ZTOP

ZTOP explica: Como identificar um Core iX de 3a geração?

Core i5 ou i5

Ao contrário do que aconteceu na época da transição dos processadore Core iX (embaixo) de primeira geração (Nehalem) para o de segunda (Sandy Bridge),a Intel não vai mudar o selo do produto com a nova geração Ivy Bridge.  Essa informação foi confirmada por fontes do mercado local que informam que, no máximo, o pessoal de Santa Clara irá colar uma etiqueta do tipo “Novo Modelo!”  nas embalagens dos seus novos chips.

Assim, a maneira mais simples e garantida de diferenciar o Ivy Bridge do Sandy Bridge é ver o número de modelo (Model Number) do processador, aqueles quatro dígitos que identificam as especificações do processador logo após o iX.

Segundo o sistema de identificação de processadores da Intel, Core é a marca do produtoi3, i5 e i7 é o seu diferenciador (Brand Modifiers), seguido pelo número do modelo. Desde o Sandy Bridge,esse indicador passou de três para quatro dígitos, sendo esse novo número (mais à esquerda) sendo usado para identificar a geração do produto (Gen Indicator).

Assim, como já vimos no post do lançamento desse novo chip, todos começam com o dígito 3 (de terceira geração — duh!)

E por que isso ocorre?  Meu palpite é que devemos olhar para o passado. Até então, a mudança do selo só ocorre a cada dois anos, época em que a Intel introduz uma nova microarquitetura, ou ano “Tock” segundo o seu calendário tiquetaqueano. Foi assim na transição do Nehalem para o Sandy Bridge e — na teoria — deverá ocorrer quando o Haswell for oficialmente anunciado em 2013.

Assim a transição do Sandy Bridge para o Ivy Bridge deveria ser apenas no seu processo de fabricação de 32 nm para 22 nm (ano “Tick”), mas com a introdução de novas tecnologias — em especial dos transistores trigate e a nova aceleradora gráfica HD 4000 — houve uma mudança tão significativa na sua microarquitetura que justificou chamá-la de nova geração — o que não foi o caso do Nehalem para o Westmere. Isso causou uma singularidade tecnológica que levou a empresa a chamar esse passo de ano “Tick Plus”  já que o próximo ano Tock já está reservado para o Haswell e com ele, um novo selo de identificação (?)

Por enquanto, melhor ficar de olho no número de modelo do processador para ter certeza do que está comprando.

Capisce?

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Paulo Vicolin

    Imagino o esforço de vocês e o tempo gasto para entender essa nomenclatura da Intel. Para o consumidor isso é totalmente ininteligível. Não adianta dizer que é fácil e que basta dedicar um tempo para entender. O consumidor tem sua profissão, suas atividades para fazer e o computador é uma ferramenta que vai ajudá-lo em suas atividades. Não é tarefa dele gastar tempo para entender tudo isso para saber o que é melhor pra ele. A Intel tem que simplificar isso para o consumidor. Até eu e meus colegas que trabalhamos com revenda parceira da Intel achamos toda essa inofrmação muita confusa para passar para o consumidor.

    • mnagano

      OK, então vamos tentar fazer uma síntese do resumo deste post:

      Para saber se um Core ix da Intel é o mais novo ou o menos velho basta olhar o número de quatro dígitos que aparece depois de Core i3 / i5 / i7 (por exemplo Core i7-3520). Se ele começar com "3" trata-se de um Ivy Bridge, se começar com "2" trata-se de um Sandy Bridge.

      • http://www.artficio.com.br yorgute_leitos0

        Tudun, TSSS!

  • Edy

    Só para confundir o usuário menos experiente e facilitar a vida dos picaretas de plantão.

  • J_unio

    Daqui a pouco será preciso fazer um curso pra diferenciar um modelo de outro.

  • souzabsb

    Essa estratégia e para não depreciar o modelo antigo. A intel deve ter um grande estoque de processadores de 2º geração, então o comprador "incauto" olha o selinho e pensa que aquele processador velho é atual.

    • mnagano

      Sim sim, concordo plenamente. De fato, para muitas tarefas do dia a dia, um Core 2 Duo ainda dá conta do recado, em especial aquelas últimas versões com núcleo Conroe/Wolfdale com FSB de 1.333 MHz.

  • mnagano

    Respondendo a dúvida do Dudu:

    Comercialmente falando, o Sandy seria o Core ix de segunda geração e o Ivy o Core ix de terceira geração.

    Se levarmos em consideração que o primeiro "Core" nasceu oficialmente em 2006 com o Core Solo/Duo (Yonah) ai o Sandy seria a quarta e o Ivy a quinta geração

    Agora, se vc considera o Intel 4004 de 1971 como a primeira geração, ai melhor dar uma olhada nesse site e fazer as suas contas, já que como todas as árvores genealógicas existem ramos que podem ou não serem levados em conta como o Atom, o Itanium, o Xeon e isso sem falar nos seus processadores RISC como o i960, StrongARM e XScale.

    http://www.intel.com/pressroom/kits/quickreffam.h….