ZTOP

Open XML: a ABNT diz não… mas cadê a ISO?

Breves notí­cias chegam í  caixa postal deste Zumo: o padrão Open XML, defendido pela Microsoft, foi rejeitado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) na ISO/IEC JTC-1, mantendo, assim, a mesma decisão de setembro do ano passado.

A Microsoft diz, em nota oficial, “que respeita a determinação e ressalta que esta iniciativa de certificação internacional continua em aberto no Comitê Integrado de Tecnologia (JTC-1) da ISO”.

Falei agora com Cezar Taurion, gerente de novas tecnologias aplicadas da IBM Brasil, e ele me explicou que a decisão pelo “não” na ABNT significa que a entidade – ou seus votantes – não concorda com os moldes que o Open XML foi proposto. Na prática, a votação continua na prancheta e o “ideal seria a Microsoft pegar suas especificidades e incorporar ao ODF, criando um padrão só”, defende. Basicamente, o Brasil é contra a adoção do Open XML, assim como a índia. “Não é pirraça, é que o padrão não é adequado para o uso”, conta o executivo da IBM.

Em tempo: sábado, dia 29, é o último dia para os delegados que participaram da BRM informarem uma possí­vel mudança de voto. O resultado deve sair em abril, mas “a expectativa é manter o mesmo resultado anterior”, afirma Taurion.

E dá para brincar de futurologia com os padrões: E se o Open XML for barrado pela ISO? A bola de cristal de Taurion imagina que, se isso acontecer, a Microsoft poderá reapresentar o padrão Open XML para a ISO, em um processo que levará mais alguns anos para se concluir. “É o tempo mais que suficiente para os paí­ses definirem pelo ODF”, conta. E se Open XML passar? “Vão ser dois padrões ISO, que vão precisar conversores para a interoperabilidade”.

Particularmente, espero que o resultado da BRM saia logo. Já houve discussão demais sobre o vazamento de informações, em um “processo que, por defender uma plataforma aberta, deveria ser aberto também”, na opinião de Taurion. Semana que vem estaremos de olho na ISO aguardando maiores informações.

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin