ZTOP

Review: Seagate Barracuda de 1 TB

seagate_720011_name.jpgDesde a criação da tecnologia de gravação de bits na vertical, os discos rí­gidos têm aumentado de capacidade num ritmo impressionante, rompendo a barreira dos 500 GB em 2005, 750 GB em 2006 e, finalmente, 1 TB (Terabyte ~ 1.000 GB) em 2007. Esse é o caso do disco rí­gido Barracuda 7200.11 ST31000340AS.

Como o próprio nome diz, o novo Barracuda 7200.11 é um disco padrão de 7.200 rpm de 11ª geração para desktops  – e o 3ª de gravação perpendicular – que estará também disponí­vel nas versões de 500 GB e 750 GB com 16 MB ou 32 MB de cache interno, enquanto que o de 1 TB terá apenas 32 MB de cache.

Uma das primeiras diferenças que notei no modelo analisado foi seu peso (655 gramas), bem maior que outros Barracudas que já tive contato.

seagate_720011_altura_b.jpgSegundo Carlos Valero, gerente técnico da Seagate no Brasil, esse ganho de volume é devido ao fato de que o 7200.11 utiliza um corpo de 1 polegada de altura contra 3/4″ dos modelos anteriores. Ele abriga seu mecanismo interno, formado por quatro discos e oito cabeças de leitura/gravação totalizando 125 MB por face. Esse por sinal, foi o motivo da Seagate em lançar um disco de 1 TB bem depois da Hitachi, cujo modelo Deskstar 7k1000 de 1 TB é formado por cinco discos e dez cabeças.

Outra novidade do modelo 7200.11 é que ele não estará disponí­vel no padrão IDE ATA (PATA), e sim somente no padrão SATA 300/NCQ.

seagate_720011_a.jpgA boa notí­cia é que – no geral – o Barracuda 7200.11 não difere muito de seus antecessores em termos de instalação, configuração e uso: basta fixar o disco no gabinete, ligar os cabos SATA de dados e força e ligar o PC, para que o mesmo seja reconhecido pelo Windows XP na sua capacidade máxima, ou particionado em áreas menores de acordo com o gosto do usuário.

Para aqueles que não souberem fazer isso, a Seagate oferece uma interessante ferramenta chamada DiskWizard que auxilia o usuário a realizar desde a partição até a formatação lógica do disco.

É bom lembrar que SOs como o Windows 2000 (e provavelmente o Windows 98) não são capazes de reconhecer discos maiores que 137,4 GB. Isso ocorre porque a especificação ATA original utiliza apenas 28 bits para endereçar o disco. Esse problema foi resolvido com a introdução do sistema de endereçamento de 48 bits (48-bit LBA) que elevou esse limite para 144.000.000 GB ou 144 petabytes. Para saber mais e conhecer as possí­veis soluções visite o site www.48bitlba.com.

Eu resolvi esse problema com o Windows 2000 usando um velho utilitário da Maxtor chamado big_drive_enabler.exe que não existe mais no site da empresa, mas que ainda pode ser encontrado em alguns sites, como aqui e aqui (usem por sua conta e risco!).

Outro detalhe que os usuários devem prestar atenção é que alguns discos SATA da Seagate com interface SATA/NCQ podem vir pré-configurados para trabalhar no modo SATA 150 (sem NCQ). Isso é feito para garantir a retrocompatibilidade com computadores mais antigos com porta SATA 150.

seagate_720011_jumper.jpgEsse controle é feito por um pequeno jumper localizado ao lado dos conectores SATA que, quando ligado (foto ao lado) força o disco a negociar sua conexão em SATA 150. Se você tiver certeza que seu PC trabalha com SATA 300, basta remover esse jumper.

Alguns usuários mais atentos podem ter notado esse aviso impresso no disco.

Nos testes realizados com o HD Tach RW 3.0.1.0, o 7200.11 instalado num ThinkCentre M52 equipado com Pentium D 925, 512 GB de RAM e Windows XP SP2 obteve uma taxa de transferência média de 87,3 MB/s, tempo de acesso de 12,6 ms e Burst Speed de até 241,1 MB/s. Números ligeiramente melhores do que já medi em um modelo 7200.10 de 750 GB.

Apesar disso, desempenho não é exatamente o grande atrativo desse produto, e sim sua imensa capacidade de armazenamento que vem sempre a calhar no segmento de PCs para gamers, entusiastas, editores de ví­deo e até mesmo para ser montado num sistema de RAID ou disco externo com porta USB, Firewire ou eSATA.

E como espaço em disco é como dinheiro – a gente acha que nunca tem o bastante e quanto mais melhor – o 7200.11 é uma boa notí­cia para os usuários de computador.

Resumo: Seagate Barracuda 7200.11 ST31000340AS
O que é isso?
– Disco rí­gido SATA de 1 Terabyte (1.000 GB).
O que é legal? – Fácil instalação e uso, 1 TERABYTE!!!
O que é imoral? – Não estará disponí­vel com interface IDE ATA (PATA).
O que mais? – Seu preço inicial pode ser alto, mas pode ajudar a baixar o preço dos modelos de 500 e 750 GB.
Avaliação: 4,5
Preço sugerido: ainda não divulgado.
Onde encontrar: www.parceiroseagate.com.br

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Daniel

    Eu só tenho um receio quanto a um disco grande como esse:
    “BACKUP”
    Toda vida que eu compro um hd novo que vai ser o meu hd principal. eu uso o velho para servir de backup. mas como fazer isso se o meu antigo é de 250gb e o novo seria de 750 gb.

  • Daniel, este sempre será o problema.

    Senhores do Zumo… FEED COMPLETO, POR FAVOR.

  • Marcello

    Eu concordo com o Rodrigo, FEED COMPLETO, POR FAVOR.

  • Pingback:   Zumo: resumão da semana by Zumo Blog: Tecnologia. Opinião. Inteligência.()