ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Amazon libera venda do Kindle Touch 3G para o Brasil

A Amazon.com anunciou hoje que liberou a venda do seu leitor de e-books Kindle Touch 3G para 175 países, incluindo o Brasil, a partir do próximo dia 27 de abril.

De um certo modo, o Touch 3G é o sucessor do Kindle 3G Global Wireless lançado originalmente em julho de 2010 e que foi o primeiro a ser oferecido para o mercado internacional — Brasil na lista. Na época, a Amazon nos enviou um para testes.

E assim como seu antecessor, o Kindle Touch 3G vem equipado com uma tela de E-Ink de 6 polegadas sensível ao toque (duh!) com resolução nativa de 600 x 800 pixels a 167 ppp e capaz de reproduzir até 16 níveis de cinza. Equipado com 4 GB de memória interna (não expansível), a empresa afirma que ele é capaz de armazenar localmente até 3 mil livros fora o espaço de armazenamento gratuito (para o conteúdo da Amazon) no serviço de cloud da empresa. Ah sim: a interface com o usuário agora é multilingual com opção de português brasileiro (uia!)

Entretanto o grande atrativo desse modelo é que o usuário tem acesso automático e gratuito ao site da Amazon.com via rede 3G, o que permite que o consumidor adquira e baixe novos títulos de maneira simples e descomplicada. A grande sacada nesse caso é que esse sistema vai funcionar em qualquer um dos 175 países anunciados pela Amazon. Entretanto, a empresa alerta que o recurso de navegar na web só funciona com o aparelho conectado via Wi-Fi (já presente no hardware) e que as coleções de livros podem ter restrições de acordo com o mercado — alguns títulos podem não estar disponíveis.

Os interessados em adquirir esse produto no Brasil devem antes de mais nada, visitar a página do produto e verificar se sua localidade é coberta por um provedor de acesso 3G que tem acordo com a Amazon. Para isso, a livraria oferece uma ferramenta on-line que facilita essa consulta. Note que esse Kindle 3G também vai funcionar em redes 2G (EDGE/GPRS), só que o download de conteúdo vai ser um pouco mais lento.

Caso o consumidor esteja dentro da área de cobertura, basta colocar o produto no carrinho e fechar a compra. Na simulação que fizemos hoje (28 de março) a empresa prevê a entrega na porta do destinatário na cidade de São Paulo no início de maio porque ele ainda não foi lançado. No geral, esse tempo leva em torno de dois a seis dias.

E como ele conseguiria isso? Pela nossa experiência, a Amazon não despacha essa mercadoria pelo correio regular (USPS) e sim via transportadora do tipo FedEx (Priority International Courier) que, além de trazer para o nosso País, já faz todo o serviço de desembaraço do produto na alfândega brasileira, inclusive pagando todas as taxas de importação. De fato, observe que no pedido acima o consumidor além de pagar US$ 189 pelo Kindle Touch mais US$ 21,98 de frete, o consumidor já paga antecipadamente um valor calculado em US$ 200,68 referente a essas taxas. Assim, o preço final do produto para nós, sairia hoje por US$ 411,66 ou R$ 751,03.

Vale a pena observar que essa taxa de importação que a Amazon cobra antecipadamente é uma estimativa, de modo que, caso falte uma grana a Amazon completa o valor e depois cobra a diferença no cartão de crédito do cliente, caso sobre um troco o valor também é devolvido/estornado também pelo mesmo sistema.

Esperamos que esse preço seja menor quando a Amazon chegar oficialmente ao Brasil.

Achou caro? Bom, na época do anúncio do primeiro Kindle 3G liberado para o Brasil essa mesma compra (obviamente com o modelo antigo) saía por US$ 585,32 ou R$ 1.066,92, segundo a cotação de hoje.

Como dissemos acima, esse novo Kindle Touch começa a ser comercializado no final de abril, mas as encomendas já podem ser feitas a partir de hoje. [dica da Anna]

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Marvels

    é para rir mesmo…

  • Rodrigo H.

    É, pelo jeito só vou comprar meu kindle quando a Amazon abrir oficialmente por aqui.

  • 100% de taxas sobre um produto. é pra chorar. :/

  • paivacwb

    Sinceramente não entendo essa taxa, não deveria ser 60% do valor do produto, como a taxa é de mais de 100%???

    • drbambei

      As taxas vêm em cima do valor FOB, que é o valor do produto + frete. Fica bem mais caro. E ainda tem como plus, o IOF sobre o pagamento do dólar no cartão, 6,38% e mais a variação do dólar até o dia de fechamento da fatura e…. mais nada. Chega né?

    • edivaldo_ma

      É 60% sobre o valor do produto + frete. e depois vem o ICMS de 18% e acho que pis e cofins…

      • Mjscaruaru

        Acho que só era pra cobrar o 60 porcento, é isso o que eu pago quando compra lá fora.

  • Rafael

    E aquela jurisprudência sobre os Kindle terem o mesmo status de importação que livros e portanto serem imunes a impostos e taxas?

    • mnagano

      Deve estar no fundo da mesma gaveta onde esconderam aquela redução de impostos para tablets.

      • Me lembrei de Zeca Pagodinho

        "vc sabe o q é caviar, nunca ví, nem comi, eu só ouço falar"

        podia ser musica tema da MP dos Tablets. :/

  • TharAlow

    Qual a fórmula para chegar a este valor de taxas? Acho que além dos impostos reais, tem taxas das empresas junto. Compensa mesmo comprar por fora e esperar. Se for barrado, vai lá e paga menos que estes $200,00.

  • Dude!

    Eu comprei um Kindle no ano passado e a impressão é que eles chutam pro alto o valor das taxas como uma "garantia". Um tempo depois da compra eu recebi um estorno de mais ou menos 20% do valor total.

  • Pingback: Brasil poderá comprar o Kindle Touch 3G. Venda é liberada pela Amazon para 175 países | TargetHD()

  • Pingback: Leitor Kindle Touch chega ao Brasil com 3G e "falando" português - Mfit()

  • Maria

    Eu havia lido que leitores de livros (tablets não valem, pois têm outras funções incluidas) estariam livres de imposto, pois seriam "livros". Teve até alguém que entrou na justiça e ganhou a causa.

    • mnagano

      Até onde eu saiba, leitor de ebooks passa batido na revista do aeroporto desde que se comprove que ele serve apenas para isso, ao contrário dos tablets.

  • não adianta chorar, galera. como diz o governo, essa taxa toda é para "gerar empregos", "proteger nossa indústria", e vale mesmo que ela não produza nada.

    • Marvels

      se pelo menos a "nossa industria" e o "nosso comércio" e junto com o "nosso governo" tivesse preços justos, eu concordaria…. sei que vc está criticando, não estou ti criticando, só estou completando.

  • Estou já tem um tempo com um Kindle 3G (agora promovido à Kindle Keyboard 3G), e consigo usar a Whispernet tanto pra compras na Amazon quanto pra navegação no navegador (duh) experimental do aparelho.
    O que não consigo fazer pela whispernet de graça é mandar conteúdo particular pro gadget (como usando a impressora virtual da Amazon que manda conteúdo automagicamente pro Kindle), baixar audiobooks ou updates de sistema, isso exige acesso wi-fi.

    Navego direto nele (por causa da leitura em e-ink e o peso do gadget agradarem mais que o iPad) e até agora não tive cobranças por isso. 🙂

  • Anti Brasil

    pqp Brasil q vergonha! é pra n estimular leitura pra continuarmos sustentando toscos como politicos, ladroes empresarios, thor's e por aí vai.

  • Pingback: Kindle Touch 3G chega ao Brasil « Blog Marcos L. Mucheroni Filosofia, Noosfera e cibercultura()

  • Pingback: Descontos agressivos no Positivo Alfa: o que eles significam? « « Site da Educação Site da Educação()

  • wesley

    porra, por esse preço ai, prefiro um tablet, infelizmente vendem o negocio como se fosse um notebook