ZTOP+ZUMO

BlackBerry Z10: a hora da volta?

A BlackBerry mostrou hoje seu novo tudo: marca (Research In Motion mó-rreu), sistema operacional BlackBerry 10 e seus dois novos aparelhos: Z10 e Q10. E o Nagano teve a sorte de trombar com o Z10 no meio do caminho em Orlando e tirar umas fotos.

Já tinha visto o BB10 ainda na fase de desenvolvimento, com um protótipo do que parece ser o Z10, a versão sem teclado físico e tela de 4,2″ – só apararam as arestas. A fabricante diz que sistema operacional e hardware foram desenvolvidos juntos, com uso de gestos para tornar tudo mais rápido – e o teclado virtual é incrível, pelo que já vimos.

Hoje, o Nagano viu o BlackBerry Z10 de perto em Orlando no evento da IBM, meio que simultâneo ao lançamento do BB10 em Nova York. E, pelo hardware, me parece bem interessante. Tenho minhas restrições pessoais ao conceito BlackBerry – a ideia de pagar a mais para poder acessar e-mails e dados por passar pelos serviços da BlackBerry é um tanto estranho para mim, mas acredito que empresas (num mundo cada vez mais “traga-seu-dispositivo”) ainda precisem disso.

Se é a volta da BlackBerry? É complicado. Perderam mercado demais para Android e iOS e o Windows Phone, possível concorrente pelo terceiro lugar na guerra de plataformas, ainda não mostrou ao que veio.

Nada ainda sobre o lançamento da nova plataforma no Brasil, mas reza a lenda que em março a subsidiária local fará algum barulho.

[BlackBerry Q10 | BlackBerry Z10]

Nagano comenta: Como um dos principais patrocinadores do IBM Connect 2013 havia uma certa eletricidade no ar com relação a esse anúncio e o que a BlackBerry iria aprontar aqui em Orlando.

Durante toda a semana eles convidaram todos os interessados a assistirem a transmissão ao vivo de NY em um dos auditórios do evento e onde é claro, os novos aparelhos seriam apresentados.

Sabendo disso (e a muvuca que costuma ser essas oportunidades de fotos), fiz um caminho diferente: Desci até o showcase (área de exposições) e fui no estande da Blackberry que estava praticamente as moscas guardada por um representante que estava assistindo a apresentação de NY via PlayBook ligado numa TV por meio da porta HDMI.

blackberry_booth

Eu cheguei mais perto, me apresentei como jornalista e perguntei se ele já tinha um os novos aparelhos ali no estande, e a resposta foi sim — ele estava com o modelo sem teclado (Z10) mas só poderia mostrá-lo ao fim do anúncio em NY (algo como uma meia hora).

OK, sem problemas… Fiquei lá assistindo ao resto da apresentação com ele me explicando algumas novidades do aparelho. Segundo ele, o novo BB10 é uma versão bem melhorada do SO do Playbook (que também deve receber em breve uma atualização de SO). No geral o grande esforço da empresa foi de facilitar o trabalho dos desenvolvedores, oferecendo um novo SDK (que permite programar em diversos dialetos além do Java) para que, consequentemente, fosse possível oferecer uma ampla oferta de títulos para sua loja de Apps que também foi reformulada. Assim aplicativos famosos como Facebook, Twitter, LinkedIn, Skype, Watts Up e um monte de jogos famosos — incluindo o Angry Birds StarWars — já estão disponíveis para a nova plataforma. Ah sim, e além do pretinho básico ele também estará disponível na cor branca.

O que fica claro para mim é que a estratégia do novo  BlackBerry vai de encontro de uma impressão que sempre tive que os usuários são meio agnósticos ao SO, ou seja, o que todo mundo quer mesmo usar seus Apps preferidos da maneira mais agradável possível, independente da plataforma. Assim, com o Z10 a empresa quer manter seus atuais usuários e até chamar de volta os antigos com uma mensagem no melhor estilo “sim, nós também temos!”

E no fim como prometido, o representante me mostrou com exclusividade o Z10 em todo o seu esplendor antes do pessoal ao redor perceber e cair matando pra ver a novidade.

blackberry_booth2

Mas nisso, eu já tava me conectando num cabo de rede (por que o Wi-Fi estava super disputado) e transmitindo as imagens para o Brasil.

Sweeet!

Galeria de fotos tiradas por Mario Nagano (clique para ampliar):

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin