Precisamos falar sobre as gavetinhas de smartphone

P

Ninguém fala sobre as pequenas bandejas dos smartphones modernos que são projetadas para comportar um ou dois SIM cards de operadoras e o cartão microSD.

É hora de quebrar o tabu!

Por que pensei nisso?

Um dia no passado, de tanto tirar-e-pôr a bandeja plástica do meu Galaxy S7 Edge para colocar o SIM card em outros smartphones de teste, o pior aconteceu: a peça quebrou e ficou um pedaço lá dentro (obrigado Samsung que me ajudou a convencer a assistência técnica apenas desmontar o aparelho, sem precisar trocar a placa-mãe, mas isso é uma longa história).

E ontem, mexendo na pilha de aparelhos aqui em casa, pensei em maldades: qual será a melhor gavetinha desses smartphones disponíveis aqui para mim, na minha mesa, neste momento?

Então, da esquerda para a direita temos as bandejas de SIM card dos seguintes aparelhos:

E sua avaliação-relâmpago (Entenda nosso novo sistema de avaliação):

  • Moto G5S = rígida, toda de metal. Excelente, não parece que quebra. Nota 9.
  • Moto Z2 Force = rígida, com plástico protegida por meta. Muito boa, também não parece que quebra (e que ironia seria quebrar a gaveta do smartphone inquebrável). Nota 8.
  • Samsung Galaxy S8+ = de plástico, muito flexível. Ruim, pode quebrar. Pelo menos a fabricante é consistente: usa plástico nos aparelhos premium (a do Note 8 também é assim) e nos mais básicos (como o J5 Pro). Nota 5.
  • LG Q6+ = de plástico, um pouco mais rígida. OK, passa, mas não sei se confio muito a médio prazo. Nota 7.
  • Quantum Sky = Moldura de plástico com proteção de metal interna. Excelente, não parece que quebra. Nota 9.

Quando a bandeja do S7 Edge quebrou (mesmo com a Samsung trocando a peça), fui à velha e boa internet em busca de bandejas sobressalentes. Comprei mais duas bandejas por algo como US$ 5 cada (+ uns US$ 7 de frete) no Parts4Repair, de Singapura. Demorou uns 60 dias para chegar, mas chegou.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos