2 horas com Samsung Galaxy Buds

2

Ontem, durante o lançamento dos smartphones Galaxy S10 e do anúncio distante do dobrável Galaxy Fold, ganhei um par dos novos fones Galaxy Buds. Eles são a nova geração do Gear IconX, um favorito pessoal.

O conceito do Galaxy Buds é exatamente o mesmo do IconX. São fones de ouvido sem fio, com conectividade Bluetooth, que vêm em uma caixinha plástica usada para recarregar a bateria dos fones.

São duas as grandes diferenças para o IconX: o Galaxy Buds não tem armazenamento interno para músicas (logo, precisa de um smartphone companheiro o tempo todo – no IconX era possível sair para se exercitar ouvindo música e deixar o telefone em casa) e, além do conector USB-C, o Galaxy Buds tem recarga sem fios (e pode ser recarregado, se necessário na traseira de um Galaxy S10 ou S10+).

Enquanto escrevia o post do Fold ontem, resolvi usar os Buds para ter as primeiras impressões. Eles vêm em uma caixa pequena, toda em branco (imagino que a cor da caixa seja equivalente à cor do fone: branco, preto ou amarelo limão fosforescente).

Dentro da caixa, o case com os fones e uma proteção em papelão para o cabo USB–C e as borrachinhas adicionais para prender os Buds ao ouvido.

Este é o case branquinho do fone…

…. e ao ser aberto revela os fones. Não estou com o IconX aqui, mas os Buds são bem mais leves (tanto dentro do case como individualmente).

Fiz um pequeno teste e nem troquei a borrachinha do fone, a que veio encaixou direitinho no meu ouvido.

Na hora de parear, as instruções diziam – se você tem um aparelho Galaxy, use o app SmartThings. Se não, leia o QR Code e baixe o app correto. Liguei o Bluetooth do smartphone, abri o SmartThings e pronto, conectado. Na sequência o app Galaxy Wearable foi aberto e atualizado (tanto no app como o firmware do Galaxy Buds).

Os recursos e comandos do Galaxy Buds são similares aos do IconX, com uma interface de toques para comandar músicas, atender ligações etc. Não tem a opção de aumentar volume. Para ajustar volume ou trocar funções, basta usar o app Galaxy Wearables (descobri isso depois(.

Usei os fones por quase duas horas. A bateria estava carregada 100% ao tirar da caixa. A qualidade é boa, muito parecida com a do IconX, graves decentes e som bastante nítido. A Samsung diz que os fones têm bateria interna com duração de até seis horas – esse é um teste que vou demorar um pouco mais para fazer. Como os fones se recarregam ao voltar para a caixinha, acabei sem notar quanto gastou de bateria nesse período.

Fiquei com o Galaxy Buds em uso no hotel (ótimo som), num café (ativei a redução de ruídos para eliminar um pouco do barulho – a Samsung chama isso de Som Ambiente). Na rua, caminhando contra o vento terrível do microclima de San Francisco, desativei o Som Ambiente pois ouvia mais vento que música.

Os Galaxy Buds custam US$ 129 nos EUA, sem data de lançamento pro Brasil ainda (imagino que junto aos S10, já que aqui nos EUA são um brinde na pré-venda do produto).

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

Disclaimer: o ZTOP+ZUMO tem links de afiliados com a Amazon e pode ser
remunerado caso você clique em links neste artigo e compre algo.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos