ZTOP

Zumo está no IDF 2008

(Pré) IDF Fall 2008: Enquanto esse Zumo passou por sérias dificuldades técnicas ficando fora do ar por vários dias, o editor de testes deste Blog saiu de fininho do país e, a convite da Intel, foi parar em São  Francisco, Califórnia, para cobrir a edição de outono do Intel Developer Forum 2008.

O evento começa amanhã (19/08), mas hoje já haverá o tradicional dia da imprensa, onde o pessoal de pesquisa e desenvolvimento da Intel irá mostrar alguns de seus trababalhos na área da computação visual, sensores e computação baseada no contexto (context aware computing). Além disso haverá uma pequena exposição com 12 demos de trabalhos desenvolvidos pelo grupo de P&D ao lado de seus respectivos pesquisadores no melhor estilo feira de ciências (yay!).

Com relação à viagem aos EUA, sempre aprendemos alguma novidade, começando obviamente no Brasil,  onde o pessoal da Polícia Federal sempre atualiza seus critérios de avaliação sobre o que deve ou o que não precisa ser declarado no seu formulário de saída temporária de bens.

No ano passado topamos com as regras mais duras que já vimos onde era obrigatório a apresentação da nota fiscal/recibo de compra do produto, mesmo que ele tenha sido adquirido no exterior. A idéia pode ser boa, mas foi um tormento para aqueles que estão sozinhos no aeroporto, não moram em Guarulhos e têm saída marcada para menos de uma hora.

Agora as coisas voltaram ao que era antes e algumas regras também foram atualizadas. Por exemplo, câmeras digitais de até 8 megapixels não precisam ser declaradas, e o mais curioso: notebooks com Windows XP pré-instalado também não precisam ser mais declarados, independente da sua origem. Do mesmo modo, qualquer portátil com Windows Vista precisa ser declarado.

Vale a pena notar que não adianta o usuário de uma máquina com Vista simplesmente fazer um downgrade para XP, já que a inspeção é feita por aquele selo de licença da Microsoft colado no computador e não inicializando o sistema.  Fico imaginando como ficam os usuários de Linux nessa história (ou os de Mac!).

Abaixo mais algumas orientações do pessoal da Receita Federal sobre esse assunto:

Zumo viajou a convite da Intel.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Oi Nagano!

    Curioso, acabei de voltar de SF, e fui pra lá com um notebook com Linux na bagagem. Assim como você, fiquei surpreso ao ver que notes com XP não precisam mais ser declarados, mas me pergunto: como fica a situação dos novos “mini-notes” que vem com XP como o MSI Wind, Acer Aspire One, EeePCs novos e outros?

    No meu caso, como o sistema não era Windows (EeePC 701 com Xandros, nada de selinho da MS no gabinete), eu teoricamente precisaria declarar. Mas como estava portando a nota fiscal do produto (adquirido aqui no Brasil), escapei da burocracia. Fica a dica: com a nota na mão você economiza tempo na fila. Em tempo: só a original vale, nada de cópias.

  • miguelakira

    Acredito que o motivo pelo qual os notebooks com XP não precisam mais ser declarados é porque a Microsoft recentemente anunciou que não iria mais vender o seu antigo SO.

    Talvez o pessoal da receita acredite que desse modo qualquer notebook com o XP foi adquirido em tempos idos, portanto não precisam ser declarados =P