ZTOP

5 minutos com Microsoft Surface (Windows RT)

Trombei com um Surface ontem. Sabe quando você encontrar um amigo em um evento e ele pergunta: “ei, você já viu o Surface? Tô com ele aqui”. Na correria, consegui mexer um pouquinho no tablet da Microsoft e tirar meia dúzia de fotos.

Claro que a foto que abre este post é piada proposta pelo dono do tablet (tks Ratan!) para provar sua resistência.

Sim, a capa/teclado, ops Touch Cover, segura bem o peso do portátil (e embaixo dele, em caso de falha, um sofá improvisado estava pronto para proteger da queda). E, sim, o teclado é muito fino, funciona direito e a foto abaixo foi a única decente dele sem perder o foco. Claro que humanos não vão usar o Surface assim…

Mas graças ao incrível Kickstand integrado ao aparelho (mais sobre isso adiante), o Surface cabe direitinho no seu colo.

Questão relevante número 2: tem aplicativo para Windows RT? Acho que a tela abaixo responde bem isso…Sim.

Um recurso básico do Windows 8/RT se prova essencial no tablet: alternar usuários.

Ainda no software/sistema operacional, o Windows RT não traz o infame Índice de Experiência do Windows, comum às máquinas com plataforma x86 (e lembrando que o WinRT roda sobre processadores ARM).

Finalmente, o hardware propriamente dito. Existe a velha máxima que a Microsoft faz hardware melhor do que software (mouses, teclados, webcams e… consoles de videogame!), e o Surface comprova isso (especificações completas do Surface).

É sólido e firme na mão e, se botar rodinhas, vira um skate. Culpe o material usado pela Microsoft: VaporMg, nada mais que uma liga especial de magnésio. Tem um espírito de Thinkpad ali (nunca vou esquecer uma demo no início do século, quando um evangelista da IBM ficou pulando em cima de seu ThinkPad). E o Surface é um PC completo, com entrada para fones de ouvido, alto-falantes estéreo…

…uma porta USB, uma saída de vídeo (requer adaptador) e, escondido embaixo do Kickstand, um slot para cartão microSD.

Curioso é que o Kickstand só pode ser aberto (sem forçar a amizade) por essa ranhura do lado esquerdo do tablet.

Ali embaixo estão informações gerais sobre o produto e o Windows RT.

Na frente, apenas o botão de liga/desliga.

E com a capa fechada e a base aberta.

O Surface tem ainda duas câmeras (frontal e traseira) – mas quem usa câmeras em um tablet, afinal? (a frontal pelo menos serve pra usar Skype).

No fim das contas, dá para tirar uma lição do Surface: é um recado claro aos fabricantes de hardware sobre como PCs (ou tablets) ideais devem ser feitos. É um portátil muito bem construído, com sua alma de Windows que continua ali. A Microsoft, na época do anúncio do Surface, mandou um recado aos OEMs afirmando que fez o projeto sozinha e sem a ajuda de ninguém e que continua a se dedicar com o mesmo empenho aos seus parceiros de hardware.

A Microsoft Brasil, na época do lançamento do Windows 8 no mercado local, no fim de outubro, disse não ter planos ainda para trazer o Surface ao país. Nos EUA, sua versão mais básica (32 GB) é vendida pelo valor sugerido de US$ 499 apenas nas lojas da Microsoft.

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

Próximo post:

Post anterior: