ZTOP

No ar, mas dá pra melhorar

Caros,

Como vocês podem ver, o site está de volta ao ar, agora em servidor novo, mais estável e expansível. Infelizmente, estamos com um problema que “bagunçou” os acentos em todos os posts antigos. Já estamos preparando uma solução (a coisa é mais complexa do que parece), esperamos estar a 100% em breve.

Agradecemos a compreensão

  • César

    bem vindos novamente

  • Manoel Antônio

    Tá péssimo, mas tá perdoado. Só espero que volte logo. Enquanto isso, leio outros blogs de tecnologia, mas o meu preferido é o Zumo, até pela barrinha do UOL no topo.

  • Kan

    Finalmente voltou.

  • Will Rez

    Ae!!

    Prefiro o Zumo do q os outros!

  • Paulo Santana

    Estava preocupado, ainda bem que voltou.

  • Internet sem o Zumo não dá :>).
    Aproveito o offline do Zumo para postar um caso off-topic que aconteceu comigo ontem (18/08-/2008), e que acho pode interessar a todos que usam a internet. É o seguinte:

    Quem está mentindo?

    Um caso curioso envolvendo empresas prestadoras/operadora de serviços telefônicos e de internet.
    Tenho acesso a internet por banda larga pelo Velox, serviço prestado pela Oi, operadora de telefonia. Sou cliente residencial do Velox.

    Como estava insatisfeito com os valores cobrados pelo meu provedor de autenticação/conteúdo (que não é a mesma coisa que prover o acesso à banda larga), resolvi pesquisar por um com melhores preços e sem arapucas em seus anúncios/promoções, que começam com um excelente preço, em geral nos 3 primeiros mêses, para em seguida ir aumentando gradativamente de valor.

    Pesquisando descobri que outra prestadora/operadora de serviços telefônicos e de internet que récem passou a oferecer seus serviços aqui em minha cidade (BH, MG), a GVT, oferecia o serviço de acesso por banda larga já incluido o provedor de autenticação mais o provedor de conteúdo, POP, que na realidade, pertence a própria GVT. E pelo mesmo preço do cobrado pela Velox/Oi sem autenticação/provedor de conteúdo. Ou seja me livraria dos custos com provedor de conteúdo/autenticação.

    O caso curioso vem agora.

    Ao ligar para GVT e dizer do meu interesse em trocar de provedor de acesso banda larga à internet, a atendente me disse que eu só teria a ganhar, devido, entre outras coisas, ao fato de a banda larga da GVT não ser compartilhada, ou seja, o acesso a 1Mbps, por exemplo, da GVT seria mais rápido que o da Velox/Oi, pois seria um canal de 1Mbps, exclusivo para mim, ao contrário do da Velox/Oi que é, segundo a atendente da GVT, compartilhado com vários usuários do mesmo “tronco” a que estou conectado.
    Ouvi, todas explicações e planos que ela tinha a me oferecer e desliguei dizendo que iria avaliar sua oferta.

    Em seguida liguei para Velox/Oi, comentando do meu interesse em cancelar minha assinatura e contratar os serviços/produtos da GVT.
    Sabem o qual foi um dos argumentos da atendente da Velox/Oi, para que eu não tomasse essa atitude?!
    Ela me disse que o acesso da GVT era compartilhado de que o 1Mbps deles, por exemplo, era mais lento por ser dividido com outros usuários, etc, etc… :>), enfim me disse exatamente o mesmo que a operadora da GVT havia me dito sobre o serviço deles. :>)

    Agora eu me pergunto, quem está mentido?!
    Ou melhor será que alguém está falando a verdade?!

    Devido à uma aberração de nossas leis, sou obrigado a contratar um provedor para navegar/usufruir da internet. Provedor esse que me autentica para liberar o meu uso da internet. Mesmo tecnicamente comprovado não ser necessário o intermédio de um provedor para a autenticação.

    Esse provedor que me autentica, também é conhecido como provedor de conteúdo, me oferecendo acesso a e-mails, noticias, conteúdo exclusivo e fechado a assinantes (videos, fotos, blogs, etc.), etc.
    Muito bom esse provimento de conteúdo; não fosse o detalhe de que eu posso não quere-lo. Não sou obrigado, até por lei, visto que isso se configura em venda casada, a adquirir e consequentemente pagar, por um serviço/produto contra minha vontade.

    E como já disse é perfeitamente possível usufruir dos serviços/produtos da internet; que tem vasto conteúdo de acesso gratuito e muitas vezes mais interessante e de melhor qualidade do que o conteúdo dos provedores pagos de conteúdo; sem precisar da figura do provedor de conteúdo/autenticador de acesso.

    Obviamente tem “alguems” “mamando” com essa lei.
    http://womni.blogspot.com/

  • Collation e encodings. Sempre assombrando a gente…

  • Sniffer

    Eu não consegui fazer esses collations e encodigns funcionarem direito, então exportei o banco de dados e fiz alteração manual dos caracteres com acentos (localizar/substituir), que não são tantos assim. Troquei todos pelo código correto (no meu caso UTF-8, sendo que antes estava em ISO). Reimportei o database alterado e funcionou.
    Sim, sei que foi uma solução meio ao avesso, que deveria fazer via código, etc. Mas enfim, o que importa é que funcionou, não é?

  • Sniffer

    @xlucas, venha viver em São Paulo e assine Speedy ou Virtua. Em ambos não é necessário provedor de autenticação. Quanto à qualidade dos serviços, bem, isso já é lá outro assunto.