ZTOP+ZUMO

Stephen Elop, CEO da Nokia: “concorremos com a Apple e o ecossistema da Samsung”

Stephen Elop, executivo-chefe da Nokia, foi o homem que fez a transição de uma companhia que errou muito em estratégias de internet e perdeu o bonde da história dos smartphones para um novo mundo onde a Nokia não controla mais o sistema operacional, mas somente o hardware (e um tanto de software com apps próprios).

De passagem pelo Brasil para anunciar a chegada em 2013 dos Lumia com Windows Phone 8, Elop falou durante 50 minutos com a imprensa local (na foto acima, Almir Narcizo, diretor-geral da Nokia Brasil, ao lado de Stephen Elop, com os novos Lumia nas mãos). 

Selecionei os principais trechos da conversa:

Sobre o estado da Nokia hoje: “Em fevereiro de 2011, falei sobre três importantes pilares para a Nokia. O primeiro era a mudança para trabalhar com a Microsoft no Windows Phone.

O segundo, nos telefones móveis e como levar a internet para o próximo bilhão de pessoas. O Brasil é parte disso, e tem gente que precisa de uma primeira experiência com a internet com preços competitivos. Por isso criamos a marca Asha, que já tem 12 produtos e é muito bem-sucedida, incluindo o mercado brasileiro.

O terceiro pilar é das disrupções futuras e o modo como modificar os aparelhos móveis. Exemplos disso estão na tecnologia Pureview e no modo como nos diferenciamos dos outros. Fazemos isso por design de produto. Você sabe que é um Nokia. Outra coisa em andamento é o uso de serviços de localização, quando o aparelho sabe onde você está, qual transporte quer usar, quais os pontos de interesse ao seu redor. Nós e o Google estamos fazendo isso, a Apple começou a entrar nessa área agora, e eles têm muito trabalho a fazer, incluindo no Brasil. (citando os problemas com os Apple Maps do iOS 6)

Queremos garantir que nos diferenciamos de todo o resto, e é assim que vamos competir. Nos primeiros seis meses deste ano entramos com mais pedidos de patente desde 1997″.

Sobre o Brasil e os novos aparelhos: “Vim encontrar desenvolvedores, operadoras, varejistas e funcionários da Nokia Brasil, e dizer o que temos que fazer para termos sucesso, ajudar a equipe com os lançamentos futuros, já que temos muitas coisas vindo por aí. O Lumia 920 e o Lumia 820 chegam no primeiro trimestre de 2013, o 920 é nosso smartphone mais inovador, com capacidades incríveis, como a câmera que funciona bem com pouca luz. Todo mundo tira fotos borradas com seus smartphones. Mas teremos mais detalhes sobre o Windows Phone 8 na próxima semana.

O lançamento do Windows 8 e do Windows Phone 8 trazem muita energia. Estamos fazendo nosso melhor trabalho, e é o melhor que a Nokia já fez até hoje. Estamos orgulhosos da diferenciação que temos”.

Sobre apenas a Apple e a Samsung terem lucros em smartphones atualmente: “Concorremos com a Apple e com o dinheiro da Samsung. É um ambiente muito competitivo de smartphones, e a Apple e o Android, quer dizer, o ecossistema da Samsung que se tornou grande no ano passado. Temos a crença de que a existência de um terceiro ecossistema nos smartphones traz benefícios aos consumidores, operadoras e ao varejo. Nós ouvimos muitos desenvolvedores reclamarem que o Android tem muita fragmentação e problemas para trazer dinheiro. Nosso desafio hoje é como tornar isso em lucro.

As operadoras também não querem duas grandes concentrações de sistemas, e precisam de outros participantes para ter êxito. E vamos gastar mais dinheiro de marketing para promover os Lumia. E, claro, novos aparelhos estão a caminho.

Sobre Windows Phone em outros fabricantes: “Tenho que lembrar que a Nokia tem a postura de desafiador na plataforma Windows Phone. Precisamos fazer que o consumidor pare de comprar Android e Apple – isso não é uma guerra de hardware – e quanto mais gente fizer Windows Phone, melhor. Veja no Android: alguns fabricantes, como a HTC, criam produtos lindos e diferentes da Samsung, mas não conseguem ganhar. Essa disputa não é apenas sobre hardware. O consumidor percebe que tem algo de diferente ali, o hardware é melhor, mas mesmo assim não vende”.

Além da presença de Stephen Elop, os novos Lumia 920 e Lumia 820 estavam lá. Mas como a Microsoft não fez o anúncio do produto ainda (será no dia 29, em San Francisco), não foi possível mexer nos aparelhos – somente ver de longe ou na mão dos gerentes de produto da Nokia Brasil.

O Lumia 920 tem uma tela linda e grande (nada de demos da câmera ou do sistema operacional), e segue a mesma escola de design do N9/Lumia 800/Lumia 900: corpo único em policarbonato colorido e tela levemente curvada nas bordas. Note que o botão Windows, no meio da parte inferior da tela, segue o padrão Windows 8.

Na lateral, os botões de câmera, liga/desliga e controle de volume…

Abaixo, o conector microUSB (e alto-falantes estéreo!).

E, no topo do aparelho, o conector padrão 3,5 mm para fone de ouvido/microfone e o slot para o microSIM da operadora (note, no aparelho amarelo, que será preciso usar uma ferramenta especial estilo-iPhone para remover o SIMcard).

E este é o Lumia 820, que será fabricado por aqui e vi demos da câmera e de alguns apps de fotografia (incluindo um para fazer… gifs animados!). A Nokia disse ainda que vai trazer toda a linha de acessórios de som (com conexão NFC) da JBL (como essa caixa que vi na IFA 2012) e de carregadores sem fio para os novos Lumia, como o apoio vertical (branco acima) e o ‘travesseiro-carregador’ Fatboy (em vermelho nas fotos acima com o telefone branco).

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin