ZTOP

Hands-on: Nokia Lumia 920

Com lançamento previsto para algum momento no começo de 2013, o Nokia Lumia 920 é a mais nova tentativa da turma de Espoo (e também da Microsoft) em tornar o sistema operacional Windows Phone 8 relevante em um mundo dominado por iOS e Android (quer dizer, Apple e Samsung).

Nada de preço ainda: segundo Almir Narcizo, presidente da Nokia Brasil, os valores para o 920 e para o 820 serão “competitivos”, e que em 2013 veremos mais aparelhos da linha Lumia.

Mesmo antes do lançamento oficial por aqui, vale citar que hoje (22/11/12) o Lumia 920, topo de linha da Nokia, está esgotado em diversos países (incluindo Estados Unidos, Finlândia, Alemanha e até mesmo nos Emirados Árabes). Se pensar que a Nokia considera o mercado norte-americano altamente estratégico e só vai vender esse aparelho em uma operadora (AT&T), isso pode significar uma boa notícia.

>>>Leia também: Hands-on: Nokia Lumia 820

A Nokia “vende” o hardware do Lumia 920 como seu principal diferencial. Sim, as especificações técnicas são melhores que a geração anterior (Lumia 900/800): processador Qualcomm Snapdragon S4 dual-core de 1,5 GHz, tela de 4,5″ WXGA (1280 x 768 pontos), 32 GB de armazenamento e câmera de 8,7 megapixels com tecnologia PureView. E tem 4G (será compatível com as redes 2,5 GHz a serem adotadas no Brasil, por sinal).

Mas fica a pergunta: consumidor final não-técnico/nerd/geek olha para isso ou para o preço final?

Seu design segue a linha iniciada pelo Nokia N9 e seguida pelos Lumia 800 e 900: corpo único de plástico, com bateria não-removível, com uma leve curvatura na parte traseira que diferencia o 920 das gerações anteriores. Nos primeiros reviews publicados no exterior, o peso (185 gramas) foi uma crítica comum ao smartphone, mas sinceramente para mim isso não faz muita diferença (meu telefone sempre está no bolso ou sobre a mesa).

No topo do Lumia 920 vemos o conector para headset/fone de ouvido padrão 3,5 mm e a entrada para o microSIM card em uma gavetinha (que pode ser aberta usando uma ferramenta que virá com o aparelho). Dá para notar que esse acabamento em branco risca só de olhar.

Abaixo, os alto-falantes e o conector microUSB para recarga (com fios) e troca de dados com o computador.

Na lateral direita, o botão disparador da câmera – que a ativa com um toque rápido -, o botão de liga/desliga e o controle de volume. E só.

Na parte traseira, apenas a câmera e seu flash LED.

Diferente de novas versões dos sistemas operacionais concorrentes, como Android (que teve um salto enorme de melhorias de interface e recursos do 2.3 para o 4.0, por exemplo), o Windows Phone 8, à primeira vista, parece igualzinho ao 7.5 “Mango” anterior. Os ícones da tela inicial têm tamanhos ajustáveis, mas de resto é tudo meio que idêntico ao antigo.

O Lumia 920 que mexi já estava como software em português (note que o Kid’s Corner, uma das grandes novidades do WP8, aparece na tela abaixo como “Espaço da Criança”). E a tela é realmente incrível.

O que vai diferenciar os Lumia 920/820 dos concorrentes (por enquanto, somente o Samsung ATIV S deve sair por aqui, já que a HTC saiu correndo do mercado local) é o software adicional da Nokia, como a solução de mapas e itens divertidos como o City Lens (um app de realidade aumentada que mostra locais ao seu redor).

Voltando ao hardware, outro item que diferencia o 920 dos demais smartphones é o carregamento sem fios. Aqui, ele está sobre um acessório, o Nokia Wireless Charger Pillow by Fatboy, que deve ser vendido por aqui como opcional.

Basta conectar o “travesseiro” a uma tomada e apenas apoiar o 920 sobre ele: a recarga começa quase que imediatamente.

E, finalmente, a câmera, que para mim pode vir a ser o grande fator de indicação de compra do Lumia 920. Já ficamos maravilhados por aqui com a tecnologia Pureview usada no Nokia 808 e sua câmera maluca de 41 megapixels (entenda a tecnologia), e o 920 usa alguns desses recursos para melhorar a qualidade da imagem – que, em seu tamanho maior, chega a 8,7 megapixels de resolução.

Para demonstrar isso, um cenário aparentemente escuro…

Revela detalhes que não são fáceis de ver de longe:

Consegui uma cópia da imagem: essa é a tirada pelo 920 (não foi em resolução máxima), mas já dá para dar uma ideia de como essa câmera se comporta em situações de luz baixa.

E essa foi tirada com um LG Optimus 4X HD (review a caminho), que era o que eu tinha no bolso no momento:

O Lumia 920 ainda faz vídeos em Full HD e conta com recursos de estabilização de imagem, o que é bem interessante para um smartphone.

Finalmente, o Lumia 920 ao lado do irmão mais básico Lumia 820. Aguardamos pelas unidades de review, mas isso só deve ocorrer em 2013 mesmo.

 

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin