ZTOP

LG Tone Studio: parece uma ideia ruim, mas não é

Um alto-falante de pescoço. Uma caixa de som vestível. Tudo que pensei ao ver o LG Tone Studio pela primeira vez foi “quem, em nome da tecnologia, permitiu criar um equipamento que toca música alto em público?”. Só que eu estava errado.

O Tone Studio (modelo HBS-W120) é, sim, voltado para uso pessoal – tanto em casa como no escritório. Tem quatro alto-falantes nesse “colar” – dois em cima e dois embaixo. O preconceito de “socorro, vai ter gente ouvindo música alta no metrô” vai embora na hora que você usa o Tone Studio. Entrei em uma salinha de demonstração no estande da LG na CES (no meio das lavadoras múltiplas que lavam-secam em vários compartimentos diferentes e das novas TVs OLED ultra-finas e ultra-caras) para ver como era.

A demo consistia em sentar em um sofá, colocar o LG Tone Studio em volta do pescoço e ver um pedaço de um filme. Não só a experiência sonora foi incrível – você sente os graves no pescoço, por conta dos alto-falantes inferiores – como dava para ouvir o som e conversar ao mesmo tempo com o promotor do produto, sem ter que gritar.

Tá, mas e se eu for falar com você, consigo ouvir sua música? O promotor inverteu os papéis e colocou o wearable, sem mexer no volume: eu não conseguia ouvir a música. Bingo: problema resolvido.

O LG Tone Studio se conecta via Bluetooth 4.0 aos seus dispositivos – TVs, home theaters, smartphones – e foi desenvolvido em parceria com a DTS para criar a experiência surround de som. Segundo a LG, é possível conectar dois Tone Studio ao mesmo tempo para compartilhar uma playlist ou ver um filme em um ambiente que precisa de silêncio.

Ah sim, e se precisar mesmo usar em público, o dispositivo tem fones de ouvido in-ear para uso mais discreto. Eu me vejo usando o Tone Studio vendo um filme no notebook, deitado na cama, ou trabalhando em casa sem ter que ficar com os fones o tempo inteiro. O produto não tem preço definido ainda, mas o promotor disse que deve ficar na faixa dos US$ 200-240. 

Nagano comenta: Quando vi este acessório pela primeira vez a primeira imagem que veio a minha cabeça foi esse iluminador de pescoço para Kindle (modelo sem backlight) um legitmo farol de gente:

Já a idéia de um fone de pescoço na forma de canga de burro deve ter sido inspirado em outro clássico acessório de classe econômica de avião:

Pode ser que essa versão não tenha isolamento acústico mas ao contrário do modelo da LG, este faz massagem no seu pescoço!

Esse produto da LG também é um exemplo que ilustra bem sua rivalidade com a Samsung, ou seja, que para fazer frente ao gigantismo da Sangung a LG tem que ser mais ágil, diferente e inovadora que sua concorrente. Algo que vemos no Tone Studio e em outros produtos do passado, como as telas flatron, a TV 3D com óculos passivos e dual view (a mesma tela compartilhando duas imagens para pessoas diferentes)

O consumidor agradece!

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin