ZTOP

(O melhor) livro sobre a história do PC vai virar blog

Passando pelo blog do meu colunista de tecnologia preferido — I, Cringely — eu topei com um post que fala sobre os 20 anos do lançamento do seu livro Accidental Empires — How the Boys of Silicon Valley Make Their Millions, Battle Foreign Competition, and Still Can’t Get a Date (ISBN 0887308554) de 1992, para mim um dos melhores e mais divertidos relatos dos primórdios da computação pessoal feito por alguém que realmente viveu essa era e não de quem ouviu falar sobre.

De fato, Robert Xavier Cringely — pseudônimo de Mark Stephens — fez parte desta história como jornalista, cobrindo tecnologia para a revista InfoWorld. Fora isso, ele também foi o funcionário #12 da Apple ainda na época da garagem e que Steve Jobs — meio na pindaíba — lhe ofereceu ações da Apple no lugar de uma grana que ele devia para o autor mas Bob insistiu em ser pago em dinheiro, decisão que ele se lamenta até hoje.

Entretanto, seu trabalho mais conhecido é um documentário da PBS em três partes chamado — The Triumph of the Nerds (1996) — baseado neste livro e apresentado pelo autor. Ele contém partes de uma antológica entrevista com Steve Jobs (na época presidente da Next) cuja versão integral foi redescoberta recentemente numa fita VHS encontrada na garagem de um dos diretores da série.

A segunda e terceira parte podem ser vistas aqui e aqui.

Interessante notar que esse documentário teve uma continuação meio obscura chamada Nerds 2.0.1 — a Brief Story of the Internet (1998) que também virou um livro (por sinal bem chato) escrito pelo diretor da série Stephen Segaller.

Mas como tudo no mundo da alta tecnologia, o conteúdo dessas obras já está bem datado, de modo que Cringely explicou no seu post que, por enquanto, ele não pretende mais revisar nem atualizar seu livro como fez na reedição de 1996. A propósito, ele nem considera a oferta do mesmo no formato de eBook. Não porque ele não possa e sim porque ele acha que existe uma maneira bem mais interessante e menos trabalhosa de manter essa obra viva.

Ele irá republicar Accidental Empires na forma de blog ou seja, um post por episódio o que facilitará a sua edição, publicação e a adição de novas informações incluindo fotos. Fora isso, os leitores poderão comentar cada um dos posts/capítulos, adicionando informações complementares do tipo “você conhece outra história ligada a esses fatos?” ou “o que aconteceu com alguns desses personagens?”  — e passado algum tempo os leitores terão acesso a todo o conteúdo original do livro on-line do de graça — ou quase — já que ele pretende colocar publicidade neste novo site para ajudar a financiar essa empreitada.

Ah sim e tem mais: Cringely explicou que com a obra original totalmente disponível on-line, a idéia será de analisar os comentários dos leitores e aproveitar o que for mais interessante numa futura edição revisada e ampliada que ele está chamando de — Accidental Empires Rebooted.

A previsão é que o novo site entre no ar ainda neste mês. Estamos de olho.

Ztop Trivia:

Impérios Acidentais no Brasil

Para quem não sabe, Accidental Empires foi publicado no Brasil em 1995 pela Ediouro com o sugestivo título Impérios Acidentais — como os garotos do Vale do Silício ganharam milhões, mas não arranjam namorada (ISBN 85-00-42827-9).

Baseado na edição original (e sem os dois capítulos a mais da revisão de 1996) a tradução de Roberto Raposo é muito boa, apesar de que ele deve ter passado um mau bocado na hora de traduzir alguns termos e jogos de palavras usados por Cringely — como o título do capítulo um,  The Demo-God (um trocadilho de demigod ou semideus) que Raposo traduziu como o Rei das Demonstrações. Pior ainda é o início do capítulo treze onde Cringely faz uma analogia com um jogo de baseball — citando elementos bem particulares deste jogo como a maneira de interpretar som agudo da batida do taco com a bola e que o tradutor brasileiro teve que reinterpretar tudo na forma de um jogo de futebol, com direito de trocar os jogadores gringos pelo Romário e Roberto “bola fora” Baggio.

Eu comprei o meu exemplar novo numa pilha de oferta de qualquer livro por R$ 9,90 nas Lojas Americanas. Curiosamente, ele ainda pode ser facilmente encontrado nos sebos on-line a preços bem módicos.

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Anderson Costa

    Esses livros são verdadeiras pérolas da história da informática e co-relacionados. No que tange a "co-relacionados" um que acho interessante é o que conta a história da Nintendo, do Hiroshi Yamauchi e o Minoru Arakawa, se não me engano, o nome do livro é "Os Mestres do Jogo" escrito por David Shef

    • mnagano

      Eu também citaria outro livro da mesma época chamado Big Blues — A Derrocada da IBM de Paul Carrol. Apesar de meio trágico ele também é um relato bem interessante sobre o nascimento do IBM PC e de como uma empresa tão grande e próspera não soube tirar melhor proveito de um produto tão bom, mas que ao invés disso arrastou a mesma para uma das suas piores crises. De um certo modo, quem salvou a empresa foi Lou Gerstner que reinentou a mesma como uma empresa de consultoria e de serviços.

      Esse livro nem é tanto sobre tecnologia e sim sobre pessoas ou mais exatamente sobre a eterna briga de idéias entre as mentes dinâmicas e criativas versus a burocracia lenta e conservadora que existe em muitas empresas.

      • Eu li o Big Blues e já indiquei a muita gente. Este Imperios Acidentais, eu não conhecia. mas já comprei minha cópia.

        Tem um outro muito bom o Startup de Jerry Kaplan, se não me engano. Relata a invenção dos computadores operados a caneta. O bom de ler todos assim é que você se vê em alguns trechos, montando um panorama completo de todo o que estava acontecendo e de como as coisas se conectavam, ou não.

  • Pingback: // Versão Zero » Arquivo » Do Ztop: (O melhor) livro sobre a história do PC vai virar blog()

  • Ari

    Creio que o ISBN correto seja 8500428279.

    [] Ari

    • mnagano

      Sim, eu troquei 279 por 729. Thx!

      By the way, checando isso na minha edição nacional, eu notei um segundo ISBN na última capa: 85-00-99993-4 que, segundo o Google é de um livro chamado Câncer de mama: prevenção e tratamento. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002.

      O buscador também encontrou outro título chamado Curva de Rio Sujo, de Joca Reiners Terron da Editora Planeta de 2003. Mas esse pode ser um typo do cara que cadastrou esse livro no sebo virtual.

      Eu hein…