ZTOP

Notas da Zumo-caverna: quanto perdemos na recarga do celular?

bateria

Num papo de boteco com um colega de profissão, ele me falou de uma notícia publicada no exterior que dizia quanta energia — ou no final das contas, dinheiro — que as pessoas desperdiçam quando regarregam seus celulares na tomada sem necessidade.  Eu fiquei intrigado com essa afirmação e fiz algumas experiências por conta própria e os resultados foram no mínimo interessantes ao ponto de me convencer a mudar meus hábitos de como recarregar meus eletrônicos.

Para essa experiência eu utilizei um telefone celular Nokia N95 Model 1 (também conhecido como N95 Classic) com bateria BL-5F de 950 mAh. Sua autonomia não é considerada um dos destaques desse aparelho ao ponto do seu sucessor — o N95 8GB — ter sido redesenhado para acomodar uma nova bateria de 1.200 mAh.

n95_bl_5fA proposta desse teste foi de usar o telefone até que ele simplesmente desligasse por falta de energia. Feito isso, eu esperei até antes de ir para a cama (lá pelas 23:00)  para ligá-lo no seu recarregador de tomada (um Nokia AC-3U devidamente monitorado pelo meu medidor de energia) e fui dormir. A idéia nesse caso foi de fazer o mesmo que muitas pessoas fazem: chegam em casa e deixam o celular recarregando na tomada, retirando o adaptador na manhã do dia seguinte.

O celular ficou desligado durante a noite para evitar que alguém ligasse para o mesmo, alterando assim seu tempo de recarga.

Lá pelas 7:00 da manhã do dia seguinte, peguei os dados e joguei num gráfico para analisá-los:

nokia_consumo_2_small

O que podemos ver no gráfico acima é que o consumo de energia em watts (linha laranja) manteve-se constante por umas três horas, caindo até para praticamente de zero lá pelas 2:08 da madrugada consumindo um total de 6,9 watt-hora (linha púrpura).

O curioso é que a cada 30 segundos registrei um pico de consumo de 0,1 watt e uns curiosos picos de até 2,5 watts. Esse consumo residual elevou o valor total dessa recarga para 8,7 watt-hora: um desperdício de 1,8 watt-h ou 0,0467568 centavos de real a mais na conta do final do mês segundo a tarifa da Eletropaulo (R$ 0,25976 por kilowatt-hora segundo minha conta de junho/09) e isso sem contar as taxas e impostos.

Durante o dia seguinte eu usei o celular de maneira moderada, de modo que tinha algo como meia carga da bateria até a noite (segundo o indicador na tela do aparelho) e repeti o mesmo experimento do dia anterior. Desta vez, o resultado foi o seguinte:

nokia_consumo_1_small1

Note que depois de aproximadamente uma hora e meia o carregador deixou de funcionar a plena carga (linha azul) indicando que a bateria foi totalmente recarregada,  consumindo nesse processo um total de 3,8 watt-hora, mas os picos de 0,1 watts a cada 30 segundos se repetiram como no dia anterior de modo que o consumo total da recarga no final da experiência foi de 6,0 watt-hora ou seja, um desperdício de 2,2 watt-hora ou 0,0571472 centavos de real no final dessa operação.

Pode parecer uma merreca, mas multiplique esses 6 watt-hora pelo número de vezes que realizamos essa operação toda semana, mês ou ano e depois multiplique esse total pelo número de pessoas que tem um ou até mais celulares em casa na sua rua, bairro, estado ou país e esse valor começa a ficar interessante e até mesmo politicamente incorreto numa época em que falamos tanto em computação verde e poupar energia para combater o aquecimento global.

Hoje, eu ainda recarrego meu celular no final do dia, mas faço isso mais cedo e fico de olho no medidor de modo a retirar o adaptador da tomada logo após a carga estar completa.

Acho que ainda voltaremos para esse assunto, já que deixamos de fora outros fatores que podem ou não interferir no conta de energia, como o modelo ou fabricante, o uso de carregadores ineficientes/alternativos e até mesmo se existe algum consumo de energia se deixamos o carregador sem uso ligado na tomada.

Fiquem ligados.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Ademir

    Na verdade sua conta está incorreta, a conta correta seria 0,25976/1000 = 0,00025976 <- este é o valor do watt, 0,00025976*1,8 = 0,000467568 <- este é o valor que virá a mais em sua conta de energia no fim do mês acrescido de impostos e taxas.

  • Ótima notícia, Nagano.

    Mas tenho uma pergunta: o celular ficou ligado durante a noite?

    Se me permite, gostaria de fazer uma pequena correção. Acho que no lugar de watt/hora, vc deve utilizar watt-hora (watt * hora).

    Abraços

  • Mário,

    Interessante esta conta. E se voce parar para pensar, 1 ano vale um ingresso em um bom cinema (18 reais) ou 2 ingressos (se você paga meia!).

    So uma correção: é watts-hora ou kwh (multiplicando tudo, apesar da grafia com o sinal de menos) e nao watts/hora.

  • Olá,

    Eu tenho um N800 da Nokia e quando a bateria é carregada aparece uma mensagem na tela: “Retire o aparelho da tomada para economizar energia!”

    Achei bem legal… mesmo com o aparelho desligado aparece esta mensagem na tela!

    Os pequenos picos devem ser a eletrônica do aparelho checando se há necessidade de carga ou algo do tipo…

    E ainda tem o lance da 2 lei da termodinâmica… o número de ciclos de carga de uma bateria é finito (não é uma operação 100% reversível)… logo carregar só quando realmente necessário aumenta o ciclo de vida útil da bateria, nós e o planeta ganhamos com isto.

    abs

  • José Luiz

    Olá pessoal, bom dia, gostaria de mais algumas informações sobre o teste, o celular em questão estava ligado ou desligado no momento da carga?
    Outro detalhe, acredito que todos estão fazendo a conta referente ao consumo, mas esqueceram que a eletropaulo (isso no caso da grande São Paulo) possui faixas de valores referente ao consumo, e isto implica em um almento de valore cobrado por watt utilizado. Logo mensurar o valor é algo muito relativo, pois uma familia A pode ter um consumo dentro de uma faixa, e este valor será X e uma familia B em outra e com isso o valor será Y.

    Parabéns pelo teste. (PS. qual equipamento você utilizou para monitorar o consumo (Corrente) da fonte??)

  • Nossa, bem interessante isso.

    O meu problema, no caso, é que eu uso um iPhone 3G — provavelmente o telefone com autonomia de bateria mais ridícula. A carga dele é suficiente certinho para um dia inteiro de utilização, no meu ritmo. Eu tiro ele da tomada de manhã e pouco antes de dormir ela já fica no vermelho de novo.

    Se eu recarregar ele à noite, mas tirar da tomada assim que estiver 100% recarregado, só a pouca energia que ele vai gastar pra ficar em stand by durante a noite já pode ser o suficiente para que eu fique sem celular no fim do dia seguinte.

    Como eu trabalho em casa, a solução poderia muito bem ser dar uma segunda carga no meio do dia, mas por mais que digam que a bateria do iPhone não vicia, eu realmente não me sinto confortável colocando ele para carregar se o medido não estiver no vermelho (apesar de fazer isso sempre que eu preciso sair e a bateria está abaixo da metade).

    Tomara que a bateria do 3GS tenha uma autonomia maior.

  • Ótimo post! Será q agora convence os céticos q largam o celular ligado na tomada o tempo todo? Ou simplesmente o carregador vazio sem o celular?

  • João

    Uma dúvida: o carregador ligado na tomada, sem celular conectado, consome alguma energia? Pergunto pois carrego meu celular apenas quando necessário, mas o carregador “mora” na tomada ao lado da cama. Abs!

    • @joao e demais que perguntaram: o nagano ainda nao fez esse teste (ele está fora hoje) e responde o mais rápido possível, ok?

  • Verdade….vendo o comentário do Admir e os valores economizados são:

    R$ 0,001 $ / dia
    R$ 0,017 $ / mês
    R$ 0,209 $ / ano

    Em dez anos da para pagar a garrafa d’agua no cinema….rs (bom, mas por motivos ecologicos podemos desligar o celular da tomada).

    ——————-
    Desenvolvendo a idéia proposta no site, se um terço dos brasileiros que possuem celular deixam eles carregando a noite inteira (50 milhoes de aparelhos), estamos pagando sem necessidade 10 milhões de reais por ano em energia elétrica!

  • Anderson

    Vale lembrar que só foi considerado o ciclo de recarga de um aparelho celular.

    Mas muitos de nós temos mais de um dispositivo, como cameras digitais, média players e carregadores de pilhas (tá certo que nesse caso, alguns são dotados de circuitos inteligentes e desligam automaticamente quando a carga máxima é atingida), que facilmente aumentariam esse conta. E não foi considerado o numero de pessoas na mesma residência (ou escritório).

    Uma outra situação interessante é quanto aos aparelhos da Nextel, com base de relatos de usuários que conheço e também considando a minha própria experiência com eles, usando moderadamente durante o dia, a carga da bateria dura aproximadamente 20 horas, se for para uso mais intenso (tipo, você não larga ou não consegue largar do aparelho), esse tempo cai facilmente para 12 horas. Ou seja, para manter em funcionamento, praticamente tem que recarregá-lo toda noite.

  • Rafael

    Isso vai mais pela conciência da pessoa mesmo. "São só alguns centavos/reais". Para dar outro exemplo com celular posso citar o que acontece de vez em quando com minha operadora: ela desconta uns 16 a 25 centavos do nada, sem usar o celular. Peço o saldo do pré-pago (por mensagem, que é de graça quantas vezes quiser por dia), posso ter ficado uma semana sem usar o aparelho quem sabe, e mesmo assim acontece essa "cobrança"/roubo. Mas vale me irritar e me encomodar por uns pilas de nada? Agora se ela faz isso com milhões de clientes, aí esse valor começa a ficar interessante, como disse o Sr. Zumo.

    • @rafael vale a mesma lógica do centavo no banco. imagine se seu banco cobra 0,01 de cada cliente…

  • Jorge

    O que precisamos é de celulares e demais aparelhos mais econômicos e/ou fazer uso mais moderado deles.
    Eu tinha um nokia 1600 a bateria durava 6 dias, troquei por um motorola w180 cuja bateria dura 8 dias.
    Considerando um desperdício de energia na recrga equivalente ao do Nokia N95, a economa em termos financeiros ao final de um ano seria inferior a 3 centavos
    Ou seja se você tiver um celular básico e econômico, o ambiente agradecerá muito mais do que um celular gastão que necessita de recarga todos os dias

  • Antonio Santos

    Uma provocação

    Você fuma? Usa isqueiro Bic?
    Um Bic suporta 3.000 “acendimentos” de cigarro.
    Custa R$3,50 ou seja R$0,00117 por “acendimento”. Com impostos.

    Outra provocação.

    Calcule agora o quanto de energia vc gastou para escrever esse post.
    E quanto foi gasto por todos que leram.
    Considere que 50% dos leitores passarão a fazer a economia que vc propõe que façam no carregamento de celulares.
    E faça as contas.

    Não fiz as contas. Não sei quanto gasto de energia por minuto de computador.

  • Flavio

    Nagano,

    que equipamento você usou para medir o consumo ?

  • Manuel Chaves

    Qual é o fabricnate e modelo do seu medidor de energia?

  • Lucas Jardim

    Gostaria muito de saber qual é o consumo do carregador, quando ele está na tomada, sem carregar!

  • João Leite

    Muito bem pensado.. mas..

    Repetindo a pergunta do José: qual equipamento você utilizou para monitorar o consumo (Corrente) da fonte???

    Achei esse teste muitissimo interessante!

    Abraços!!!

  • Caro Amigo;

    Peço-lhe desculpas pelo ocorrido. Infelizmente li o conteúdo em meu fórum sem os devidos créditos e acabei achado que o conteúdo teria sido escrito originalmente pelo visitante.
    Falha corrigida.

    Abraços!

  • Quando meu N800 terminou de carregar pela primeira vez e mostrou a mensagem “recarga completa. retire o carregador da tomada para economizar energia” eu “nossa, que economia :P”, mas numa casa com vários celulares e outros equipamentos recarregáveis, a economia se multiplica várias vezes e o gasto é considerável.

  • Alex Freitas

    Eu uso o carregador veicular.
    Fica ligado durante todo o tempo que passo ao volante.
    Adotei este método depois que li sobre os ciclos de vida das baterias, que as “novas” baterias não viciam.
    Gde Ab.

  • Anônimo

    Pessoal, entendo que a intenção de vocês é boa, mas para dar um pouco de perspectiva à discussão: um desperdício de 1,8 ou 2,2 watt-hora equivale a menos que dois segundos de banho num chuveiro de 5000 watts. Lembrando a , é mais eficiente dedicar-se a diminuir o desperdício nas atividades que contam por uma porcentagem mais significativa do consumo de energia durante o dia.

  • jorge masvidal

    Então, basicamente, toda esta notícia é inútil? Pelas contas do Ademir, é inútil se importar com economias desta magnitude, a não ser que 20 centavos por ano seja um rombo na sua conta.

    Acho que vou economizar mesmo em não dar esmola no trânsito.

  • Wagner

    Se é assim vou carregar pelo USB.