ZTOP+ZUMO

Adeus, Galaxy Note 7

O Samsung Galaxy Note 7 é o super smartphone que não foi. Com seu breve histórico mundial de explosões, o aparelho vai sair de linha – uma pena.

O Note 7 – pelo menos pra mim – foi a prova da evolução de design e tecnologia da Samsung.

Esse processo começou ano passado com o Galaxy S6 edge / S6 edge plus e se consolidou com o Galaxy S7 edge neste ano (não à toa, é um dos aparelhos favoritos deste ZTOP em 2016).

O Note 7 unia a tela curva da família Edge ao modo foblet (smartphone+tablet) com canetinha dos Note anteriores. Câmera boa, segurança protegida por íris do usuário, mais o desenho industrial incrível.

E agora já era. As explosões da primeira leva fizeram a Samsung fazer um recall mundial do produto – o Brasil não estava na primeira leva de lançamentos, logo não foi afetado (só a mídia especializada estava testando o aparelho, e teve que devolver rapidinho).

Desta vez, a Samsung pediu (ontem, 10/10) para seus parceiros (varejo, operadoras) suspender as vendas dos Note 7 com a falha explosiva corrigida – ao menos cinco aparelhos “novos” explodiram na última semana.

Os consumidores que possuem um Galaxy Note 7 original ou um Galaxy Note 7 substituído devem desligar e parar de usar o dispositivo. A companhia destaca que o produto ainda não foi comercializado no Brasil“, diz a Samsung, em comunicado oficial.

Agora pela manhã, a mídia internacional (Bloomberg, Verge, WSJ) informa que a Samsung interrompeu a fabricação do Galaxy Note 7. A notícia se confirma no site de relações para investidores:

“Samsung Electronics Inc. anunciou hoje que está temporariamente ajustando a escala de produção do Galaxy Note 7 para tomar passos mais eficientes para garantir segurança e qualidade.

A companhia irá fornecer um anúncio sobre o tema quando tiver novas informações ou daqui a um mês”

É a morte prematura – e veloz – de um smartphone global. Nesses anos todos nesta indústria vital, já vi problemas afetarem novos produtos, mas não me lembro de produtos descontinuados em tempo tão rápido.

Motivos para um smartphone explodir (em inglês)

Me lembro agora o terrível Motorola ROKR (feito em parceria com a Apple, mas só tinha capacidade para 100 músicas e sua configuração era um horror), o esquecível Microsoft Kin, a venda da Nokia para a Microsoft (brincadeira, essa pegadinha durou mais tempo) ou do Skype para a Microsoft (um produto que existe no limbo, mas que infelizmente as pessoas se acostumaram a usar). Teve um recall da Nokia de 46 milhões de aparelhos em 2007. Motivo? Baterias explosivas.

O fim prematuro do Note 7 é uma dor de cabeça enorme para a Samsung. Afirmar que vai “suspender temporariamente” a produção é dourar a pílula. O Note 7 não tem mais volta, infelizmente.

Fora o custo do recall mundial e o que fazer com o estoque de produtos parado nas fábricas. E o valor da imagem arranhada da marca para as próximas gerações de produtos: se o S7 era incrível, mas o Note 7 explodia, como será o S8 no ano que vem? Tempo, verba de marketing e muito investimento em pesquisa e desenvolvimento darão as respostas.

samsung galaxy note7 - 31 samsung galaxy note7 - 19 samsung galaxy note7 - 17 samsung galaxy note7 - 16

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • Luis Henrique 11/10/2016, 08:22

    Números explosivos.

  • Comentário Mil Grau℗ 11/10/2016, 13:38

    Um dos smartphones mais bonitos que já vi acabar dessa maneira precocemente. É Samsung, tu vai ter que ralar muito pra limpar essa imagem, por isso não era pra ter pulado o número do celular, se fosse Galaxy Note 6 nada disso teria acontecido!

  • Ligeiro 11/10/2016, 19:08

    O Samsung Note 7 é meio que o Ford Pinto dos celulares. Com o perdão do comparativo, viram pessoal de RP da Samsung e da Ford? 🙂