ZTOP

Review: Disco rígido Seagate Barracuda Pro ST6000DM004 de 6 TB

Nova linha Barracuda Pro oferece maiores capacidades, melhor desempenho e até um serviço de recuperação de dados incluso na garantia!

Parafraseando o bom e velho Benjamin Franklin — além da morte e dos impostos — “nada é mais certo neste mundo do que, um dia, seu HDD vai pifar”.

Não que esses dispositivos de armazenamento sejam inseguros — longe disso — e sim que, como qualquer equipamento eletromecânico com partes móveis, um dia suas peças irão se desgastar naturalmente pelo excesso de uso o que pode, ocasionalmente, aumentar o risco de falhas.

Dai pode surgir a dúvida: Qual seria vida útil de um HDD de linha (entenda-se modelos de consumo/não corporativo?)

No passado uma boa referência já foi a garantia do fabricante — que podia chegar a até a 5 anos — mas isso deixou de ser válido a medida que os fabricantes começaram a reduzir esses prazos não por que a qualidade do seu hardware piorou e sim devido aos altos custos de manter uma infraestrutura capaz de reparar/substituir discos muito antigos.

Mas segundo um interessante artigo publicado em 2013 no blog da empresa de armazenamento na nuvem BlackBlaze, a empresa afirma que 80% dos seus HDDs de linha instalados em seus servidores continuam a funcionar perfeitamente após quatro anos de uso (note que a empresa foi fundada em 2007):

O interessante deste estudo é que deles identificarem um padrão de comportamento, onde a média de falhas no seu parque de discos nos primeiros 20 meses foi de 5,1% de falhas/ano, passando por um período de estabilidade nos outros 20 meses de ~1,4% de falhas/ano, subindo significativamente para 11,8% falhas/ano, após o terceiro ano…

O gráfico acima pode parecer desastroso, mas observe que a escala do eixo Y (Survival Rate) não começa a partir do zero e sim de 70% (duh!)

… baseado nisso, por meio de projeção estatística a empresa estima que na média a meia-vida útil de um HDD de linha pode estar em torno de 6 anos antes das probabilidades de falha se virem contra o usuário, ou seja, se iguale ou ultrapasse os 50%. Mas mesmo assim, se pensarmos no dilema do copo meio-cheio/meio-vazio ainda podemos afirmar que cerca da metade dos discos ainda estarão funcionando mesmo após o sexto ano de uso.

Assim no geral, a conclusão a que chegamos é que 4~5 anos é uma boa estimativa de vida útil para um disco rígido de linha e até bate com a garantia máxima oferecida pelo fabricante sendo que, além disso, é meio que começar a brincar com a sorte.

Mas é claro, sempre é bom enfatizar a boa e velha recomendação de que a melhor maneira de garantir a sobrevivência/preservação dos seus dados é de fazer e manter backups atualizados — né?

Ainda em tempo: Para quem curte esse assunto, a BackBlaze publica periodicamente diversos artigos/relatórios sobre a durabilidade de seus HDDs.

A partir dessas informações, podemos começamos a entender a estratégia da nova linha de discos rígidos Seagate Barracuda Pro cuja proposta é de ser mais do que um simples disco de linha voltado para o mercado de volume, oferecendo maiores capacidades, melhor desempenho e até uma garantia de até 5 anos, sendo que se nos primeiros 2 anos o disco sofrer uma pane e perca seus dados…

… a empresa também oferece um serviço de recuperação de dados — o chamado Rescue Data Recovery Plan — que começou na Seagate como um serviço pago…

… mas que foi incorporado como um recurso adicional/valor agregado no Barracuda Pro:

E como esse serviço funciona no Brasil? Levamos essa dúvida para a assessoria de imprensa da Seagate (hi Karina!) e recebemos a seguinte explicação:

O Processo de recuperação de dados funciona da seguinte forma:

  • Uma vez que o cliente possua o serviço (independente do produto), ele deve entrar no site da Seagate e enviar uma solicitação de recuperação.
  • A equipe Seagate verifica as informações e gera um RMA (autorização de retorno) para que o disco seja enviado para recuperação.
  • Depois disso, a própria Seagate retira o produto a ser recuperado direto no cliente e envia para o laboratório de análise nos Estados Unidos.
  • Em paralelo ao envio para análise, um novo disco é enviado para o cliente.
  • Uma vez que os dados foram recuperados, estes dados serão enviados via pendrive ou HD externo para o cliente (depende da quantidade de dados que for recuperado).

Observação: Em casos onde os dados não foram recuperados, a Seagate poderá enviar o produto com defeito de volta, para que o cliente tente a recuperação em outro laboratório de sua preferência, mas por sua conta e risco.

Vale a pena recordar que a quase uma década, a Seagate Brasil já oferecia um serviço (descomplicado) de RMA diretamente para o consumidor final no Brasil (e que funcionava!)

Mas voltando para o que nos interessa, recebemos para testes aqui na Zumo-caverna um Seagate Barracuda Pro ST6000DM004 um modelo de 7.200 rpm e capacidade de 6 TB equipado com uma interface SATA II de 6 GB, 256 MB de cache e limite de carga de trabalho de até 300 TB/ano. Seu padrão de formato é o bom e velho HDD de 3,5″ medindo aproximadamente 10,1 x 2,6 x 14,6 cm (LxAxP). Sua mídia magnética é formada por 6 pratos + 12 cabeças de leitura/gravação o que explicaria o seu peso de 780 gramas.  Ele também é oferecido em outras capacidades a partir de 2 TB com destaque para os modelos de 8TB e 10TB!

Se comparado com os Barracuda de linha de 3,5″, os modelos não “Pro” estão disponíveis com capacidades menores (de 250 GB até 4 TB), contam com garantias menores (até 2 anos) e o seu limite de carga de trabalho de até 55 TB/ano.

E com relação aos discos híbridos SSHD FireCuda? — Apesar do grande atrativo desses discos de combinar o desempenho dos discos SSDs com a capacidade de armazenamento dos HDDs, a capacidade máxima dos atuais FireCuda é de apenas 2 TB o que é algo modesto se comparado com os Barracudas de 4 TB~10 TB.

Daí podemos concluir que a linha Barracuda Pro é um produto mais robusto e voltado para aplicações de armazenamento local (servidores domésticos e DAS básicos) além de usuários que precisam ter em seus PCs a maior quantidade de armazenamento possível (ou que seu orçamento permita) para realizar as suas tarefas do dia a dia. Um exemplo que a empresa gosta de citar são os chamados Profissionais Criativos que editam e/ou processam imensas quantidades de conteúdo multimídia como áudio, vídeo e imagens:

O vídeo acima também menciona uma tecnologia da empresa chamada Multi-Tier Caching Technology que, segundo a empresa, é um recurso implementado no firmware do disco que otimiza cuidadosamente o tipo e tamanho do seu cache de memória interno, com o objetivo de obter o melhor fluxo de dados entre o disco e o PC, minimizando assim gargalos entre o sistema de armazenamento e o Sistema Operacional/aplicação:

Um detalhe que nunca nunca nos chamou muito a atenção nesses discos da Seagate é a presença de um QR-Code com o número de série do disco localizado logo abaixo do rótulo do Barracuda…

… que pode ser lido em qualquer leitor de QR-Code de SmartPhone, que pode direcionar o número lido…

…  diretamente para o site de verificação da Seagate na web (verify.seagate.com)…

… onde é possível verificar se o número de série é válido e até mesmo se ele está na garantia:

Para nós, esse recurso é particularmente interessante para o usuário final, principalmente naquela hora em que você diante daquele disco “Seegate” baratíssimo que está jogando charminho para você naquela lojinha de informática da esquina.

Sob testes:

Para verificarmos se esse novo Barracuda Pro realmente performa melhor do que um Barracuda de linha solicitamos para a Seagate um segundo disco “não Pro” para comparar resultados. Como sempre a empresa gentilmente atendeu ao nosso pedido e nos enviou um Barracuda ST2000DM006

… trata-se de um disco de 7.200 rpm formado por três pratos e seis cabeças de leitura/gravação, equipado com interface SATA II de 6 GB, 64 MB de cache e limite de carga de trabalho de até 55 TB/ano.

Clique para ampliar

Observe porém que se tratam de discos de diferentes capacidades.

Alguns podem até questionar que é válido comparar um disco de 6 TB com outro de 2 TB. Concordamos que o ideal seria comparar discos de mesma capacidade, mas como a escolha do disco de referência ficou a critério da Seagate, acreditamos que ela não veja problemas nisso.

Nos testes realizados com o HD Tune Pro 4.01 (opção Benchmark), podemos ver que o desempenho do Barracuda Pro é sensivelmente superior ao Barracuda “não Pro” o que não deixa se ser uma façanha se levarmos em consideração que o modelo de 6TB é maior, gerencia um número maior de setores e é mecanicamente mais complexo. De fato a menor complexidade do Barracuda de 2TB talvez justifique o menor tempo de acesso:

HD Tune Pro – Benchmark Barracuda 2TB Barracuda Pro 6TB
READ Transfer Rate  Gráfico Gráfico 
Transfer Rate Minimum 98,9 MB/s 104,0 MB/s
Transfer Rate Maximum 209,7 MB/s 211,2 MB/s
Transfer Rate Average 169,6 MB/s 174,7 MB/s
Access Time 14,8 ms 15,3 ms
Burst Rate 160,1 MB/s 210,7 MB/s
CPU Usage 1,4 % 1,7 %
Write transfer rate  Gráfico Gráfico 
Transfer Rate Minimum 95,9 MB/s 106,0 MB/s
Transfer Rate Maximum 209,1 MB/s 201,5 MB/s
Transfer Rate Average 164,8 MB/s 169,4 MB/s
Access Time 14,9 ms 15,8 ms
Burst Rate 160,9 MB/s 192,1 MB/s
CPU Usage 1,6 % 1,5 %

 

De fato, o Barracuda de 2 TB chegou a performar um pouco melhor que o Barracuda Pro de 6 TB nos testes de Acesso Aleatório (Random Access) no modo Read, desempenho que não se repetiu no modo Write:

HD Tune Pro – Random Access
IOPS
Tempo de acesso médio
Velocidade média
Barracuda 2TB Barracuda Pro 2TB
Read Test  Gráfico Gráfico
512 Bytes 66 IOPS
15 ms
0,032 MB/s
63 IOPS
15 ms
0,031 MB/s
4 KB 66 IOPS
14 ms
0,261 MB/s
64 IOPS
15 ms
0,253 MB/s
64 KB 63 IOPS
15 ms
3,971 MB/s
62 IOPS
15 ms
3,935 MB/s
1 MB 46 IOPS
21 ms
46,682MB/s
43 IOPS
023 ms
43,220 MB/s
Random 54 IOPS
18 ms
27,693 MB/s
52 IOPS
19 ms
26,704 MB/s
Write test Gráfico Gráfico
512 Bytes 35 IOPS
27 ms
0,017 MB/s
162 IOPS
6,1 ms
0,079 MB/s
4 KB 21 IOPS
47 ms
0,082 MB/s
118 IOPS
8,4 ms
0,465 MB/s
64 KB 35 IOPS
28 ms
2,280 MB/s
128 IOPS
7,8 ms
8,036 MB/s
1 MB 40 IOPS
24 ms
40,615 MB/s
55 IOPS
18 ms
55,302 MB/s
Random 52 IOPS
19 ms
26,648 MB/s
66 IOPS
14 ms
33,870 MB/s

 

Já nos testes de arquivos (File Benchmark) no geral o Barracuda Pro de 6 TB obteve um melhor desempenho geral:

HD Tune Pro – File Benchmark Barracuda 2TB Barracuda Pro 6TB
Read Speed Gráfico Gráfico
0,5 KB 6.398 KB/s 6.447 KB/s
1 KB 13.083 KB/s 13.985 KB/s
2 KB 24.723 KB/s 27.711 KB/s
4 KB 39.774 KB/s 47.569 KB/s
8 KB 70.403 KB/s 66.253 KB/s
16 KB 94.982 KB/s 99.462 KB/s
32 KB 139.114 KB/s 146.875 KB/s
64 KB 168.412 KB/s 189.723 KB/s
128 KB 182.569 KB/s 218.391 KB/s
256 KB 184.647 KB/s 225.741 KB/s
512 KB 189.104 KB/s 226.509 KB/s
1.024 KB 186.943 KB/s 228.093 KB/s
2.048 KB 189.997 KB/s 224.202 KB/s
4.096 KB 183.155 KB/s 226.069 KB/s
8.192 KB 191.268 KB/s 231.365 KB/s
Write Speed  Gráfico Gráfico
0,5 KB 5.129 KB/s 5.111 KB/s
1 KB 11.038 KB/s 11.561 KB/s
2 KB 21.557 KB/s 21.465 KB/s
4 KB 36.575 KB/s 41.613 KB/s
8 KB 57.191 KB/s 59.265 KB/s
16 KB 82.076 KB/s 86.282 KB/s
32 KB 122.940 KB/s 134.643 KB/s
64 KB 138.352 KB/s 172.006 KB/s
128 KB 146.410 KB/s 198.998 KB/s
256 KB 154.557 KB/s 217.314 KB/s
512 KB 134.785 KB/s 225.084 KB/s
1.024 KB 152.233 KB/s 214.349 KB/s
2.048 KB 132.138 KB/s 213.762 KB/s
4.096 KB 131.756 KB/s 221.726 KB/s
8.192 KB 149.937 KB/s 211.714 KB/s

 

Nos testes com o CrystalDiskMark 3.0.3 o Barracuda Pro de 6 TB teve um desempenho superior…

… que o Barracuda de 2 TB:

No ATTO Disk Benchmark o Barracuda Pro de 6 TB também teve um desempenho ligeiramente melhor…

…  que o Barracuda de 2 TB:

Nossas conclusões:

Como dissemos no início deste review, a proposta do novo Barracuda Pro é de oferecer uma solução de armazenamento mais robusta e confiável para usuários que precisam de soluções locais de armazenamento de alta ou até mesmo de altíssima capacidade.

No geral, o hardware o Barracuda Pro entrega o que promete, oferecendo sim uma maior capacidade combinada com um desempenho ligeiramente melhor que o Barracuda de linha. Mas é claro que falar de alto desempenho como atrativo num mercado apinhado de discos SSDs  é meio que forçar a amizade. Sob esse ponto de vista, sempre achamos que a melhor solução é combinar o melhor desses dois mundos não na forma de um disco híbrido e sim empregando ambas as soluções ao mesmo tempo, ou seja, usar um SSD de média capacidade (240~480 GB) como disco de boot/sistema e um HDD de alta capacidade essencialmente para armazenar dados.

Fora o desempenho, vale a pena destacar a iniciativa da Seagate de incluir o serviço de recuperação de dados nos primeiros dois (dos cinco) anos de garantia do Barracuda Pro, o que é uma oferta muito atrativa para pequenas empresas e profissionais autônomos que utilizam intensamente seus discos e nem sempre tem idéia sobre o estado dos mesmos.

Já ouvi dizer que a Seagate não gosta de falar muito sobre esse recurso porque isso pode passar a impressão de que seus discos não são bon27s. Mas como no caso do dilema do copo meio-cheio/meio-vazio ao invés de olhar isso como algo negativo, isso também pode ser visto como um item segurança a mais que a empresa está oferecendo para a sua clientela.

E como nenhuma empresa gosta de colocar um produto no mercado para levar tapa na cara ou pior — perder dinheiro — o fato desse serviço estar sendo oferecido de graça (por dois anos) não deixa de ser um voto de confiança na qualidade do seu próprio produto — né?

Finalmente, vale a pena observar que a linha Barracuda é bem mais em conta que a Pro. Por exemplo, aqui estão alguns preços sugeridos do Barracuda de linha:

  • Barracuda 3,5” de 2 TB — R$339
  • Barracuda 3,5” de 3 TB — R$ 489
  • Barracuda 3,5” de 4 TB — R$750

E aqui de alguns Barracuda Pro:

  • Barracuda Pro 3,5” 10 TB — R$ 2.799
  • Barracuda Pro 3,5” 8 TB — R$ 2,129
  • Barracuda Pro 3,5” 6 TB — R$ 1.399

Mesmo se tratando de discos de diferentes capacidades, fica claro que os modelos Pro estão num patamar de preço acima dos Barracudas de linha. Ai se vale a pena ou não investir ou não num Pro vai depender muito da real necessidade do usuário e do real valor que ele dá aos seus arquivos.

E independente dessa resposta ser positiva ou não sempre é bom lembrar que o usuário deveria ter sempre uma cópia de segurança dos seus dados — melhor ainda se tiver duas!

ztop-indica-novo-selo

Resumo: Seagate Barracuda Pro ST6000DM004 de 6TB

O que é isso? Disco rígido interno SATA de 7.200 rpm de 3,5″.
O que é legal? Bom desempenho geral, alta capacidade de armazenamento, serviço de recuperação de dados incluso na garantia.
O que é imoral? Desempenho modesto se comparado com os SSDs, mais caros que os Barracuda “não Pro”.
O que mais? Também disponível nas versões de 8 TB (R$ 2.129) e 10 TB (R$ 2.799).
Avaliação: 8,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 1.399
Onde encontrar: http://seagate.com/pt/br

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Adriano De Lima

    Fora os discos, seria legal testar as soluções de NAS oferecidas por eles.
    Aqueles “mini” com duas ou quatros baias.

  • ralves58

    Bom, eu tenhos HDDs da Seagate de 6 e de 8 TB instalados em meu desktop (internos)… Sao dos modelos mais baratos, eles nao sao “Pro”. O de 8 TB deve ter pouco mais de um ano, mas o de 6 TB ja tem mais de 2 anos. Nunca tive problemas com eles. Nem com os modelos “menores” de 4 e 3 TB, todos rodando redondo, alguns deles com mais de 5 anos de uso diario. Se duvidar, eu devo ter ainda modelo de 2 TB rodando aqui em casa em outros desktops (mas discos menores que 2 TB eu com certeza nao uso mais, so se for SSD).