ATOUN e a era do exoesqueleto próprio

A

Empresa do grupo Panasonic já vende seu primeiro exoesqueleto de uso pessoal para amenizar o esforço em trabalhos físicos e dar uma “forcinha” no trabalho

Já faz algum tempo que falamos da Activelink Co., uma subsidiária da Panasonic especializada no desenvolvimento de robôs assistidos na forma de exoesqueletos que auxiliam o ser humano na realização de esforços grandes ou repetitivos.

panasonic_exo_skeleton_pll04

De lá para cá o negócio andou, sendo que a empresa mudou seu nome para ATOUN (não confundir com Auto Union) e colocou no mercado seus primeiros modelos para uso pessoal e comercial desde julho passado no Japão sendo que ele foi até mostrado para o ocidente durante a última CES 2019:

Na mesma CES, a Samsung apresentou protótipos de robôs pessoais – incluindo alguns bem similares à proposta da ATOUN.

Entre as primeiras empresas a adotarem esse produto estão a Minabi Agriculture e a Japan Airlines:

O que é ATOUN?

Como no caso da Lexus, o ATOUN foi um nome cuidadosamente esculpido para passar uma idéia ou filosofia — ou seja — segundo a empresa, “A” representa o ser humano, “TO” é um conectivo do tipo “e” ou “&” e “UN” representa o robô — ou seja — ela incorpora o conceito filosófico do “AUN ou OM” (a harmonia mental e física entre duas partes) sendo que, neste caso, é a harmonia entre humanos e robôs ou, mais genericamente, a união entre homem e máquina:

O designer ainda fez uma brincadeira com a tipografia dessa logomarca, já que os pontos representam dois olhos que junto com a letra A forma uma face com boca aberta (o lado humano) e o N uma face calada (o lado robótico) ou seja, os dois seres que co-existem lado a lado em harmonia com o mundo que os cerca:

Fora isso, a empresa também divulgou sua visão de produto baseado no conceito de Powered Wear (não confunda com Powered Suit) onde a robótica não é vista como uma algo para chutar traseiros de malfeitores e monstros e sim como um acessório que realça e maximiza potencial do seu usuário…

… acabando assim com as limitações impostas pela idade, gênero e força física criando sim uma sociedade mais justa e sem barreiras ao mesmo tempo que amplia as oportunidades de trabalho para todos:

ATOUN Model Y

O primeiro modelo a chegar ao mercado é o ATOUN Model Y (
AWN-12) que nada mais é que um sistema robotizado que ajuda as pessoas a levantar e carregar objetos sem forçar as costas, evitado assim lesões na região lombar:

Medindo aproximadamente 48,4 x 81,0 x 28 cm (LxAxP) e 4,5 kg de peso (com as baterias) o Model Y vem equipado com dois servo motores e sensores de movimento que, ao perceber que o seu usuário está se agachando para pegar algo, ele ativa os servo motores para ajudá-lo a se levantar (com o peso) aplicando uma força auxiliar de no máximo 10 kgf.

Do mesmo modo, ao perceber que a pessoa está se abaixando com algo pesado nas mãos os servo motores novamente são ativados para ajudar a “segurar” a descida:

Clique para ampliar

Uma das grandes sacadas desse produto é que ela não exige nenhuma preparação por parte do operador que pode facilmente vesti-lo como se fosse uma mochila e basta ligá-lo para que o sistema comece a se movimentar em harmonia com seu corpo. A empresa recomenda que o operador tenha entre 1,5 até 1,9 metro de altura:

A sua estrutura é feita de fibra de carbono, o que o torna 40% mais leve que seu antecessor e ele também é certificado pela norma IP55 o que permite utilizá-lo mesmo em locais abertos, empoeirados e até sob chuva. Note que o robô fica numa posição meio afastada do corpo do operador permitindo uma maior liberdade de movimentos e deixa que o calor disperse mais facilmente.


A autonomia das suas baterias é de aproximadamente 4 horas mas isso depende do uso mais ou menos intenso dos servo motores.

ATOUN Model A

Criado ainda na época da Activelink, o chamado Model A (AWN-3B) parece ser o predecessor do Model Y ou pelo menos uma versão mais robusta dele, já que além de ser maior (45 x 60 x 27 cm — LxAxP) e mais pesado (6,7 kg de peso) sua bateria tem o dobro de autonomia do Model Y e os servo motores são mais potentes:

O bacana é que devido ao uso de tubos metálicos na sua estrutura, ela pode ser pintada de diferentes cores, permitindo assim uma certa customização:

E no caso do operador precisar de uma forcinha a mais para levantar objetos mais pesados, a empresa está trabalhando numa variante do modelo acima batizada de Model As equipada com uma espécie de suporte ligado às mãos por meio de correias terminadas em luvas…

… que transferem o peso do objeto para o robô eliminando assim também essa carga dos braços do operador:

ATOUN Model K

Finalmente a empresa também trabalha em parceria com a Shimizu Corporation e a SC Machinery no desenvolvimento do chamado Model K

…que é um braço mecânico cujo design e movimentos foram inspirados no braço direito de um ser humano:

Além de aumentar a produtividade no local de trabalho, ele foi criado para atender as novas regras da nova política batizada de i-Construction formulada pelo Ministério da Terra, Infraestrutura, Transporte e Turismo do Japão com o objetivo de automatizar os processos de construção civil.

Aliás o modelo abaixo está sendo usado na obra de construção na linha Tokyogaikan Expressway no site de Odawa:

Mais informações no site da empresa local onde o leitor também pode ver alguns projetos em desenvolvimento incluindo o divertidíssimo projeto NININ:

Eu sempre quis ter um desses desde que cansei do Homem Aranha e passei a torcer para o Doutor Octopus.

ALL FOR EVIL!!!

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos