ZTOP

Smartphone Positivo Ypy quer brigar com “xing-ling”

A Positivo quer brigar no mercado de smartphones de entrada e com os xing-lings da vida. Para isso a fabricante mostrou hoje sua linha nova de celulares e tablets, todos com a marca Ypy.

De qualquer modo, é uma manobra arriscada, já que são todos modelos Android que não terão nenhum tipo de atualização de sistema operacional, e a Positivo vai também concorrer – mesmo sem querer – com modelos de entrada de fabricantes já consolidados no mercado, como Samsung, LG e Nokia, por exemplo.

Curiosamente, o anúncio da Positivo na linha de smartphones foi feita por Germano Couy, atual vice-presidente de produtos de consumo da Positivo (empresa com ações negociadas em bolsa, por sinal) e ex-presidente da arqui-inimiga Megaware (de capital fechado).

O topo de linha é o Ypy S400 (preço sugerido: R$ 749), um modelo para dois chips SIM vem equipado com tela de 4,0″, 512 MB de RAM, 4 GB de memória de armazenamento, slot para cartão Micro SD (+ 8GB incluso), câmera traseira de 5 megapixels e frontal VGA, GPS, sensores de gravidade (acelerômetro), proximidade e luminosidade. Ele já vem com Android 4.0 “Ice Cream Sandwich” que roda sobre um processador dual-core (fornecedor não divulgado) e é compatível com redes 3G, Wi-Fi e Bluetooth.

Nagano comenta: O Ypy S400 lembra muuuito o ZTE Blade III (lançado em setembro de 2012). E se isso for verdade, o seu processador é um Qualcomm MSM7227A Snapdragon dual core de 1 GHz + GPU Adreno 200. Fora isso sua tela teria resolução de 480 x 800 pixels e sua bateria de íons de lítio é de 1.600 mAh.

Não espere ter Android 4.1 “Jelly Bean” ou qualquer outra atualização de sistema operacional para esse e os outros modelos.

Fora isso, além de já vir com Skype pré-instalado e o Google Play, o S400 também dá acesso à Loja Positivo, que oferece conteúdo próprio e de terceiros especificamente voltado para o público brasileiro.

A Positivo entra nesse mercado por dois motivos:

1) A Positivo dá a entender que entra em smartphones achando que consegue repetir sua  influência no mercado de PCs repetindo a fórmula. Desculpe, mas não é assim que a coisa funciona. 

É praticamente impossível obter lucro no concorrido mercado de smartphones – vide LG, Motorola, Sony Mobile, HTC e Nokia patinando e deixando apenas Apple e Samsung conseguir isso com aparelhos topo de linha. Turma de Curitiba, com um telefone “topo”de R$ 749 isso é impossível. O mercado já está saturado, e a Positivo será apenas mais uma (sem apresentar nada de muito diferente) na vitrine do varejão.

Para o consumidor, melhor juntar mais dinheiro e comprar um Samsung Galaxy S II Lite ou um LG Optimus L5/L7

2) conseguir participar de concorrências do governo, onde a Positivo consegue vender computadores como ninguém. Pelo menos agora tem tablets e smartphones para alguém de Brasília comprar em grandes lotes. 

3) Curiosidade minha: algum desses aparelhos é fruto da parceria com a Qualcomm anunciada em agosto?  Update: sim. Segundo a Qualcomm, o Ypy S400 usa um Snapdragon S4 dual-core e os Ypy S350/S350 Colors usam Snapdragon S1.

 

Já o Ypy S350 (preço sugerido R$ 459) é o Android de entrada da Positivo, um modelo com tela capacitiva de 3,5″, 512 MB de RAM, slot para cartão micro SD (acompanha um de 2 GB), câmera traseira de 3 MP, compatível com redes 3G, Wi-Fi e Bluetooth, acelerômetro e Android 2.3.5.

E como o próprio nome sugere, o S350 Colors (preço sugerido R$ 499) é praticamente o mesmo modelo acima…

… mas vêm com um cartão micro SD de 4 GB e duas capinhas adicionais nas cores branco e vermelho.

Fora isso, a Positivo também anunciou duas séries de messaging phones,  modelos capazes de navegar na web, trocar mensagens e acessar redes sociais, mas que rodam um sistema operacional proprietário e, por causa disso não baixam nem rodam apps. O primeiro modelos é o P100 (preto)/P101 (branco) com preço sugerido de R$ 219. Eles vêm equipados com tela de 2,31″, sintonizador de TV analógica, rádio FM e player de mídia (MP4), slot para cartão micro SD (+ 2 GB incluso), câmera traseira de 1,3 MP.

Curiosamente ambos os modelos se comunicam apenas por redes EDGE ou Bluetooth 3.0 e aceitam até três SIM cards ao mesmo tempo.

Já o P200 (preto)/P201 (branco) é um modelo similar, porém equipado com uma câmera traseira de 3,2 MP e conectividade com redes Wi-Fi. Seu preço sugerido é de R$ 269.

A previsão é que todos esses modelos cheguem ao mercado (leia-se varejo) a partir da segunda quinzena de novembro.

Ainda em tempo:

Com relação aos tablets, a nova geração de tablets Ypy agora está disponível em dois modelos com telas de 10″ e 7″ com Android 4.0 em português.

Em ambos os modelos a plataforma é praticamente a mesma: processador ARM Cortex A9 single core, 16 GB de memória interna para armazenamento + slot para cartão micro-SD, câmera frontal e traseira, saída HDMI, USB OTG, Wi-Fi e bluetooth. Haverá modelos com e sem modem 3G sendo que  este último com recurso para utilizar o GPS (ou seria A-GPS?). A empresa destaca que eles já vem com mais de 80 aplicativos pré embarcados, incluindo coisas desenvolvidas pela própria Positivo.

Os preços sugeridos para venda no varejo são de R$ 699 para a versão de 7 polegadas com Wi-Fi, R$ 999 para 7 polegadas com Wi-Fi + 3G, R$ 999 para a versão de 10 polegadas com Wi-Fi e R$ 1.299 para o modelo de 10 polegadas com Wi-Fi e 3G.

Com reportagem e fotos de Mario Nagano.

 

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin