ZTOP

Review: Seagate Momentus XT 500GB (HD híbrido com SSD)

Seagate_hybrid_intro2

Com a proposta de oferecer o melhor de dois mundos, o ST95005620AS da Seagate combina um disco rígido convencional de 500 GB e 4 GB de SSD no mesmo periférico.

A idéia em si não é nova. A própria Seagate já havia lançado um modelos desses em 2007. Na época o produto não fez muito sucesso: para funcionar como o esperado, ele dependia (e muito) do suporte do sistema operacional — o que pode ser traduzido por “só funciona no Windows Vista” — ou seja, uma falta enorme de incentivo para o consumidor, principalmente antes da chegada do SP2.

E se ele fosse instalado em sistema com Windows XP, não passaria de um HD normal com baita de um buffer interno (256 MB). A partir dessa experiência, a empresa desenvolveu uma nova geração de discos rígidos — codinome Anak — e no ano passado colocou no mercado seu novo modelo batizado de Momentus XT de 500 GB.

Só que desta vez a Seagate incorporou uma nova tecnologia batizada de Adaptive Memory, que não depende de driver de dispositivo ou sistema operacional para funcionar o que de um certo modo, torna esse produto atraente para qualquer consumidor independente do Time/SO que ele torce. I

Interessante notar que em termos de hardware, a tecnologia em si não é nada com cara de ter sido resgatado de algum OVNI que caiu em Roswell. Apenas um disco rígido convencional com um banco de memória NAND de 4 GB que funciona mais ou menos como um cache de memória L2 de um processador. A engenhosidade em si fica por conta da maneira como da empresa tirou proveito desse recurso.

E como funciona essa tecnologia de memória adaptativa? Se um PC fosse um escritório, o disco rígido poderia ser um imenso departamento de arquivos com apenas um funcionário (File Clerk), que realiza todas as tarefas de organizar, guardar e recuperar documentos de acordo com as solicitações de seu chefe (The Boss), que nesse caso é a CPU. O que acontece é que, apesar da relativa demora na pesquisa e do ir e vir dos documentos, o sistema em si funciona perfeitamente.

Se comparado com o SSD, podemos dizer que nesse caso cada área de arquivo individual (Single Flash Device) possui seu próprio funcionário encarregado de tomar conta dele. Desse modo, ganha-se (muuuito) tempo nas tarefas de armazenar e recuperar informações, o que pode ser traduzido como ganho de desempenho. O grande problema é que o custo para manter essa infraestrutura ainda é muito alto, mantendo a capacidade de armazenamento ainda relativamente baixa se comparada com os discos convencionais.

O que a Seagate fez foi implementar um nível intermediário de armazenamento de arquivos (nesse caso banco de memória flash de 4 GB), responsável por arquivar as informações mais utilizadas pelo sistema, deixando as outras menos usadas no sistema tradicional de armazenamento (disco magnético). Desse modo temos a impressão de que o disco ganha em desempenho sem perder sua característica mais desejada que é de oferecer a melhor relação entre custo por byte armazenado x performance.

A grande sacada é como o Momentus XT utiliza seu banco de memória flash (SLC HSNAND) para “aprender” quais são os arquivos são mais utilizados. O que acontece é que, quando o sistema faz uma requisição de leitura no disco, a controladora interna do disco verifica se ele está armazenado na sua memória flash. Caso negativo, ela vai buscar a informação no disco rígido e quando esta retorna (1) é armazenada no seu buffer de memória SDRAM que depois é enviada para o sistema (2). Só que ao mesmo tempo a controladora analisa esses dados (3) e, dependendo do caso, armazena essa informação no seu banco de memória flash.

Ai, quando essa mesma informação for solicitada uma segunda ou terceira vez para o disco, a controladora a terá armazenada na sua memória flash (1) que será prontamente enviada para o buffer do disco (2) que por sua vez retorna para o sistema (3) ganhando-se assim tempo. Caso contrário o ciclo descrito acima se repete. Note que a medida que novos arquivos entram nesse banco, as informações mais antigas e/ou menos utilizadas são eliminadas o que nesse caso faz todo sentido.

Interessante notar que quando o arquivo contido na memória flash é atualizada (1) a controladora apaga essa informação da mesma (2) e atualiza os dados no disco rígido (3) para garantir a integridade dos dados. Segundo a empresa, a idéia de tirar proveito da memória flash também no processo de gravação é um recurso a ser implementado em futuras versões.

 

Toda essa explicação é importante para sabermos como tirar o máximo proveito do Momentus XT já que, dependendo da maneira com que trabalhamos com nossos PCs, o ganho de desempenho pode ser mais ou menos perceptível. Por exemplo, tarefas que acessam o disco de maneira periódica e que sempre acessam as mesmas informações — como boot do sistema ou a carga de aplicativos grandes como os do MS Office ou um de navegador web para acessar o Google Mail — poderiam se beneficiar em muito do banco de memória flash. Já tarefas como atualizar um grande arquivo de dados (como vídeos e filmes) ou instalar um novo programa/jogo, o ganho de desempenho pode não ser sentido.

Isso pode ser visto com mais detalhes no vídeo abaixo:

===

===

Como era de se esperar o Momentus XT segue o padrão dos discos de 2,5 polegadas ainda muito popular em computadores portáteis.

Segundo o fabricante, o Momentus XT é disco modelo SATA II de 7.200 rpm com 32 MB de cache suporte para S.M.A.R.T., NCQ (Native Command Queuing) e UDMA mode 5 e 6. Fora a versão de 500 GB (ST95005620AS) ele também está disponível nas versões de 320 GB (ST93205620AS) e 250 GB (ST92505610AS).

Para testar esse disco, utilizamos um adaptador de disco SATA para ThinkPad, um curioso acessório que permite instalar um segundo disco rígido na baia de acessórios desse portátil, normalmente ocupado pela leitora de disco óptico.

Assim foi possível realizar os testes de desempenho sem ter que — por exemplo — reinstalar o sistema operacional. O sistema utilizado foi uma ThinkPad T61 (P/N 6457-BB5) equipado com um processador Core 2 Duo T7500 (2,2GHz), 3 GB de SDRAM, 100 GB de disco de 7.200 rpm e Windows 7 Ultimate:

Nos testes realizados com o HD Tune Pro 4.01, ao rodar esse teste pela primeira vez, o Momentux XT obteve uma taxa de transferência média de 61,7 MB/s o que por si só é um resultado bastante interessante para um disco rígido convencional. Entretanto eu chamo a atenção para o tempo de resposta do disco (16,6 ms)…

… caiu para 0,4 ms na segunda vez que rodamos os mesmo teste (uia!), além de elevar a taxa de transferência mínima de 20,9 MB/s para 26,9 MB/s, melhorando assim a média de 61,7 MB/s para 64,3 MB/s. Isso mostra que, de um certo modo o sistema de memória adaptativo começou a entrar em funcionamento.

Ao rodar o mesmo teste uma terceira vez, a taxa de transferência mínima melhorou ainda mais (30,2 MB/s) elevando a média para 68,0 MB/s, um ganho de 10% sobre o resultado original.

Nos testes de acesso aleatório, pudemos observar o mesmo comportamento, ou seja, na primeira rodada tivemos um comportamento típico de um disco rígido convencional…

… cujos resultados melhoraram consideravelmente na segunda rodada…

… atingindo um certo patamar de desempenho a partir da terceira rodada.

Já nos testes de leitura e gravação feitos com o ATTO Disk Benchmark, não notamos uma grande variação entre a primeira execução do teste…

… e a segunda execução do mesmo.

 

Para efeito de comparação realizamos os mesmos testes com mais dois discos com tecnologias diferentes: um disco rígido convencional Western Digital Scorpion WD1200BEVS de 120 GB (à esquerda) e um disco SSD Kingston SSDNow de 128 GB (à direita).

Nos testes realizados com o disco da Western Digital, pudemos ver que sua média de transferência (46 MB/s) ficou bem abaixo do disco da Seagate, mas precisamos levar em consideração de que e esse disco é um modelo mais comum de 5.400 contra 7.200 do Momentus XT o que lhe proporciona um ganho extra de desempenho. Observe porém que o tempo de acesso do Scorpion é de 16,7 ms, praticamente o mesmo resultado do Momentus XT na sua primeira rodada de testes (16,6 ms).

 

Note que 16 ms também foi o melhor tempo que o Scorpion conseguiu fazer enquanto que o Seagate esse valor assim como o de IOPS (operações de I/O por segundo) variou bastante (para melhor).

No ATTO Disk Benchmark, percebemos outra diferença de comportamento entre esses dois discos e podemos ver que a taxa de transferência entre os modos de leitura e gravação do Scorpion não muda muito, ao contrário do que acontece com o Momentus.

Já no caso do SSDNow da Kingston, como era de se esperar o desempenho do disco SSD, o valor varia menos e a média é superior ao do Momentus XT (78,2 MB/s contra 68,0 MB/s), uma diferença em torno de 15%.

Note porém que o melhor tempo de acesso do SSDNow ficou em 0,28 ~0,38 ms contra 0,40~0,50 ms do disco da Seagate depois que sua memória adaptativa entrou em ação.

Nos testes com o ATTO Disk Benchmark, podemos ter a impressão de que o Momentus XT apresenta melhor desempenho, mas isso pode estar errado já que o que os números abaixo mostram é o desempenho do SSD sendo bem superior ao disco da Seagate. O que a diferença entre as barras verdes (velocidae de leitura) e vermelhas (velocidade de gravação) mostram é que a diferença de desempenho é menor que o sistema híbrido do Momentus.

O que esses resultados mostram é que o Momentus XT faz exatamente o que promete. Ele oferece uma solução intermediária que procura combinar a grande capacidade e o baixo custo de armazenamento dos discos convencionais com o desempenho dos discos SSDs. Como pudemos ver, o disco da Seagate não chega a ser um “SSD Killer”, mas em certas aplicações é capaz de oferecer um desempenho realmente acima dos seus concorrentes que trabalham apenas com mídias magnéticas o que não deixa de ser um ponto a favor para a Seagate.

Na minha opinião, o grande porém desse produto é que a percepção de ganho de desempenho/produtividade pode variar de usuário para usuário de acordo com o que o ele faz em seus computadores. Como a própria Seagate afirma, o ganho será mais sentido naquelas atividades em que o acesso ao disco é um processo intensivo e repetitivo.

Isso faz com que dar carga num sistema ou rodar um programa muito pesado possa ser bastante agilizado com o uso do Momentus enquanto que em outras tarefas como instalar um programa ou capturar um arquivo vídeo diretamente no HD o uso do banco de memória flash possa não fazer muita diferença.

Sob esse ponto de vista, acredito que o disco híbrido da Seagate possa ser uma opção interessante tanto para os que querem fazer um upgrade no seus portáteis — já que o melhor desempenho do XT pode proporcionar uma sobrevida ao sistema — quanto para aqueles que desejam/precisam se manter fiéis aos discos magnéticos (devido à sua alta capacidade e/ou baixo custo por MB/armazenado) e que precisam obter o máximo desempenho de seus sistemas em situações onde ganhos mínimos de desempenho fazem a diferença.

De qualquer modo o Momentus XT representa uma inovação muito interessante para um dispositivo que muitos acham que não iria evoluir muito em termos de desempenho e não duvido que, com o passar do tempo iremos ver mais empresas adotando soluções semelhantes.

Resumo: Seagate Momentus XT ST95005620AS

O que é isso? Disco rígido híbrido de 2,5″ para uso geral (de preferência portáteis).
O que é legal?
A tecnologia de memória adaptativa realmente funciona e em qualquer plataforma.
O que é imoral? Dependendo da aplicação o ganho de desempenho pode não ser significativo.
O que mais?
Mais indicado para uso em notebooks de linha e modelos avançados. Também disponível nas versões de 320 GB e 250 GB.
Avaliação:
8,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido:
R$ 500
Onde encontrar:
Seagate Brasil

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • rubens

    Realmente, só é interessante em máquinas com opções limitadas de expansão. E mesmo assim com algum padrão de uso repetitivo. (o que geralmente é o caso em notes).
    A diferença pra um SSD mais rápido (SandForce, Marvell SATA600) é gigante em leitura contínua.
    Mas se o dispositivo conseguir gerenciar bem a parte NAND é uma boa pedida (ainda mais se tivesse um controlador mais rápido pra aproveitar o SLC).

  • Claudio

    E como fica a questão da segurança? Se eu quiser apagar um arquivo com o método Gutmann de 35 passos ele vai ser apagado do disco magnético, mas não no ssd já que tem que ter um método especifico para ele.

    • mnagano

      Entonces, a parte "SSD" desse disco não existe (nem funciona) de maneira independente do disco magnético. De fato, o correto seria dizer que o Momentus tem um cache de memória flash, a exemplo do cache L2 dos processadores.

      Fora isso, a medida que o disco é limpo e de maneira repetitiva, existe a tendência dessa área de memória também ser limpa ou preenchida com lixo.

  • Anderson Costa

    Realmente interessante, mas há outra percepção em jogo, a do preço. Fazendo analise bruta e grosseira, muitos vão optar por comprar dois HDs de 1TB e usar em RAID 0 do que comprar 1 unidade do Momentus XT com apenas 500GB. Mas outra questão agora sobre o Momentus XT: como ele se comportaria em RAID?

    • mnagano

      O pessoal o Overclockers Club testaram esse disco em RAID 0:

      http://www.overclockersclub.com/reviews/seagate_m

      Com relação à opção de comprar dois discos de 1TB não se esqueça que o Momentus é mais voltado para uso em notebooks sendo que a maioria deles nem tem espaço para um segundo disco.

      • Anderson Costa

        Claro, mas sabemos que público tupiniquim tem por hábito ignorar todas as recomendações do fabricante e pior, depois fala que o produto não presta!

  • Pingback: Sigla-nos! O que é SSD? - Blog da MicroSafe()

  • rcmfrio

    Pelo amor de Deus, onde consigo comprar uma gaveta dessas para colocar um segundo HD no meu note. pois ele esta com um SSD de 60gb e gostaria de colocar um de 500gb que tenho aqui junto. E parabéns pelo post.

    • mnagano

      Vamos por partes:

      Essa gaveta só é compatível com os notebooks da linha ThinkPad e existem modelos específicos para as diversas gerações de UltraBay.

      http://www.thinkwiki.org/wiki/UltraBay

      Se esse for o seu caso, o melhor local para comprar esse acessório no Brasil é no site da Lenovo:

      http://shop.lenovo.com/SEUILibrary/controller/e/b

      • rcmfrio

        Então acho que não serve pro meu note Asus A42J. Embora a gravadora dele seja sata, ela tem um de conector sata menor (a parte onde liga o cabo de corrente).

  • Caio P Borges

    Muito legal o review , tava procurando um para leitura ! Grato

  • Gonçalo Santos

    Viva, ha um pormenor que voces não contemplaram, o barramento do drive optico é de velocidade inferior ao barramento do hdd principal.. estes resultados nao são correctos, um ssd seja qual for tem leituras e escrita acima dos 100 mb/s..

    review esta mal feito, terao de avaliar através do barramento do hdd principal.. só que fique presente, o meu disco WD 5400 RPM 8mb cache, 640 gb tem +- a mesma performance que este review ao Momentus xt..

  • NewTuxFan

    Sr. Gonçalo, eis aqui sua resposta. Adquiri um hd desses para meu Lenovo SL500, com 4GB de RAM, para substituir o HD Samsunge de 160GB 5400RPM padrão, onde eu tinha instalado o XP PRO. Simplesmente fantástico o desempenho que obtive. Fiquei tão animado que resolvi migrar para o Windows 7 64. Achei que teria grande impacto no desempenho. Que nada! Ficou ainda melhor! Nem parece a mesma máquina, de tão rápido que ficou. Estava até pensando em adquirir um outro note, mas depois desse upgrade, irei ficar com o Lenovo por mais um bom tempo. Foi um dos melhores investimentos que já fiz em Informática.

    • Gonçalo Santos

      Deixa-me dizer que tenho um Asus N53 com um I7 740M 1.73GHz (4C+4T), 6gb ram ddr3 1333 MHz, grafica nvidia 435m, e por fim um disco por defeito WD blue 640GB 5400 RPM 8mb cache.. arrancava em media em 2,30 min, era lento quando solicitava algumas aplicações ao mesmo tempo, crachava se estivesse o itunes ligado e o autocad, a musica tinha breaks.. horrível. tenho-o ha cerca de 3 meses.. desde logo comecei a procura de discos, tive em cima da mesa comprar um ssd, ao pesquisar sobre eles encontrei o momentus xt, vi imensas reviews, umas falavam muito bem, outras achavam-no um hdd com performance parecida a todos os HDD convencionais. mesmo assim decidi comprar, com a teoria que seguramente seria melhor do que aquele que tinha. a surpresa nao podia ser maior, é seguramente 4x mais rapido, nao cracha, o boot time ronda o 1 min, (medido pelo soluto), até a abrir o autocad civil 3d 2012 é rapido, aplicação bastante pesada.. É uma excelente alternativa ao SSD, é um excelente investimento. Aqui em portugal custou 94 euros a versao de 500 GB..

      • Hugo Leonardo

        Olá, Gonçalo!!!

        Amigo, estou a procura de um HD desses para comprar, e pelo que consta, aí em Portugual você encontrou ele por um preço bem melhor que aqui no Brasil. Tenho um colega que está morando aí em Portugal, porém, ele não entende nada de informática. A pergunta é, teria como você me informar direito onde foi que você comprou o seu, o nome da loja, endereço, site… aí eu pediria para ele comprar e mandar para mim, se compensar é, claro.
        Se você puder me ajudar, eu agradeceria bastante. Abraço! Hugo Leonardo

        • Renan

          Meu caro Hugo, eu tenho um hd hibrido momentus xt e estou vendendo-o, pois troquei de note e não posso abri-lo por conta da garantia.

  • Fabrício

    Troquei o HD (WD blue 640GB 5400 RPM 8mb cache) que veio com meu note Acer Iconia por esse momentus XT e foi notória a diferença de performance. O computador ficou muito mais rápido pra tudo! Com certeza uma ótima opção com custo X benefício excelente.Me surpreendi com esse HD. Ficou até mais rápido do que minha desktop que é i5, mesmo processador do Iconia e, ainda por cima, está usando 2 HDs SATA III no modo RAID0.

  • Pingback: Qual o HD mais rapido (tirando raid e ssd)()

  • mhs

    Aonde que eu encontro este Hd para comprar no brasil ? (Fora mercadolivre e derivados…)

  • http://youtube.com/pmxiquexique Edson Nogueira

    Será que vai melhorar mais o acesso em Netbooks tipo tenho um atom 1.6 Itautec e o disco dele era um western digital por azar minha esposa deixou ele cair e o HD foi pras cucuias ai será que vale a pena investir pq já tenho que comprar um será que o atomzinho vai melhorar pq o obicho é ruim pra caramba principalmente com windows 7 home premium

  • renan

    Vendo este HD momentus XT, devido ao fato de trocar de note, o não quero perder a garantia do mesmo, pois ao contrario do sony vaio que possuo, e tem como abri-lo para trocar o hd sem perder a garantia, o Dell que adquiri não tem esta possibilidade.

  • Marcos Tony

    Desculpe a pergunta e minha ignorancia mas queria saber se nesse disco dá pra mover arquivo pra dispositivo externo [HD], clicando "control + X" no arquivo nele e dando um "control V" no disco externo, como dá pra fazer num HD normal. Pergunto isso por conta dessa memoria flash que armazena dados temporários e porque passou pela minha cabeça que a remoção pudesse causar algum erro.
    Obrigado

    • mnagano

      Sem problema. Como o SO enxerga esse disco como um único volume, o que estiver do disco e na memória Flash é copiada do mesmo jeito.

  • Marcos Tony

    Desculpe a pergunta e minha ignorancia mas queria saber se nesse disco dá pra mover arquivo pra dispositivo externo [HD], clicando "control + X" no arquivo nele e dando um "control V" no disco externo, como dá pra fazer num HD normal. Pergunto isso por conta dessa memoria flash que armazena dados temporários e porque passou pela minha cabeça que a remoção pudesse causar algum erro.

  • Pingback: IDF: Coisas legais que um executivo da Intel leva no bolso - ZTOP()