2011: e se a Nokia…

2

Um debate curioso acontece em torno do futuro da Nokia. Lá fora, blogs especializados de respeito questionam se a Nokia deveria adotar o Android, se a Nokia está mais viva do que nunca ou vai morrer e nada pode mudar esse cenário.

Não acredito que todos os lados estão certos – cada um tem, ao menos, um ou dois pontos que fazem sentido na discussão (Scoble fala da importância dos aplicativos, Tomi explica muito bem a questão do market share).

Pensei em meia dúzia de coisas que, sei lá, podem fazer sentido num futuro próximo da companhia. Ei, Nokia, você está na escuta?

1) Morte ao Symbian, vida longa ao Ovi OS. Symbian morreu. Gastem alguns tostões em marketing pra reposicionar seus novos aparelhos com Symbian, ops, Ovi OS. Dêem a eles atualizações contínuas de sistema operacional (isso já está prometido). O que é Symbianˆ3, ˆ4 e afins vira Ovi OS. O que vier com sistema S40 (os mais básicos da linha) vira Ovi OS Lite.

2) E o MeeGo? Meego vira Ovi OS Plus, Top, Super, X, Z, Y. Algo pra mostrar que é o melhor que a Nokia pode oferecer ao consumidor.

3) Por que tudo isso? Acaba com a confusão de marcas e sistemas, unificando tudo sob um guarda-chuva de marketing global. Tudo bem que acredito que 85% das pessoas ignorem qual OS rode em seu celular, mas ter uma marca só (e não S40, S60, Symbian, Maemo, Meego) deixa tudo mais fácil. Incluindo comparar com iOS, Android e Windows Phone 7.

4) E por que Ovi? É a marca de serviços de internet da Nokia, que teve seus acertos (notadamente os serviços de mapas e músicas) e erros nos últimos anos. Mas Ovi é só um chute meu. Pode ser qualquer termo doido finlandês mesmo (zumo = suco = mehu, por exemplo – e se usarem, me paguem royalties pela ideia, hein?).

5) E o Android? Concordo em alguns pontos com o cara do CellOuts. Pode ser hardware projetado pela Nokia com software Android sem necessariamente ter a marca Nokia. Que tal um protótipo high-end com a Vertu? Não associa com a marca e dá uma baita experiência pro comprador de luxo. Ou uma marca nova, independente da Nokia? (Ok, alguém vai falar que rola uma canibalização de mercado). Antes um Android Nokia sempre com os mesmos botõezinhos no lugar que a festa do caqui atual em que cada fabricante faz uma coisa.

6) Algumas ideias da concorrência são boas, e vale copiar. Como anunciar um produto e botá-lo nas lojas um ou dois dias depois. É  um inferno logístico, mas dá um prazer enorme pro early adopter e pros “formadores de opinião”.

É isso. São ideias doidas que coloquei aqui para incentivar o debate. Se a Nokia tem algo assim em mente, não sei mesmo. Acredito que, em 2011, o MeeGo pode mudar muito esse cenário. Espero que a Nokia cumpra suas promessas (eu não sou o único otimista do pedaço).

E, pros pessimistas, ainda acredito que outras marcas têm maiores problemas do que a Nokia no mercado de smartphones. Isso é tema pra outro post…

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos