ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Asus: novos netbooks com AMD Fusion vêm aí (bônus: Meego também)

Modelos com telas de 10,1 e 12,1 polegadas virão equipados com APU C-50 Ontario e prometem até 8 horas de bateria.

Apesar de todos os holofotes da Asus estarem em cima do Padfone (mais sobre ele ainda hoje), do Ultrabook UX21 e do Transformer TF101, dando uma passeada entre os produtos expostos no Asus Innovation Forum 2011, pudemos ver os primeiros modelos da casa a virem equipados com o novo processador a nova APU AMD C-50 Ontario que — na teoria — será a plataforma que vai bater de frente com o Atom da Intel.

O mais simples deles é o eeePC 1015BX (preço sugerido R$ 999), um modelo de entrada equipado com tela de 10,1 polegadas de 1.024 x 600 pixels e que estará disponível apenas na cor preta.

O seu visual já traz algumas inovações que vimos pela primeira vez no Seashell 1015PEM, sendo que a principal diferença está no seu lado esquerdo onde no lugar da terceira porta USB existe uma saída de vídeo HDMI.

E para aqueles que pretendem ver filmes nesse modelo, a boa notícia é que ele virá com um disco rígido de 500 GB (yay!).

Já o modelo eeePC 1215B (preço sugerido R$ 1.099) é o substituto natural do 1201T com Athlon Neo. É uma solução intermediária voltada para aqueles que gostariam de fazer tudo aquilo que já fazem hoje em seus netbooks, porém com tela e teclados maiores.

Devido ao seu tamanho, o 1215B tem espaço para acomodar as três portas USB mais a HDMI. Fora isso, essa máquina também estará disponível com gabinete nas cores vermelho e prata.

 

E o que podemos esperar em relação ao desempenho? Pelo que pudemos ver no índice de experiência do 1015BX, seu score de 2,3 pontos pode parecer meio desanimador, mas ao entrarmos nos resultados mais detalhados, vimos números bem mais interessantes e chegamos a conclusão de que o que impede que o C-50 apresente um índice de experiência melhor é o seu núcleo de processamento x86 dual core que roda a apenas 1 GHz …

… o que é um resultado bem modesto, se comparado por exemplo como o E-350 Zacate de 1,6 GHz do Lenovo G475 que bateu 3,8 pontos em cálculos por segundo:

… ou os 3,1 pontos do Atom N550 Pineview de 1,5 GHz presente no eeePC 1015PEM:

Esses resultados mostram que a proposta do C50 é de realmente ser um produto que sem muitas pretensões de grandeza e que deve ser direcionado para aplicações mais leves do dia a dia como editar documentos, trocar mensagens e consumir conteúdo da Internet. A grande vantagem nesse caso é que o C-50 poderá oferecer uma melhor experiência de uso tanto em vídeos em HD, Flash e HTML5 ou seja, na teoria tudo aquilo que fazemos hoje num netbook só que de uma maneira mais divertida. Já na vida real, só saberemos quando recebermos os primeiros equipamentos para testes.

Fora isso, a Asus já lista no seu novo catálogo de produtos distribuído no evento quatro novos notebooks com tela de 14″ com gravador de DVD também baseados no C-50. São eles os K43BY (preço sugerido: R$ 1.499 na Compujob), K43U VX024R, K43U VX0220, K43U VX1050, que podem bater de frente com o Lenovo G475:

(clique na imagem para mais detalhes)

Ainda em tempo:

No meio da coletiva de imprensa do evento, eu joguei um verde no gerente de produtos da Asus (e chapa deste ZTOP) Marcel Campos se a sua empresa tinha alguma previsão de chegada do eeePC X101H com Meego e ele me respondeu “sim, em setembro”  (uia!)

Para quem ainda não foi apresentado, o X101H e um netbook ainda mais leve e fino (26,2 x 18,0 x 2,2 cm — LxAxP) e 1 kg de peso equipado com um processador Atom N435 single core com HT de 1,33 GHz, 512 KB de cache L2, aceleradora Intel GMA 3150 integrada e TDP de apenas 5 watts, 1 GB de RAM, 250 GB de disco, tela de 10,1 polegadas (1.024 x 600 pixels), Wi-Fi 802.11n e bateria de três células com autonomia estimada de até 4 horas. Suas especificações são até que modestas para um netbook com Windows, mas que caem como uma luva para rodar Meego. 

Assim o foco do X101H deixa de ser a de um netbook de uso geral para se tornar uma ferramenta de gerenciamento pessoal que conecta o usuário ao seu mundo digital, o que inclui tanto seus arquivos pessoais (fotos, imagens e vídeos) quanto seus relacionamentos nas redes sociais. 

Segundo Marcel, a Asus em parceria com a Intel deverá trazer um pequeno lote desse produto já em setembro próximo para testar o mercado.  Com relação ao seu preço, eles ainda não tem um preço fechado mas por ser uma configuração relativamente modesta e usar um SO de código livre (baseado em Linux) meu palpite é que seu preço sugerido fique em torno de R$ 799.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • O eeePC X101H será compativel com programas para n900?
    Ou será preciso recompilar?

    E minhas parcas e poucas experiencias com Intel GMA integrada me dizem que ela não combina com “experiencia digital” – mesmo com muita tolerancia.

  • sidney

    eu gostaria de pagar menos por um aparelho tão leve,fino e rodando meego. mas não acredito que será um sucesso de vendas. a comparação pode parecer até injusta,mas lembro dos primeiros eeepc 701 rodando xandros linux. logo as pessoas estavam 'adaptando" o win XP para os eeepc. alguem uma vez disse que o windows não está instalado no seu computador e sim na sua cabeça. concordo, exceo por uma pequena minoria que opta por linux ou pode pagar por MAC OS, a imensa maioria das máquinas vendidas são com o WIn. acredito que o meego terá uma barreira pela frente ao ser vendido no mercado brasileiro. se a Asus fizer seu dever de casa,o meego pode sobreviver em simbiose com os poucos telefones rodando o sistema. a Asus tem de se aliar a nokia para isso.
    Eu uso linux e win 7 em dual boot.

    • mnagano

      Como coloquei na nota, a Asus está trazendo esses aparelhos "em parceria" com a Intel ou seja, o que dá para entender é que o pessoal de Santa Clara está bancando parte dessa iniciativa para ver se o mercado brasileiro estaria disposto a adquirir um sistema de baixo custo com Meego.

      E pelo que eu vi nas specs do produto nada impede que o X101H rode Windows.

      • sidney

        eu talvez até usasse meego,mas tenho traumas….sou um dos orfãos do maemo 4.0….de qualquer modo quanto mais opções no mercado brasileiro melhor… só espero que o meego sobreviva mais tempo que o maemo…

  • rubens

    Se o de 12 viesse com o E350 (e bem menos que os 1400 praticados no Vaio) já começava a guardar o dinheiro. 🙁

    Parece que o mais próximo disso foi um modelo com E240 até agora de outra marca…

  • Pingback: Desafio Vision: declare sua paixão pela APU e ganhe um notebook()

  • Luís Sakate

    Um netbook com Meego é interessante. O preço é bem convidativo, para quem quer conhecer este sistema melhor. Aliás, pode ser impressão minha, mas parece haver uma tendência dos SO dos celulares migrarem para os computadores, não?

    • mnagano

      Sim, já ouvi rumores de que depois de 2012 até os iMacs/Macbooks irão rodar iOS.

      • sidney

        tem sentido, afinal existe um outro rumor de macs com processadores ARM. ligando uma coisa a outra…no futuro teremos uma 'biodiversidade' maior no hardware com certeza, visto que as novidades que surgem sempre se somam aos produtos atuais. eu gostaria de ler um artigo sobre 'reciclagem de produtos' : boas idéias do passado que poderiam ser úteis hoje em dia,mas por uma razão ou outra cairam no esquecimento…até alguem relança-las…
        fica a sugestão de artigo para o zumo ou mesmo qualquer um que leia este post.

  • Pingback: HP confirma notebook DM1Z com AMD Fusion para o Brasil()