ZTOP

Gadget do dia: Lenovo Yoga Book

Disponível na versão com Android e Windows, o novo Yoga Book revisita o conceito de notebook que troca o teclado por uma grande área de toque.

Anunciado na IFA 2016 na Alemanha, o novo Yoga Book da Lenovo poderia ser mais um notebook 2-em-1 besta do mercado…

Yoga_Book_aberto

…se não fosse por um pequeno detalhe —ele não tem um teclado…

Yoga_Book_no_keyboard

… ou quase, já que ao abri-lo surge o layout de um teclado retroiluminado que funciona do mesmo jeito de um teclado virtual de um tablet, já que essa área — batizada de Create Pad — funciona como um imenso toutechpad ou mesa digitalizadora…

Yoga_Book_virtual_keyboard

… operada por uma caneta do tipo stylus que também funciona como esferográfica:

YOGA_BOOK_tablet_stylus

Sintam o drama:

Com isso, a grande sacada desse produto é que ele abre novas possibilidades e modelos de uso para esse portátil que vai além dos modos tablet, tenda, display e notebook…

YOGA_BOOK_modo_notebook

…sendo a mais óbvia delas como tablet para desenhos…

YOGA_BOOK_tablet_desenho

Ou como sistema de transcrição de texto manuscrito, o que tem aplicações bem interessantes para aqueles que ainda precisam preencher formulários à mão — como receituários médicos ou assinaturas de contratos — e registrar automaticamente essa informação no computador tanto na forma cursiva…

YOGA_BOOK_tablet_manuscrito1

… quanto na forma digital:

YOGA_BOOK_tablet_manuscrito_digital

Tecnicamente falando, o Yoga Book vem equipado com um processador Intel Atom x5-Z8550 quadcore de até 2,4 GHz e 2 MB de cache, 4 GB de RAM, 64 GB de SSD + slot para cartão Micro SD (até 128 GB). Sua tela LCD IPS tem resolução nativa Full HD (1.920 x 1.080 pixels) com brilho máximo de 400 nits e incorpora a tecnologia de toque AnyPen. Já o Create Pad adota a tecnologia capacitiva + EMR (electro-magnetic resonance), por sinal a mesma usada nos tablets da Wacon.

Yoga_Book_dobradica

Ele também vem equipado com duas câmeras — uma frontal de 2 megapixels com foco fixo e outra traseira de 8 megapixels com foco automático — sistema de som Dolby Audio Premium, bateria de polímero de ions de lítio de 8.500 mAh com autonomia estimada de 13 horas de uso contínuo ou 70 dias em stand-by.

YOGA_BOOK_tablet_flat

Fora isso ele ainda conta com interface Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, modem 3G/4G, GPS, acelerômetro, porta USB etc. Fechado, ele mede aproximadamente 25,7 x 0,96 x 17,0 cm e 690 gramas de peso.

Yoga_Book_dois_modos

O Yoga Book sai de fábrica com duas opções de sistema operacional: O Windows 10 Home ou Pro e o chamado Android com BOOK UI, que é uma versão especialmente customizada pela Lenovo para facilitar o seu uso nessa nova plataforma, assim como a execução e troca das várias aplicações abertas ao mesmo tempo. A empresa também já anunciou uma série de acessórios como um estojo de transporte, papel para notas e recargas de tinta para a caneta.

YOGA_BOOK_capa

Já existem algumas informações sobre o Yoga Book no site da Lenovo Brasil, mas nenhuma fala sobre a sua chegada no Brasil.

Dang!

Ainda em tempo:

Não é a primeira vez que uma fabricante de PCs coloca um notebook “sem teclado” no mercado. Acho que o exemplo mais notório é o Acer Iconia (que fomos conferir de perto lá em Nova Iorque em 2010), que era mais uma façanha de engenharia (como o Asus Taichi), mas que não vingou (assim como o Taichi) pela falta de aplicações que realmente tirassem proveito da sua tela dupla:

acer-iconia

De fato, acho que a única aplicação real do uso das duas telas do Taichi foi o Billboard, um experimento social feito pelo pessoal de etnografia do Intel Labs:

Taichi_message

Outro exemplo ainda mais antigo “da união do PC com o bloco de notas” é o ThinkPad Transnote da IBM de 2001, uma impressionante engenhoca formada por um notebook e um bloco de notas com reconhecimento de escrita que podia ser fechado e dobrado como se fosse uma pasta/álbum tamanho A4:

ibm_transnote

Eu me lembro que Fábio Gandour, cientista-chefe da IBM Brasil e chapa deste ZTOP, me contou certa vez que ele estava presente na apresentação deste produto para o pessoal do IBM labs, que ajudou no seu desenvolvimento em parceria com o PSG (Personal Systems Group) da IBM e que, no meio da chuva de confete entre abraços, elogios e tapinhas nas costas, ele se levantou, também fez o seu elogio e aproveitou a deixa para perguntar se existia uma versão para canhotos.

Eis que, de repente, os engenheiros pararam de sorrir, começaram a se entreolhar com aquela cara de — “puxa vida, a gente não tinha pensado nisso” — e ai o tempo fechou e a casa caiu.

Fato é que, quando o Transnote chegou ao Brasil, havia de fato uma versão com o bloco posicionado à esquerda do portátil pelo mesmo preço da versão para destros.

Saudades do Gandour… 🙂

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien