ZTOP

Lumix SZ5 com Wi-Fi quer colaborar com celular, não competir

Lumix_sonoma_SZ5

Para não perder espaço para os celulares com câmera, a Panasonic apresenta um novo conceito de câmera digital que interage com smartphones, computadores e até Smart TVs via rede sem fio no modelo Lumix SZ5.

Durante o anúncio das novas câmeras Lumix feito pela Panasonic na semana passada, além da DMC-G5, DMC-LX7 e DMC-LZ200, o pessoal de Osaka também apresentou a Lumix DMC-SZ5, uma câmera de bolso com Wi-Fi 802.11b/g/n  integrado.

Equipada com um sensor CCD de 14,1 megapixels + sensor Venus Engine, a  DMC-SZ5 vem equipada com uma objetiva Leica DC Vario-Elmar com zoom óptico de 10x (equiv. 25-250 mm)  formado por 9 elementos (sendo quatro deles aesféricos) em 7 grupos.

Fora isso esse alcance pode ser dobrado (20x) com o uso do zoom digital — que a empresa chama de Intelligent Zoom — sendo que a perda de nitidez causada por movimentos involuntários da câmera podem ser minimizados com o uso do sistema de estabilização de imagem MEGA O.I.S.

Fora isso, ela também grava vídeos na resolução HD 720p a 30 qps (NTSC) ou 25 qps (PAL) no formato MP4 que — ao contrário do exótico AVCHD — permite reproduzí-los diretamente no PC, dispositivos móveis e até subir para o YouTube sem a necessidade de conversão para um formato mais amigável.

Ele está disponível na cor preta…

… e branca (dessa vez, nada de prata):

Bom… Até ai nada demais, já que tínhamos conhecimento da sua existência desde a CES deste ano, época em que ela foi apresentada — ainda como um protótipo sem nome — no stand da empresa.

E isso sem falar que concorrentes como a Samsung já tem modelos equipados com Wi-Fi desde o ano passado como a SH100 (embaixo). Coincidência ou não, sua segunda geração de câmeras foi anunciada no Brasil um dia depois do lançamento mundial da Panasonic.

Apesar das aparências, o conceito da SZ5 parece ser um pouco mais avançado, já que segundo o pessoal de Osaka, a proposta dela é de não brigar com os smartphones com câmera e sim de colaborar com eles. De fato, a idéia é de interagir com outros equipamentos da casa, como PCs e até mesmo TVs conectadas.

Para mim, um dos recursos mais curiosos é o Lumix Link, um app para iOS e Android que permite conectar o smartphone à câmera (via WiFi) permitindo assim ver o que a câmera está enquadrando e executar alguns comandos remotamente como controlar o zoom, foco e até disparar a câmera.

Fora isso, também é possível consultar as imagens gravadas na câmera e encaminhá-las para sites como Picasa, Facebook, anexá-la num email ou até mesmo guardá-la no smartphone ou até mesmo no serviço de nuvem da empresa  (o chamado Lumix Club — também disponível em português do Brasil) para uso posterior. Interessante observar que se o celular possuir um GPS, o app pode adicionar uma geotag na imagem.

Fora isso, a SZ5 é compatível com o padrão DLNA, o que permite compartilhar o seu conteúdo com outros aparelhos compatíveis com essa tecnologia, como PCs e TVs conectadas.

Finalmente, ela também conta com um curioso recurso que inicia a transferência do seu conteúdo (Auto Image Transfer) via Wi-Fi quando sua bateria está sendo recarregada na tomada. A idéia em si é bacana, mas essa solução de recarregar a bateria dentro da câmera não me agrada já que isso complica — por exemplo — a vida daquelas pessoas que tiram muitas fotos e costuma deixar uma bateria de reserva no carregador externo enquanto  a outra fica na câmera.

Quando perguntamos para o porta-voz da empresa sobre a possibilidade dessa tecnologia se espalhar para outras câmeras da casa, ele não quis responder com palavras, mas fez um discreto sinal de aprovação com sua cabeça.

Então tá bom, né?

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.