ZTOP

Opera: foco em TV (pro futuro) e na classe C (agora!)

A Opera Software é a típica empresa que você até sabe alguma coisa, já usou algum produto, mas depois acaba descobrindo que, bem, ela pode ser gigante em determinado setor.

O Opera Mini, carro-chefe dos navegadores para featurephones (nome besta para aparelhos celulares que não são smartphones), por exemplo, é usado por mais de 152 milhões de pessoas em todo o mundo. Mas, pela conversa que tive hoje com Sabrina Zaremba, gerente regional para América Latina, e Mike Taylor, “web opener” da Opera, sim, o Mini ainda é importante, mas vem um monte de coisas novas por aí.

Nas palavras de Sabrina, “a Opera tem o olho aberto para a América Latina”. A expansão da companhia norueguesa ao Brasil começou em meados de 2010, quando a operadora TIM foi a primeira a lançar o Opera Mini para seus clientes, em uma versão customizada. “Quem usa o Mini tem o perfil da internet pré-paga, com aparelho básico. E consegue uma navegação melhor do que em um browser nativo do celular”, explica.

Hoje, a Opera consegue ganhar dinheiro nas suas parcerias com operadoras, fornecedores de conteúdo (como o Terra, por exemplo), busca, loja de aplicativos (para celular, smartphone e TV) e publicidade no navegador – Motorola, Unilever, Netshoes e Coca-Cola já divulgaram produtos via Opera Mini no Brasil.

Tal barulho propagandístico tem um foco: o usuário do Opera Mini no Brasil. “É essa nova classe C, que tem um featurephone e quer navegar na internet com um plano pré-pago”, diz Sabrina. “A demanda é muito grande para internet no celular, e esse público está migrando para o smartphone”, afirma.

Tá, mas qual o próximo passo da Opera, já que os featurephones não devem durar muito tempo antes de serem substituídos pelos smartphones? “Hoje na China você encontra Androids por 100 dólares ou menos. O preço vai cair muito no futuro, e hoje um aparelho atual de US$ 600 (como o Galaxy Nexus que ele tira do bolso) vai custar menos e menos. E, quando isso acontecer, talvez o featurephone importe menos”, comenta Taylor. “E aí o consumidor vai migrar do Opera Mini para o Opera Mobile, mais completo, com renderização de Javascript direto na página e suporte a HTML5 e CSS3”, completa.

Mas nem só de navegadores vive a Opera: já têm uma solução de loja de apps para celulares e apostam – de um jeito um tanto único nesse mercado – que os apps para TVs virão com força total. E a loja da Opera, chamada de TV Store, foi anunciada na CES 2012 e pode vir, em um futuro próximo, a ser uma solução que pode unificar as lojas das TVs conectadas: é baseada em HTML5 e roda em qualquer televisor compatível – como na foto abaixo. Já combinei com a Sabrina (não é a pessoa da foto abaixo…) de ver uma demo da Opera TV Store no Mobile World Congress, no final do mês.

 

 

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • Considero o Opera um navegador injustiçado. Ele é ótimo, sempre foi de ponta, mas não tem muita adesão. E não faço idéia do porque.

    Sem contar que a Opera é uma das empresas que mais participa (desde sempre) das definições dos padrões da nossa web-marota 🙂

    • sim, estou acostumado a ser crucificado por não aderir ao "movimento" chrome e entregar de vez minha vide cibernética nas mãos do Google. e quando recomendo dizem q estou falando besteira. enfim gosto é gosto, e cada tem o seu, mas para mim é tarde ja acostumei com a velocidade incrivel do opera e não há volta. só é uma pena certo desenvolvedores de sites e principalmente a maioria dos bancos não darem suporte correto pra ele. de resto é tudo perfeito. 😀

      • Saulo Benigno

        Sei como é isso, usei durante muito tempo o Opera desktop enquanto todos os meus amigos estavam indo para o Firefox…

        Pena que o mesmo começou a travar sempre, sempre mesmo, tive que deixar de lado, fui para o Firefox e fiquei.

      • mytzplik

        cara, a proposta do opera e bacana, tenho amigos que utilizam ele ate hoje, mas acho ele fei q dói, kkk

  • Saulo Benigno

    Vai demorar muito para o Galaxy Nexus chegar a ficar muito muito barato aqui no Brasil viu. Preço inicial de 2 mil reais para chegar na metade acho que nem em 2 anos.

  • raonipr

    Featurephones? Prefiro Dumbphones mesmo!