Apple: o que eu quero no iPhone 3.0

A

iphoneos

Minha lista pessoal de coisas a esperar no novo software do iPhone 3.0, a ser anunciado na semana que vem (é só uma prévia), entre melhorias, novos recursos e novos aplicativos. Sei que nem todos meus desejos serão realizados, mas vai que dou sorte. Veja a lista depois do clique:

1) Copiar e colar: até os celulares com Windows Mobile fazem isso.

2) Multitarefa: oi, dá pra rodar mais de um programa por vez e poder alternar entre eles? obrigado. o que existe hoje é muito limitado entre alguns aplicativos.

3) Um cliente de e-mail melhorado: que pelo menos agrupe as mensagens do mesmo tema.

4) Poder usar o iPhone como modem

5) Bluetooth de verdade: não só pra usar aqueles fones ridículos de pendurar no ouvido. Bluetooth para trocar arquivos e usar o iPhone como modem; Bluetooth estéreo para ouvir música em outros dispositivos.

Leia mais no Zumo:
>>>Novos celulares da LG no Brasil são todos com tela sensível ao toque
>>>Apple encolhe o iPod shuffle de novo (gadget sai em maio no Brasil)
>>>iTunes 8.1 permite que amigos controlem o som da festa pelo iPhone

6) Mapas com direções: Google Maps é bacana, mas não fala a rota que você precisa. Esse vai ser o grande próximo passo em software no iPhone, pode apostar: até hoje só sei de um programa que faz isso (e só para os EUA), o G-Map.

7) MMS (mensagens multimídia): esse é o tipo de coisa que Jobs deve achar ridículo, mas tem gente que sente falta.

8 ) Gravar vídeo com o iPhone. Não quero alta resolução, quero um aplicativo que sirva pra filmar o aniversário da minha sobrinha e possa mandar pro YouTube.

9) Com tudo isso, precisa também de melhor gerenciamento de bateria (afinal, estamos falando de software, não de hardware: a bateria mais poderosa fica para o próximo iPhone, né?)

10) Poder usar o iPhone como disco externo sem precisar de programas de terceiros (tks, Atilac!)

Pedido bônus: Flash. Mas aí é pedir demais, dona Adobe?

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos