ZTOP

O pai do pinguim

Durante a LinuxCon 2010, realizada em São Paulo, trombamos com Linus Torvalds, o homem-sorriso do Linux.Linus, com seus 40 anos, parece um meninão. Orgulhoso de sua criação, o homem responsável pelo advento do Linux, há quase duas décadas, não está podre de rico. E pelo jeito, não liga para isso.

Recebido como celebridade pela comunidade Linux do Brasil durante a LinuxCon Brazil 2010, o programador não economizou gentileza ao falar com os participantes, nem negou fotos e autógrafos.

(link do vídeo)

Por 30 minutos, ele falou com a imprensa brasileira, inclusive com este Zumo.

A entrevista coletiva foi acompanhada de perto pelo chefão da Linux Foundation, Jim Zemlin. A Linux Foundation tem como objetivo incentivar o uso do Linux e fomentar seu desenvolvimento.

Quando Linus falava, ele emitia um certo brilho apaixonado. Ele realmente ama o que faz, se importa com o que criou e quer ver seu trabalho alcançando a todos.

Já Zemlim, mesmo tentando emular um pouco da aura bacana de Torvalds, mostrou o mesmo jeitão de grandes executivos que já conhecemos. O papo evangelizador, de como o Linux é grátis, descentralizado e seus concorrentes são os monstros malvados do mundo da tecnologia, não cola mais. Inclusive, foi até um pouco constrangedor ver Torvalds ao lado de Zemlin. Ambos falavam sobre a mesma coisa, mas a mensagem que cada um passou foi diferente. Era o visionário ao lado do empresário.

Quando inquirido sobre os problemas e custos de implantação do Linux (que o governo brasileiro já enfrentou de perto), Linus deu de ombros e respondeu: “Eu realmente não posso falar pelos outros. Eu não ligo para essas coisas, só ligo para o código…” E, sabem, ele tem toda razão. Ele fez a ferramenta, não tem culpa se alguns não sabem como usá-la.

Linus Torvalds fez o Linux pois não encontrava nada que suprisse suas necessidades. E quando precisava de alguma coisa, como uma calculadora, por exemplo, ele mesmo programava. Os tempos heróicos já passaram, hoje ele é mais um divulgador e incentivador do Linux do que um programador, um mediador para a comunidade de desenvolvimento.

O grande problema do Linux é que, apesar de ter baixo custo, ele custa caro para implementar. É preciso quebrar o molde de décadas de pensamento orientado pelo Windows.

Mas aí, também precisamos dar o mérito a quem merece: o Windows é o sistema mais usado do planeta porque funciona, faz sentido para a maioria das pessoas. O Linux, até pouco tempo, era complicado demais para simples mortais usarem. O Ubuntu, a distribuição mais amigável do Linux, é popular porque simplesmente conseguiu recriar a lógica de utilização do Windows em um ambiente puramente Linux.

Algumas perguntas Linus não respondeu, talvez por cortesia com seus patrões da Linux Foundation. Sua distribuição favorita não foi revelada, “uso a que tiver à mão”, respondeu ele. Fora das câmeras, ele também não quis comentar sobre a Transmeta, empresa fabricante de CPUs que deixou em 2003.

Mas no final da coletiva, já correndo para o painel do qual iria participar na LinuxCon Brazil, não perdoamos: “Ei Linus, qual o seu videogame?” Ele arregalou os olhos, sorriu e respondeu: “Ora, é claro que é o PS3! Minhas filhas adoram jogar Little Big Planet.”

Quantos por aí podem falar que um console de última geração roda software que surgiu pelas próprias mãos? Boa, Linus!

  • Erick

    A Sony removeu o suporte a Linux no PS3 já faz algum tempo.

    • Mas quem não atualizou, continua rodando. E o core do desenvolvimento dos jogos pode ser feito em Linux.

      E, bem, a Sony removeu, mas já colocaram de volta. Esses moleques hackers são uns danados!

  • Ismael

    "O papo evangelizador, de como o Linux é grátis, descentralizado e seus concorrentes são os monstros malvados do mundo da tecnologia, não cola mais."

    Pois é, embora continue sendo verdade. Mas concordo, é bom trocar o discurso. As vezes falar o mesmo, dizendo diferente.

    E pelo que andei lendo, o Linus não está exatamente pobre, avaliaram que tenha uns 20 ou 30 milhões de Obamas.

    Mas ele já deu uma entrevista que segue bem a tão falada pesquisa divulgada essa semana sobre o "quanto custa a felicidade":

    Ele dizia que tinha tudo que queria, trabalhava com algo que gosta, que ele criou, pagava suas contas, sua família vive bem.

    Claro que todo mundo quer ter dinheiro, mas realmente, ter 20 milhões ou 1 Bilhão já não deve ter o mesmo impacto que comparar quem ganha até 100 mil por ano.

    • O lance bacana do Linus é isso. Ele não precisa de um bilhão. Ele é feliz com o que tem e com o que faz. Daí essa cara, esse olhar de gente boa, dele.

  • A parte melhor é a do brilho nos olhos por ver que seu trabalho deu frutos! É isso aí, Linus!

  • Apenas uma correção: O Linus não é mais um programador muito ativo, mas isso não significa que não tenha uma papel fundamental no desenvolvimento do Kernel.
    De uma certa forma, todas as correções e melhorias só são consideradas estáveis após seu aval.
    E de vez em quando ele propõe também correções.
    Se não me engano, seu último grande projeto para colaborar com o desenvolvimento foi o git.

    Abraços

  • dflopes

    Algumas considerações e dúvidas:
    a) O guru trabalha com o que atualmente?
    b) gosto muito do Ubuntu – tinha até instalado no PS3 (antes do geohot cutucar a onça com vara curta). Mas vá falar pros xiitas que vc gosta de Ubuntu… ¬¬
    c) Little Big Planet é realmente muito bom… Preciso voltar a jogar antes de lançarem LBP2
    d) Para usar no governo, coloquem Ubuntu, Open Office e Firefox – mas liberem o orkut e msn. Não terá uma reclamação 😉

  • luiz

    O texto tá legal (não vi o video ainda), mais tem duas coisas que não dá. Primeiro dizer dos custos de implementação do Linux (no exemplo o Governo Brasileiro) e usar o Ubuntu como parâmetro, dizendo que agora ele está fácil e tal, não rola. Governo nenhum usa Ubuntu, eles criam sua própria distribuição toda personalizada para atender as suas necessidades.

    E dizer que o Ubuntu ta recriando o jeito Windows eh falta de educação. No máximo ta imitando o Mac.

    E o Linus já disse a distro que usa a muito tempo, Fedora. Alias depois que o KDE4 entrou como padrão no Fedora ele mudou pro Gnome, e isso ja faz mais de ano. Pode até ter mudado de WM, mais duvido que tenha largado o Fedora como SO padrão nesse período.

    • Stan

      Olá Luiz. Trabalho para o governo federal (Serpro) e posso afirmar que todas as novas máquinas aqui rodam ubuntu. Nenhuma nova maquina sai com windows. Algumas maquinas mais antigas ainda rodam fedora e algumas maquinas ainda tem windows xp. Mas o ubuntu está dominando. 🙂

      []'s

  • timmerman

    "O grande problema do Linux é que, apesar de ter baixo custo, ele custa caro para implementar. É preciso quebrar o molde de décadas de pensamento orientado pelo Windows."

    Uma coisa que me deixa muito chateado é autor que pensa que a tecnologia se resume ao desktop. É lamentável.

    Vamos pros dispositivos mobiles: Quem é que tá dando as cartas, o Android (que é Linux) ou o Windows Phone 7 – que até essa data ainda é só promessa?

    Vamos pros servidores: Quem é que dá as cartas nos servidores desde a segunda metade da década de 90? Em servidores web, o Apache + Linux ou o IIS + Windows? Qual a plataforma normalmente recomendada pela Oracle para seu banco de dados? Qual a plataforma de virtualização mais utilizada no momento, Microsoft e seu Hyper-V ou VMware vSphere/ESX/ESXi (que semelhante ao Android, também é Linux), ou o Citrix XenServer, ou o Xen, KVM ou OpenVZ? Em outros softwares de infra-estrutura (DHCP, DNS, NTP, RIP, OSPF e etc) que também sustentam a internet, eles também rodam na plataforma da Microsoft? Não… Comumente são encontrados em Linux, que em todos esses aspectos substituiu o Unix, sejam todas essas aplicações embarcadas ou não.

    E não acaba por aí, também vamos pros supercomputadores: Qual o sistema operacional cujo uso lidera nos supercomputadores mais potentes do mundo (video Top500) há mais de uma década?

    E tem mais. Outros dispositivos embarcados? Qual o SO que roda na maioria dos modens ADSL, roteadores (de pequeno, médio e grande porte), access points, video games, storages, nobreaks, switches, KVMs, GPSs e etc? Te garanto que não é o Windows…

    Enfim, o Windows é o sistema operacional mais presente no mercado ou no desktop?

    • Bem explicado amigo, e tem ainda gente que se acha especializado em imprensa tecnologica !

  • James Cameron

    mais do mesmo

  • Hugo Lobo

    "O Ubuntu, a distribuição mais amigável do Linux…"

    Não é verdade. Em termos de "facilidade de usar" (se é que isso existe) o Ubuntu fica muito atrás do Mandriva ou do SuSe.

    "…, é popular porque simplesmente conseguiu recriar a lógica de utilização do Windows em um ambiente puramente Linux."

    Embora não seja correcto, há um pouco de verdade por detrás desta afirmação. A verdade é que a comunidade Ubuntu na sua grande maioria é composta de refugiados do Windows. Esses refugiados, por sua vez, querem que o Ubuntu funcione como eles estão habituados, ou seja, funcione como o Windows. É por isso que muitos afirmam que o Ubuntu já não é Linux, é qualquer coisa entre o Windows e Linux.

  • Cara como tem bobo que adora atirar pedra em Vitrine.

    O cara aborda um tema de uma maneira que não é radicalmente correta e lá vem os argumentos básicos de um FUD, desqualifique!

    Não seria mais legal e educado, preparar um material uma pesquisa, uma paper e enviar para o cara que fez o artigo expondo sua analise sobre o tema em questão.

    De certa forma me lembra aquele comportamento no transito, onde um cara (mulher ou homem), comete um erro com o outro carro e ai este individuo, já sai xingando até a quinta geração do outro.(a).

    Gentileza, gera Gentileza!