ZTOP

Review: LG Optimus 4X HD

O LG Optimus 4X HD é filho único de mãe solteira no mercado brasileiro: é o pioneiro a vir com processador NVidia Tegra 3. Isso é ótimo para vídeos e games, e não tão bom para a duração da bateria do aparelho. 

Curiosamente, o LG Optimus 4X HD (P880) foi anunciado mais de um mês após seu lançamento nas lojas, e ainda é um aparelho vendido com exclusividade pela operadora Vivo.

De qualquer modo, é um sinal de que a LG ainda tem interesse pelos aparelhos topo de linha, já que em 2012 ela basicamente se dedicou aos Androids básicos e intermediários com um ou dois SIM cards da família Optimus L (L3, L5, L7 e o vindouro L9).

Nas especificações técnicas, o Optimus 4X HD impressiona: tem um processador Nvidia Tegra 3 quad-core de 1,5 GHz, tela grande de 4,7″ (1280 x 720) True HD IPS, 16 GB de armazenamento (expansível com cartões microSD), câmera de 8 megapixels (traseira) e 1,3 megapixel (frontal), roda Android 4.0 “Ice Cream Sandwich”. Tem 9,1 mm de espessura e pesa 141 gramas, e sua bateria tem capacidade para 2.150 mAH.

Seu design é bastante conservador e tradicional, sem grandes curvas ou acabamentos diferenciados. É um retângulo preto com bordas em prata e uma textura-com-cara-de-livro na parte traseira. Na lateral direita está o botão de liga/desliga e na esquerda temos os controles de volume:

Acima, apenas a entrada para fone de ouvido (um headset in-ear vem na caixa). Para os fãs de rádio, o 4XHD vem com um sintonizador interno, basta plugar os fones para servir de antena.

Abaixo, a entrada para cabo microUSB para recarga e troca de dados com o PC.

E atrás, a câmera de 8 megapixels com flash LED.

Algo raro de ver em smartphones topo de linha atuais, a tampa da bateria (com tags NFC) é removível, e a LG ainda não adotou o padrão microSIM para seus smartphones (sorte que eu tinha um pedaço de chip cortado aqui). A bateria tem capacidade para 2150 mAH, mas mal aguenta 12 horas seguidas de uso do telefone.

A versão de Android utilizada pela LG no 4XHD é a 4.0 “Ice Cream Sandwich” com pequenas modificações na interface, chamada Optimus UI 3.0. Na ausência de botões físicos na parte frontal do aparelho, a LG oferece três botões virtuais iluminados na base da tela (voltar, home, menu) e uma série de ícones na parte inferior da tela, que podem ser trocados (e inseridos novos ou até criar pastas).

O menu de apps segue o padrão do Android 4.0, dividido em apps/downloads/widgets:

E dá para diminuir os ícones e encher a tela de apps, com colunas com 5 ícones x 6 linhas:

Na barra de notificações, atalhos para algumas configurações (impressão minha ou esse botão Editar tem mais destaque que os demais?).

Incluindo ativar o QuickMemo, que é um modo de capturar telas do telefone e anotar sobre elas de forma rápida. É um recurso de foblet em um smartphone com tela menor (só faltou a canetinha).

Depois de anotar, basta salvar e compartilhar. Simples e rápido. O Optimus 4XHD veio com apps da Vivo e também com alguns extras da LG, incluindo o RemoteCall Service, para suporte técnico remoto.

A tela TrueHD IPS de 4,7 polegadas é bastante nítida e muito boa, mesmo sob o sol. A única coisa que me incomoda nela é o acabamento com Gorilla Glass, que apesar de proteger a tela, dá uma impressão de que tem um plástico simples ali (mas é uma questão pessoal e de toque).

A grande estrela do Optimus 4XHD é, sem dúvida, o processador NVidia Tegra 3. Ele permite respostas rápidas do sistema operacional, roda bem jogos e vídeos de formatos diversos (incluindo MKV) sem precisar de apps de terceiros e sem engasgar: Ponto pra LG ao usar esse chip. A única coisa “lenta” é a câmera, se comparada a smartphones com chips Qualcomm ou Intel: demora para ativar e não é tão ágil entre cliques (tem uma galeria de amostras no nosso Facebook).

Em desempenho, o Tegra 3 mostra que está na média do resultado obtido por um Qualcomm Snapdragon S4 (caso do Motorola RAZR HD) e, por ser quad-core com GPU dedicada, chega perto ou ultrapassa o Exynos usado no Samsung Galaxy S III nos benchmarks mais intensivos no uso de gráficos (Antutu, Nenamark):

Tal desempenho tem preço, claro, na bateria: em 12 horas de uso alternado (redes sociais, sms, telefonemas, música, vídeos), o Optimus 4XHD atingiu 21% de carga, situando-se próximo ao RAZR HD (2.500 mAH) em desempenho de bateria. Como telefone, o Optimus 4XHD tem boa qualidade de áudio nas chamadas – o problema hoje, em São Paulo, é a rede de dados da Vivo, mas isso é outra história.

Pergunta do milhão: compro um? Sim, se tiver pontos na Vivo ou a operadora oferecer um bom desconto sobre o já incrível preço sugerido de lançamento (R$ 1.699). O LG Optimus 4XHD vale pelo processador rápido, tela boa e incrível desempenho em multimídia. Se você procura uma câmera melhor em Android topo de linha, vá de Samsung Galaxy S III.

RESUMO: LG OPTIMUS 4X HD

O que é isso? Smartphone topo de linha com sistema operacional Android 4.0
O que é legal? Tela grande e com boa resolução, bom desempenho para reproduzir vídeos em HD
O que é imoral? câmera lenta, duração da bateria
O que mais? QuickNote transforma a tela em área de anotações. Tem NFC também.
Avaliação: 7,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 1.699 (operadora Vivo pode ter preços melhores com planos de dados associados)
Onde encontrar: LG

 

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin