ZTOP

Review: Memory Key Kingston Data Traveller HyperX Predator de 512 GB

Ainda único no mercado, o HyperX Predator é um produto super-premium que incorpora o que existe de mais avançado em tecnologia de memória Flash, mas o usuário vai ter que desembolsar (muuuito) para ter um destes no bolso para impressionar as garotas e os amigos nerds.

Estava aqui na Zumo-caverna pensando em maldades quando recebi uma sacolinha de papel com uma caixa de metal dentro (oba oba, doce!)

Kingston_HyperX_Predator_512_bag

É…  Não foi desta vez. De qualquer modo, o seu conteúdo não deixa de ser algo que vai deixar muita gente babando ou de queixo caído: o famoso Memory Key Data Traveller HyperX Predator USB 3.0 da Kingston (modelo DTHXP30) um produto que vi pela primeira vez numa visita ao QG da empresa na CES no início deste ano.

Kingston_HyperX_Predator_512_embalagem

O modelo que recebemos para testes não o topo de linha de 1 TB e sim o de 512 GB que, apesar de oferecer “apenas” a metade da capacidade ela não deixa de ser algo bastante respeitável, principalmente num mercado como o nosso onde os modelos mais vendidos ainda são os de 4, 8 e 16 GB.

Também vale a pena observar que mesmo em mercados mais maduros como o americano, a versão de 1 TB não é tão fácil de se achar do no varejo e o que dizer aqui no Brasil. De fato, o único lugar onde achei um para vender (modelo DTHXP30/1TB)  foi no próprio site da Kingston pelo preço de R$ 9.436 com prazo de entrega de 15 dias ou seja, ele só deve ser trazido sob encomenda.  Já a nossa versão de 512 GB (modelo DTHXP30/512GB) também está disponível neste mesmo site pela bagatela de R$ 4.453 ou seja, mais caro que o PlayStation 4 nacional.

Kingston_HyperX_Predator_precos2a

Clique para ampliar

Mas voltando ao que interessa, o HyperX Predator vem embalado numa elegante lata de alumínio, junto com um chaveiro e um cabo de extensão. Na parte interna da tampa existe um informe em várias línguas de que esse produto tem garantia de 5 anos contra defeitos de fabricação com direito a troca ou reembolso do valor pago (mais detalhes em kingston.com/wa).

Kingston_HyperX_Predator_512_embalagem2

O que também chama a atenção desse produto (além da sua capacidade de armazenamento) são suas dimensões físicas — 7,2 x 2,7 x 2,1 cm (L x A x P) e 63 gramas de peso, sendo que boa parte do seu corpo é protegido por uma sólida armadura de metal (ou mais exatamente de liga de Zinco) que deixa exposto apenas a janela do LED de estado e sua parte central feita de policarbonato.

Kingston_HyperX_Predator_512_na_mao

Dando uma olhada mais de perto nessa parte central é possível ver a espessura dessa capa metálica que me parece ser maciça o suficiente para resistir bem a algumas quedas e batidas acidentais sem deformar, mas não me parece algo que seja resistente a respingos d’água ou entrada de pó.

Kingston_HyperX_Predator_512_capa

Aqui uma comparação entre o HyperX Predator e outros memory keys da Kingston:

Kingston_HyperX_Predator_512_compared

Kingston_HyperX_Predator_512_compared2

E como outros produtos da casa como o Data Traveller 100 G3 ou o Ultimate 3.0 G3 o HyperX Predator não possui tampinha que protege seu plug USB 3.0 (facilmente identificável pelo seu conector interno da cor azul)…

Kingston_HyperX_Predator_512_na_mao2

… de modo que para utilizá-lo é preciso deslizar a metade da esquerda para a direita…

Kingston_HyperX_Predator_512_block1

… expondo assim o seu conector USB macho:

Kingston_HyperX_Predator_512_block2

Eu particularmente acho essa solução meio polêmica, já que, apesar dela dispensar o uso da tampinha que muita gente costuma perder, o acesso ao interior do plug USB (e dos seus contatos elétricos) fica sempre exposto e assim, sujeito a entrada de pó, líquidos e outras impurezas. Mas isso também não é nada que um potinho hermeticamente fechado ou uma tampinha emprestada de outro memory key não resolva.

Já do lado oposto, existe uma espécie de argola de fixação que adiciona mais 1,6 cm ao comprimento desse produto…

Kingston_HyperX_Predator_512_argola

… que pode ser usado para amarrar uma correia de pulso, de pescoço ou mesmo o chaveiro incluso, o que adiciona mais 31 gramas ao conjunto totalizando assim 94 gramas.

Kingston_HyperX_Predator_512_chaveiro

Uma dúvida que pode surgir na cabeça do usuário é se o tamanho desse memory não atrapalha na sua instalação e uso. Isso é claro, depende mais do design no computador do que do dispositivo propriamente dito. O que notamos é que o HyperX Predato encaixou sem problemas na lateral de um notebook de linha — o que também deve ocorrer com outros modelos, desde que sua altura em relação a base fique acima dos 8,3 mm.

Kingston_HyperX_Predator_512_connected1

Já no caso das portas USB ficarem muito baixas e/ou muito próximas entre si ao ponto de ficarem coladas uma na outra (como no painel traseiro das placas-mãe/desktops) a melhor dica é usar o cabo de extensão incluso de 18 cm, compatíovel com o padrão USB 3.0 o que garante o máximo de desempenho se comparado com um modelo vulgar.

Kingston_HyperX_Predator_512_ext_cable

Kingston_HyperX_Predator_512_connected2

E para saber se o dispositivo está sendo acessado, ele conta com um LED de estado que brilha na cor azul:

Kingston_HyperX_Predator_512_LED

Tecnicamente falando, a placa de circuito do HyperX Predator é formado por três partes unidas lado a lado por meio de flat cables, sendo que em cada lateral ficam oito módulos de memória NAND Flash de 19 nm/64 GB cada do tipo Toogle  Mode fabricados pela Toshiba e a placa central fica o seu controlador de memória/interface USB 3.0 (modelo PS2251 fabricado pela Phison). A grande sacada desta solução é que as placas laterais são dobradas sob e sobre a central como se fosse um “Z”,  resultando assim num conjunto pequeno o suficiente para ser embalado como um memory key. Imagens desse circuito foram fotografadas por Les Tokar do site The SSD Review e podem ser vistas aqui, aqui e aqui. Segundo a fabricante esse memory key é capaz de transferir dados a 240 MB/s (leitura) ou 160 MB/s (gravação) ou 30 MB/s (leitura ou gravação) quando ligado a uma porta USB 2.0.

Sob testes:

Para avaliarmos o desempenho do HyperX Predator plugamos a mesma num sistema baseado na placa-mãe ASRock modelo FT3-4C que foi o mesmo hardware que usamos no nosso review da CPU APU A6-5200Kabini”. Fizemos isso porque primeiro ela estava aqui de bobeira na bancada e pronta para uso — e segundo porque trata-se de uma plataforma moderna que oferece suporte nativo tanto para as portas USB 2.0 quanto para USB 3.0.

AMD_Kabini_ASRock_FT3-4C_montado1a

Nos testes realizados com teste geral (opção Benchmark) do HDTune 4.01 pudemos ver que ele manteve uma taxa média de leitura de 207,7 MB/s com picos de 214,6 MB/s um valor levemente abaixo (-10,8%) do divulgado pela Kingston mas mesmo assim dentro do que esperávamos devido a variação da plataforma de testes e o método de teste que varia de um benchmark para outro.

HDTune_Benchmark_KingstonDTHX_Predator_READ

Curiosidade, fizemos essa mesma medição com o HyperX Predator plugado numa porta USB 2.0 e a taxa média de leitura ficou em 32,2 MB/s com picos de 34,2 MB/s. Note que neste caso nossos resultados foram até 13% melhores que o divulgado pela empresa, apesar do tempo de acesso subiu de 0,5 ms (USB 3.0) para 1,0 ms (USB 2.0).

HDTune_Benchmark_KingstonDTHX_Predator_USB2

Algo semelhante pode ser observado com o CrystalDiskMark 3.0 x64 onde o desempenho em leitura e gravação sequencial ficou ainda mais perto do anunciado pelo fabricante tanto quando plugado na USB 3.0…

CrystalDisk_KingstonDTHX_Predator_USB30

… quando plugado na USB 2.0. Note que nesse caso, novamente a velocidade de leitura ultrapassou o divulgado pela empresa.

CrystalDisk_KingstonDTHX_Predator_USB20

Porém, esse desempenho em gravação não foi observado em outros testes, em especial no File Benchmark do mesmo HDTune 4.01 onde o desempenho em gravação ficou abaixo dos 50 MB/s (contra 160 MB/s anunciado pela Kingston) quando ligado numa USB 3.0.

HDTune_File_Benchmark_KingstonDTHX_Predator___

Já quando ligado na USB 2.0 os resultados também variaram, apesar de alguns deles serem bem mais consistentes ou seja, desempenho ao redor de 30 MB/s  tanto no modo de leitura quanto de gravação.

HDTune_File_Benchmark_KingstonDTHX_Predator_USB2

Já no bom e velho ATTO Disk Benchmark 2.46 esse mesmo comportamento foi observado tanto quando ligado na porta USB 3.0…

Atto_KingstonDTHX_Predator___… quanto ligado numa USB 2.0:

Atto_KingstonDTHX_Predator_USB20

Nossas conclusões:

Antes de mais nada é preciso deixar claro que o HyperX Predator é um produto ainda único no mercado e, por causa disso, suas vantagens e desvantagens devem ser avaliadas com alguma prudência.

Sob o ponto de vista tecnológico esse produto é uma notável façanha de engenharia, com um desempenho dentro do esperado — especialmente no modo de leitura de dados — apesar dele ter apresentado algumas inconsistências nos testes de gravação que — cá entre nós — não é o ponto forte dessa tecnologia. Fato é que esse tipo de produto — ao contrário dos HDs e SSDs de sistema — são mais usados como dispositivos de backup e recuperação/consulta/leitura de dados e para tal, seu desempenho é muito bom.

Aliás, em um certo momento dos testes pensamos até em reformatar esse memory key e tentar usá-lo como disco de sistema (com SO e tudo), mas como a BIOS da placa-mãe não reconhece dispositivos ligados nas suas portas USB 3.0 como dispositivos de boot, o experimento foi por água abaixo. 🙁

Outro detalhe que vale a pena destacar é que mesmo que o usuário não disponha de uma porta USB 3.0 n0 seu PC, o HyperX Predator performou muito bem mesmo ligado numa USB 2.0 tirando o máximo proveito dessa interface, o que não pode ser dito de muitos modelos feitos para essa interface.

Já no lado comercial/mercadológico, para um produto considerado pela empresa “para uso pessoal”, é difícil aceitar a idéia de pagar quase 4,5 mil reais num memory key por mais performático e capacidade que ela tenha. De qualquer modo, é fato que sempre existirá alguma aplicação que demande por um dispositivo com porta USB que armazene a maior quantidade de dados na menor embalagem possível. E dependendo da necessidade e/ou importância dessa aplicação até valha a pena pagar o preço — principalmente em setores como negócios/finanças, P&D, entretenimento, saúde, etc.

É tudo uma questão de juntar a fome com a vontade de comer.

ZTOP indica porem com reservas1

Resumo: Kingston Data Traveller HyperX Predator de 512 GB (modelo DTHXP30/512GB)

O que é isso? Memory key de uso geral de 512 GB com porta USB 3.0.
O que é legal? Imensa capacidade armazenamento, ótimo desempenho para um memory key.
O que é imoral?  Tamanho relativamente volumoso e meio fora de padrão. Assustadoramente caro!
O que mais? Apesar de veloz, seu desempenho ainda fica abaixo de um SSD com porta SATA 600. Bom desempenho também quando ligado numa USB 2.0.
O que você quis dizer com (*)? Esse ZTOP Indica é mais um reconhecimento pela inovação/tecnologia aplicada neste produto, o que explica em parte o seu preço elevado que pode desanimar até o early adopter mais engajado.

Avaliação: 9,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 4.453
Onde encontrar: www.kingston.com/br

 

Ainda em tempo:

Para aqueles que gostaram desse produto mas nem tanto do seu preço e nem precisam assim de tanta capacidade, vale a pena dizer que a Kingston possui um modelo com design semelhante idêntico e bem mais em conta chamado DataTraveler Ultimate 3.0 G3:

Kingston_Data_Traveller_UltimateDisponível nas versões de 32 GB (DTU30G3/32G — preço sugerido: US$ 68 nos EUA), 64 GB (DTU30G3/64G — US$ 130) e 128 GB (DTU30G3/128G — US$ 220) ele utiliza um controlador de memória mais simples o que reduz o seu desempenho declarado de 150MB/s na leitura e 70MB/s na gravação quando ligado numa porta USB 3.0 o que não é nada mal diga-se de passagem.

Seu padrão de construção parece ser o mesmo da versão de 512 GB/1 TB com a vantagem dele ser mais fino.

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.