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD) também será compatível com a tecnologia de imagem em 3D, o que permitirá que, no futuro possamos ver programas de TV em 3D também nos canais abertos (numa TV 3D, é claro).

Segundo Zuffo, seu laboratório faz parte de um grupo de trabalho (apoiado pela Sony) que está elaborando as especificações técnicas de como será esse novo padrão 3D para TV aberta usando como referência o Blu-Ray 3D. Ele explica que ainda é muito cedo para falarmos de prazos de lançamento, mas que existiria pelo menos o desejo de que o grupo  já pudesse apresentar algo durante a Copa do Mundo de 2010.

A boa notícia é que o padrão SBTVD não teria problemas para incorporar o formato 3D, ao contrário da TV a cabo que necessita de uma largura de banda maior para transmitir programas em 3D. Além disso, Zuffo disse que as novas TVs 3D com sintonizador digital integrado já seriam capazes de receber o sinal de TV 3D aéreo sem ter que mexer no equipamento.

Apesar de meio óbvio é bom deixar claro que essa nova tecnologia não se aplica às atuais TVs com sintonizador digital integrado. Para esse pessoal, business as usual.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Pingback: Tweets that mention Zumo Blog: Tecnologia. Opinião. Inteligência. » Brasil desenvolve TV Digital Aberta em 3D -- Topsy.com()

  • Pingback: Brasil desenvolve TV Digital Aberta em 3D | AcheiHotel.com.br()

  • Legal, só penso que o grande público em geral não terá acesso a este tipo de tecnologia, por outro lado, quem tem condições de comprar uma TV 3D tem condições e prefere usufruir da programação diferenciada da TV por assinatura, portanto surge a grande questão:

    Prá quê?

    Acho incoerente esta tecnologia em TV aberta.

    • Como disse o Zuffo na sua apresentação de hj, nós não devemos só ficar olhando pra trás quando o assunto é tecnologia. Ele usou como exemplo os conversores de TV Digital que todo mundo achava que seria primordial para emplacar o novo sistema e, no final das contas, o que está acontecendo é que ao invés de correr atrás de um conversor as pessoas estão preferindo ficar com suas TVs e canais analógicos e, quando der, comprar logo uma TV LCD/Plasma nova com conversor embutido.

      O mesmo ocorre com a TV 3D. No ano passado ainda se perguntava se valia a pena gastar mais para ter uma TV HD Full HD 1080p ou menos e ficar com uma HDTV de 720p. Hoje praticamente todas as TVs novas são Full HD e quem não sabe se no ano que vêm todas as TVs não serão 3D?

      O que achei legal nessa iniciativa é saber que temos técnicos e pesquisadores preocupados em desenvolver esse tipo de tecnologia mesmo que ela pareça desnecessária nesse momento. Mas quem sabe daqui a dois ou três anos?

      De um certo modo, nós também sabemos inovar.

    • Edy

      Para desenvolver inteligência!. Sabemos das dificuldades desse grupo brasileiro para construir e implementar o SBTVD e, é claro, que muitas pessoas logo perguntam: por quê não comprar a tecnologia já existente dos japoneses ou americanos ou dos marcianos (rs)? Quando se começa um projeto, seja ele qual for, seja aqui ou nos laboratório da IBM ou mesmo da Matsushita os envolvidos sempre aprendem (nós também de uma forma ou ou outra) e numa dessas acabam desenvolvendo, também, tecnologia para uso em outros setores e é assim que as coisas acontecem… fazendo. Parabéns ao grupo e a todos os brasileiros que desenvolvem alguma coisa, mesmo que não sejam usadas.

  • Legal agora dá pra ver o real tamanho da barriga do Jô Soares na tv aberta

    • …ou tentar pegar o aviãozinho de dinheiro do Silvio Santos.

  • Pingback: TecNews: Noticias Tecnofagia()

  • Lucas

    Sempre que surge uma nova tecnologia, uma evolução sobre uma ja existente, algo mais potente, com mais recurso; também surge alguns para criticar, dizer que não ve necessidade, que é desperdicio de dinheiro, de tempo, que vai ser subutilizado, etc, etc, etc…
    Ou seja, segundo essas pessoas não devemos evoluir, devemos estacionar tecnologicamente. Acredito até que achariam melhor que retrocedessemos. Quem sabe não voltarmos a nos comunicar com sinal de fumaça? :)…
    Putz, pode não ser indispensável e acessivel agora, ou a curto prazo, mas poderá ser util e até indispensavel mais adiante.
    O telefone quando foi criado, sofreu criticas de que não duraria, era só um brinquedo caro. A TV tbm já foi de pessima qualidade de imagem (preta e branca) e carissima, quando surgiu a colorida era acessivel a poucos. Com computadores então, é comum criticarem quando surge maquinas com processadores ultra velozes, "trocentos" GB de memoria… dizendo pra que tudo isso???? Putz voltem a usar um 386 com 8 MB de memoria então!!!!
    Sou receptivo a todo avanço e sempre acho que podendo, devemos comprar o melhor equipamento possivel. Claro que não vou vender minha casa para adquirir um PC de R$20.000,00, se eu não tiver condições financeiras pra isso.
    Mas a história mostra que geralmente o que hoje parece ser exagero, num futuro proximo torna-se banal e até essencial.
    Ou alguem aqui cogita voltar a usar um PC com 486DX100, 32 MB de RAM e Windows 95???? Pois essa maquina já foi considerada um exagero em certa época.

  • Douglas Belmonte

    Começamos melhor ! Finalmente começaram a pensar no conteúdo antes de nos empurrar um "carro sem combustivel" pois a maior dificuldade está em se ter conteúdo acessível e não na tecnologia da tv.
    E lembrem-se a tv aberta se resume a globo e mais nada na maior parte do país precisamos de mais investimento nas outras emissoras.