ZTOP

Philips: mais um na briga pelos notebooks

Philips 11

Notebook e desktop são os objetos de desejo dos fabricantes de eletrônicos de consumo no Brasil. Mercado aquecido e em plena expansão, além de crédito disponí­vel no varejo são alguns dos fatores determinantes para entrada ou não de uma marca na disputa. É o caso da Philips, que vai tornar o Brasil o primeiro paí­s onde a companhia vende (e vai fabricar) notebooks em um primeiro momento (desktops também estão na meta), com a ambiciosa meta de conseguir 10% de mercado de portáteis até 2010.

Inicialmente, a Philips lança dois modelos, com telas de 11 e 13 polegadas. Os primeiros aparelhos a chegarem í s lojas serão importados da China, agora em dezembro, mas em 2008 a empresa vai fabricar máquinas no Brasil. A Philips não divulgou investimentos, parceiros ou OEM, nem qual fábrica irá concentrar a produção (se da própria Philips em Manaus ou alguma outra terceirizada).

O foco das vendas será no varejo de áudio e ví­deo, que começa cada vez mais a vender itens de informática e tecnologia e que já tem uma forte presença da Philips, segundo Caio Catto, gerente geral de desenvolvimento de novos negócios da Philips. Os produtos foram “desenvolvidos especialmente para o mercado brasileiro”, diz Catto, e no futuro, teoricamente, os notebooks poderão ser exportados para o restante da América Latina. Os dois modelos se encaixam na categoria de notebooks ultraportáteis e, acredito, devem forçar a concorrência a baixar um pouco os preços.

As máquinas:

Philips 13Philips 11: tela widescreen 11,1 polegadas, 1,6 kg, gabinete em liga de magnésio, processador Intel Core Duo U2400 Ultra Low Voltage, 120 GB de disco rí­gido, 1 GB de RAM, gravador de DVD dual-layer. Preço sugerido; R$ 5.499.

Philips 13: tela widescreen de 13,3 polegadas, gabinete em black piano, processador Intel Core 2 Duo T7300, 120 GB de HD, 2 GB de RAm, gravador de DVD. Preço sugerido: R$ 3.999.

Os dois modelos rodam Windows Vista Home Premium e têm plataforma Centrino integrada.

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin