Ainda o Zink

A

Zink: com superfí­cie adesiva

OK, o conceito da impressora portátil da Polaroid é interessante, mas a tecnologia de impressão é mais ainda. A Zink (Zero Ink Printing) é responsável por desenvolver o método de impressão sem tinta, baseado no Zink Paper: cristais de pigmento nas cores ciano, amarelo e magenta dentro de um material protegido por uma camada de polí­mero do lado de fora. í€ primeira vista, parece papel fotográfico convencional, porém os dispositivos de impressão usam calor para ativar e tornar coloridos os cristais de pigmento, criando as fotos.

(Isso tem a maior cara de impressão via dye sublimation e eles deram outro nome metido a besta, não?)

Nagano comenta: Me parece que o Zink utiliza uma tecnologia parecida com o PrintPix, desenvolvido pela Fujifilm já faz alguns anos. Ele também utiliza um papel especial que, quando exposto í  luz ultravioleta, ativa certas partí­culas de pigmentos contidos na própria mí­dia que surgem como pontos coloridos num fundo branco, resultando numa foto em cores com qualidade de foto de minilab. Uma das vantagens desse sistema é que, ao contrário do dye sublimation, ele não produz resí­duos sólidos – como cartuchos de tinta – o que soa como música no ouvido dos ecologistas. Entretanto, ele nunca entrou no mercado doméstico devido ao seu custo de impressão, ficando apenas no setor de serviços, especialmente em foto-identificação. O que a Zink pode ter conseguido é chegar numa solução viável em termos de custo.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o criador do ZTOP e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

+novos