ZTOP

Separados durante o nascimento?

Quando eu li a nota do Henrique sobre os primeiros notebooks da Philips, a primeira coisa que me veio í  mente foi:

Estranho… Eu já vi esses portáteis em algum lugar” :^P

Correndo hoje atrás de uma história sobre uma oferta de note da HP pela bagatela de R$ 1.299, eu topei com um Twinhead F11Y (abaixo) no Submarino.com, que, por sinal, é muito parecido com o novo Philips 11.

j11y_small.jpg

A propósito, o Philips 13 parece ser baseado no Twinhead J13S.

j13s.jpg

Isso pode explicar muita coisa. Como, por exemplo, o modo como a filial da Philips no Brasil conseguiu, do nada, lançar seu próprio notebook.

Acredito que eles fizeram o que outras empresas locais já fazem, ou seja, fecharam um acordo de OEM com um fabricante de notes em Taiwan – normalmente Compal ou Quanta, mas nesse caso a Twinhead – e o trouxeram para o Brasil com a marca Philips estampado no gabinete.

Nada contra os produtos de Taiwan, mas eu esperava um pouco mais da Philips, uma empresa com forte tradição em design e desenvolvimento próprios.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Mandou bem, como sempre, Mário!!!!

  • Vinicius Zolin de Jesus

    Mário, a revista Exame noticiou isso na edição dessa quinzena. A matriz da Phillips só autorizou a venda de notebooks em agosto. Só com essa autorização a Phillips foi a Republica da China obter os laptops.