ZTOP

Gadget do dia: Porta cartões digital Mekkuru MQ10

Dispositivo de mesa digitaliza cartões de visita e permite navegar pelos contatos com um simples giro de botão e sem depender de um PC.

Para aqueles profissionais que, no seu dia-a-dia gerenciam centenas (ou até milhares) de contatos pessoais/comerciais, o sistema Rolodex ainda é um dispositivo muito apreciado pela sua facilidade e simplicidade uso.

Rolodex_classic

Criado por Arnold Neustadter e Hildaur Neilsen em meados dos anos 1950, ele é na sua essência, um mini-fichário cujas folhas ficam presas num eixo giratório que pode ser movido por meio de botões laterais que agilizam — e muito — o processo de localizar e ler uma informação contida na ficha sem ter que retirá-la do suporte.

Mas com o surgimento das agendas eletrônicas e o avanço da tecnologia digital, o Rolodex pode parecer meio antiquado mas ainda resiste bravamente devido a sua praticidade e rapidez de organizar e localizar contatos, principalmente se você vive de networking e possui uma grande coleção de cartões de visita e pouco tempo (ou muita) preguiça de passá-los para o PC.

O editor de testes deste Ztop que o diga:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Inspirado neste conceito, a fabricantes de produtos de escritório favorita deste ZTOP — a King Jim — desenvolveu o Mekkuru MQ10, um legítimo “Rolodex Digital”:

Mekuru_mq10_overall

Trata-se de um dispositivo de mesa que combina um pequeno scanner em cores (tecnologia CIS de 300 dpi) capaz de digitalizar um cartão de até 54 × 90 mm e uma tela LCD de 3,5″ com resolução de 320 × 480 pontos. Ele é alimentado por um adaptador de rede elétrica e o dispositivo mede ~13,9 x 12,9 x  12,5 cm (LxAxP) e 325 gramas de peso.

Para cadastrar um novo cartão, basta colocá-lo num slot existente na parte de trás do scanner e pressionar um botão de “digitalizar” que o mesmo é lido em até 6 segundos:

Mekuru_mq10_scanner

Feito isso, o usuário informa como ele será arquivado (por nome, grupo, companhia etc. —  em ordem alfabética) o que permitirá depois recuperar essa informação por meio de desses atributos e rolando pelos registros/cartões usando o botão rotativo. Para isso, o Mekkuru conta com uma memória interna que permite armazenar até 5.000 imagens de ~ 92 KB cada ou seja, até 5.000 cartões de face simples ou 2.500 cartões de face dupla (frente e verso).

Mekuru_mq10_buscando

E é claro essa informação pode ser transferida para o PC/Mac via porta USB micro 2.0 e gerenciado por meio do software DA-1 que pode ser baixado gratuitamente no site da empresa e é capaz de realizar tarefas mais complexas como converter os dados do cartão em texto (via OCR) e exportar essa informação para o formato Excel ou CSV.

Mekuru_mq10_lado

O produto já está disponível no mercado japonês. No Amazon.co.jp ele pode ser encontrado pela bagatela de 20.355 ienes ou ~ R$ 454.

Mais informações aqui.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Acho que teria um mercado interessante se a King Jim começasse a vender no Ocidente.

  • erichsouza

    Preço meio salgado mas um gadget legal bagarai. Mas aí vem a pergunta: tem como comprar lá e entregar aqui sem dor de cabeça?

    • Mario Nagano

      Eu já comprei livros e DVDs do Amazon no Japão. O site possui uma versão em inglês onde vc pode se cadastrar sem se enrolar com o idioma local (http://goo.gl/dC2Cxk).

      Só que na época eles só despachavam via courier (= $$$) que, por ter o seu próprio sistema de desembaraço/alfândega não tem essa de “escapar” das taxas de importação.

      A vantagem nesse caso é a rapidez já que uma vez recebi um DVD em casa quatro dias depois do seu anúncio no mercado japonês.