18 fatos sobre o Nokia 5800 e a Nokia Music Store

1

nokia-5800-cwm_marcelo-d2

Como vocês sabem, foi hoje o lançamento oficial do 5800 Comes With Music no Brasil – aparelho que este Zumo já tem desde que ele se chamava 5800 Xpress Music. E a novidade trouxe fila para a frente da Nokia Store SP, que fica na Oscar Freire – 15 aparelhos foram vendidos em menos de 10 minutos, segundo Luciane Matiello, diretora de marketing da Nokia no Brasil. Sem contar as “algumas centenas” de unidades que já tinham sido encomendadas na pré-venda da loja virtual.

Confira agora alguns “fun facts” (alguns, não tão fun assim) sobre o 5800 e a loja de música da Nokia que ficamos sabendo durante o evento de lançamento.

Henrique, pós-NDS09, comenta e complementa algumas informações, ok?

  • O 5800 Comes With Music chega primeiro ao Brasil nas Américas. Estados Unidos, México e Canadá ainda não têm o serviço de downloads gratuitos associado ao celular.
  • Isso aconteceu porque já somos o 8º mercado para a Nokia, na frente de países como Itália e Espanha.
  • O aparelho, com cartão de 8 GB (expansível até 16 GB) vai custar R$ 399 no plano Brasil 250 da TIM (R$ 156,90/mês com 250 minutos de conversação), mais a contratação de um plano de dados de velocidade de 300 Kbps. Se o plano for de maior velocidade, o aparelho fica mais caro (consulte a operadora e seus preços antes de comprar).
  • A exclusividade da TIM é de 5 semanas.
  • A operadora vai dar dois meses de dados de graça para o usuário experimentar a Nokia Music Store. Depois, o plano de dados sai por R$ 49,90/mês (na versão ilimitada de 300 kbps).
  • Desbloqueado, o 5800 sai por R$ 1.699 na loja virtual da TIM e por R$ 1.799 na loja virtual da Nokia. O serviço Comes With Music está ligado ao aparelho, não à operadora.
  • Off-topic: ainda falando em TIM, a operadora mudou seu slogan de Vida sem Fronteiras para Você sem Fronteiras. Não tinha reparado.
  • Além do Brasil, a Nokia Music Store foi lançada hoje também na Austrália, Itália, Singapura, Suécia e Reino Unido.
  • Temos 3,6 milhões de arquivos de música disponíveis em formato WMA na nossa versão do serviço (www.music.nokia.com.br). A maior parte é composta de conteúdo local.
  • Dá para escutar 30 segundos de cada música antes de fazer o download.
  • Principais parceiros: BMG, Som Livre, Warner, Som Livre, Building Records, Tratore, Deckdisc, ST2.
  • O download será ilimitado e gratuito durante 12 meses após a compra do aparelho. Como disse Liz Schimel, vice-presidente de Música da Nokia, o esquema é “all you can eat”, ou o nosso self-service.
  • O download, protegido por DRM, vale para um aparelho e para 1 PC. Mas se o PC der pau, ou você trocar de aparelho (por outro modelo da linha de música), vai poder recuperar o que já baixou.
  • A Nokia espera ajudar a Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD) a combater a pirataria no Brasil. “O preço (de R$ 1.799) é irrisório se você pensar na quantidade de música que pode baixar, e que um CD custa em média R$ 40. Estamos trazendo o mundo oficioso para a legalidade”, disse Almir Narcizo, presidente da Nokia no País. “Ganham as gravadoras, os artistas, a Nokia, porque faz uma coisa diferente dos outros, e o consumidor, que passa a ter acesso a uma experiência interessante, rica, dentro da lei, livre de vírus.”
  • Para renovar a assinatura depois dos 12 meses, usuário terá de comprar outro aparelho de música da Nokia ou baixar arquivo a arquivo, pagando individualmente. A empresa estuda um sistema de renovação, mas alega que o ciclo de vida dos aparelhos por aqui é de 1 ano.
  • Hoje, a assinatura de serviços de música para telefones móveis já representa um mercado mundial de US$ 8 bilhões, ou 30% do mercado de celulares.
  • Talvez por isso mesmo, Liz deixou bem claro que essa estratégia representa a entrada da Nokia no mercado de música. Ou seja: a Nokia atua em uma nova área de negócios agora. Como a Apple.
  • E agora, uma má notícia: se você tem um aparelho de música da Nokia, não vai poder entrar no Comes With Music e se cadastrar – pelo menos, não por enquanto. A empresa ainda estuda a possibilidade de liberar o serviço para outros novos modelos de celulares que não o 5800.

Sobre o autor

Renata Mesquita

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos