ZTOP+ZUMO

Asus Zenwatch 3: Afinal, o que é aço inoxidável 316L?

Alardeado como um destaque do Zenwatch 3, o que é que esse metal tem para oferecer ao consumidor?

Conforme promessa de campanha, a Asus começou hoje a vender o Zenwatch 3 no Brasil, que já pode ser encontrado na lojinha da empresa na versão Gun Metal (preto fosco) pelo preço sugerido de R$ 1.799 à vista ou R$ 1.999 em 12x sem juros no cartão:

zenwatch3_preto

 

O Zenwatch 3 é um dos primeiros a vir equipado com o novo processador Qualcomm Snapdragon Wear 2100, um chip Cortex ARM A7 quadcore de 1,2 GHz, 512 MB de RAM, 4 GB de memória para armazenamento, Wi-Fi 802.11 b/g/n e Bluetooth 4.1, sensores de luminosidade e acelerômetro de seis eixos, alto-falante e microfone embutido. Sua tela redonda com touch é do tipo AMOLED de 1,39″ de 400 x 400 pixels, protegida por uma camada de vidro Gorilla Glass 2.5D. Seu sistema operacional é o Android Wear.

zenwatch3_specs

Vale a pena observar que, ao contrário da especificação do Google que demanda a presença de apenas um botão de controle, o Zenwatch 3 possui três, o que nos faz lembrar dos relógios esportivos com cronógrafo integrado:

zenwatch3_buttons

Sua parte eletrônica é protegida por uma caixa de metal de 9,95 mm de espessura forjada a frio, resistente a entrada de pó e água (pura e fria, apenas por algum tempo e até a uma certa profundidade, diga-se de passagem), segundo a norma IP67.

[Aviso: Conteúdo nerd adiante]

Um detalhe que temos ouvido até com uma certa insistência do pessoal da Asus é o fato da caixa deste smartwatch ser feito de aço inoxidável 316L e como essa substância é linda, maravilhosa, resistente, sexy, chuchu beleza, chique no úrtimo, etc. — MAS — no fim das contas, o que é que esse aço inoxidável 316L tem de tão bom para ser tão valorizado no material de divulgação da empresa?

zenwatch3_caixa

Pelo que pude levantar na rede, os chamados aços inoxidáveis são particularmente resistentes àquelas substâncias que favorecem um ataque químico. Essa resistência vem de uma camada aderente, passiva e impermeável de cromo que se forma na superfície do metal. De fato, a passividade dos aços inoxidáveis pode ser melhorada ainda mais com o aumento do teor de cromo e até de molibdênio.

Assim, o 316L — ou mais exatamente AISI 316L (formulação química: Fe, <0.03% C, 16-18.5% Cr, 10-14% Ni, 2-3% Mo, <2% Mn, <1% Si, <0.045% P, <0.03% S) —  é um tipo de aço cromo-níquel molibdênio, inoxidável austenítico, não-temperável e não-magnético que se diferencia do AISI 316 pelo seu menor teor máximo de carbono (0,03% contra 0,08% do “não-L”) o que faz dele ainda mais resistente a corrosão localizada, sendo muito usado na indústria química, naval, farmacêutica, alimentícia, têxtil, papel e celulose, fotográfica, etc. em ambientes/processos onde existe a presença de cloretos.

Além disso, ele é muito usado na fabricação de instrumentos cirúrgicos (dai o seu nome popular — “aço cirúrgico”) e mais recentemente na produção de jóias e acessórios. Isso porque durante a sua fabricação, esse material passa por um processo de derretimento a vácuo — um método seguro que evita qualquer tipo de elementos contaminantes na superfície do metal.

steel_316l_watchcase

Resumindo, a caixa de aço do Zenwatch 3 tem sim um diferencial já que ele — na teoria — é mais inerte no contato direto com a pele, evitando assim algum tipo de reação e/ou alergia na pele. Fora isso, sua maior resistência a corrosão faz com que seu acabamento esmerado dure por muito mais tempo, esperamos que beeem além da chegada do Zenwatch 4, 5, 6…

Legal, né?

Ainda em tempo:

Acabei de dar uma passada na lojinha da Asus e notei que o Zenwatch 2 acabou de ser colocado a venda na cor “(Sparrow) Prata” (hein?) pelo preço sugerido de R$ 999 à vista ou R$1.299,00 em 12x de R$108,25 sem juros no cartão:

zenwatch2_venda

Numa dessas, pode ser que outros modelos possam aparecer no site nas próximas horas ou dias.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Leonardo Carneiro 11/11/2016, 23:26

    Joinha heim! Ainda é salgado demais pro meu gosto, mas gostaria de saber o quanto a bateria vai durar em situações reais.

    • Mario Nagano 12/11/2016, 08:18

      Para mim, o grande problema dos smartwatches é que ainda não inventaram uma killer app que vai fazer as pessoas acamparem na frente da loja e disputarem no tapa pela sua unidade lá dentro.

      Isso depende muito da intensidade com que o smartwatch troca informações com o smartphone.

      Se o uso for casual (entenda-se apenas receber alertas e coisas do tipo) e a tela não ficar ligada direto, o que estou usando termina o dia com 40~50% da carga. E a carga cair muito , é possível desativar o BT/Wi-Fi e usá-lo apenas como relógio.

      Mas o que realmente me impressionou foi o tempo de recarga. Se a bateria não estiver zerada — digamos em 20~30% — é possível chegar a 100% em menos de uma hora! 😮

    • dflopes 16/11/2016, 21:08

      Comparando com outros smartwatchs que já tive, as baterias duram o seguinte:
      Meus parametros são sempre desligando a noite e recebendo notificações normais, exceto de Whatsapp ou Telegram
      Pebble Classic P&B: 9 dias
      Gear Fit: 4 dias
      Gear S com 3G: 1 dias

  • Renan Donha 14/11/2016, 14:59

    É 512 ram de memória e 4GB para armazenamento

    • Mario Nagano 14/11/2016, 16:03

      Sim de fato os números estavam trocados, falha nossa. Brigadão pelo toque.