ZTOP

Intel anuncia a era do PC Perceptual

IDF 2012: CPO da Intel anuncia novas tecnologias que permitem o PC ver, ouvir e compreender comandos que irão dispensar o uso de mouse ou teclado.
Durante o keynote de abertura do Intel Developer Forum de 2012 aqui em São Francisco, Dadi Perlmutter, Chief Product Officer da empresa, anunciou uma nova era na computação pessoal baseado no seu futuro processador Core ix de quarta geração (codinome Haswell) cujas primeiras plataformas devem chegar ao mercado em 2013.

E como era de se esperar, a ponta de lança dessa revolução será a plataforma Ultrabook introduzida e 2011 e que a cada ano evolui cada vez mais recebendo cada vez mais recursos e inovações sendo que com Haswell a plataforma passará por um upgrade bastante significativo, deixando de ser apenas um notebook leve e fino.

A primeira e a mais visível delas é que com com a chegada da terceira geração, os fabricantes irão introduzir seus primeiros modelos com desenho diferenciado, em especial aqueles que, de um jeito ou de outro podem se transformar em um tablet. Muitos desses modelos já foram apresentados durante a última Computex e IFA de modo que a grande novidade nesse caso é que a Perlmutter explicou que a Intel separa esses novos equipamentos em dois grandes grupos: aqueles cuja tela pode ser destacada do teclado (Ultranbook Detachable) e aqueles que se transformam em tablets mas a tela permanece unida a tela (Ultrabook Corvertible):

Fora isso Haswell é o primeiro chip da casa construído do zero para ser usado em Ultrabooks. Assim, sua principal característica é a sua eficiência energética com uma autonomia estimada de um dia inteiro de uso ou 10 dias em “stand-by conectado” ou seja, mesmo estando em um estado de dormência, o sistema é capaz de trocar informações com a rede, para receber avisos de alerta, e-mails, atualizações de sistema e até baixar arquivos.

O executivo declarou que menor consumo não significa necessariamente desempenho inferior, isso de fato foi demonstrado ao vivo durante a sua apresentação, utilizando como exemplo um protótipo de uma plataforma baseada em Haswell:

E a promessa é que a versão final dessa plataforma caiba dentro deste gabinete, um desenho de referência da Intel…

 Que lembra muito o Yoga da Lenovo:

Entretanto a parte mais interessante dessa nova plataforma é que com essa maior capacidade de processamento, a Intel vai melhorar ainda mais a sua capacidade de interagir com o usuário por meio de novos recursos além do teclado, mouse e até mesmo da tela de toque.

Uma delas é o reconhecimento de voz, uma tecnologia que já existe a tempos mas que sempre tropeçou na necessidade do usuário “falar” de um jeito que o computador o entenda. A novidade nesse caso fica por conta do sistema ser mais receptivo ao que podemos chamar de “linguagem natural”. O sistema abaixo – o Dragon Assistant – foi desenvolvido pela empresa Nuance e cuja versão beta estará disponível (só nos EUA) nos sistemas Dell XPS 13 até o final deste ano.

Outra tecnologia que a Intel já tinha citado no ano passado mas que ainda só estava no campo das idéias era o uso de gestos para comandar o PC. Durante sua apresentação, o executivo revelou uma nova iniciativa cujo objetivo é de criar todo um novo ecossistema de produtos, serviços e aplicações baseadas nessa tecnologia.

Para isso, a Intel desenvolveu em parceria com a Creative Labs um kit de desenvolvimento batizado de Intel Perceptual Computing SDK Beta

Que incorpora diversas ferramentas de programação voltado para os reconhecer gestos (inclusive o movimento de dez dedos a ate 90 cm de distância do PC), faces, voz e até realidade aumentada:

Também faz parte desse kit uma pequena câmera especial que lembra uma versão compacta do Kinect da Microsoft.

E como isso funciona? Kirk Skaugen mostrou como numa seção técnica sobre novas plataformas de PC:

Além das interfaces naturais, Perlmutter apresentou outros recursos interessantes que irão no futuro fazer parte da plataforma Ultrabook, como sensores e mecanismos de segurança que permitirão o pagamento simplificado de compras on-line  utilizando cartões de crédito/pagamento com NFC:

Nessa demo foi usado o sistema PayPass Wallet da Mastercard:

watch?v=3TOp0_gTRRw&list=UUYOSRAA8OG2GxCDkMT0kz4w&index=2&feature=plcp

Outras tecnologias são mais sutis, porém igualmente revolucionárias como a implementação de um sistema de recarga de dispositivos móveis por meio de indução ou seja, basta deixar o aparelho a ser recarregado ao lado do Ultrabook que ele irá recarregá-lo sem o uso de fios:

Assim com tantas novidades, sempre voltamos aquele velho assunto se vale a pena investir em um Ultrabook atual ou esperar pelo próximo, e essa pergunta foi levantada durante a seção de perguntas e respostas com o executivo.

Sua resposta foi a mesma que já tinha ouvido de Mooly Eden no ano passado: que se uma pessoa esperar sempre pelo modelo melhor e mais cheio de novidades ele nunca comprará nada. A idéia nesse caso é que na hora da compra, que o usuário decida pelo modelo que melhor se encaixe no seu perfil de uso e no seu melhor orçamento e tire o máximo proveito dele enquanto puder.

Sob um certo ponto de vista ele tem razão, já que PC deixou de ser investimento a muito tempo.

Ainda em tempo:

Quando sai do Moscone Center no fim da tarde de ontem, eu dei uma passada no Yerba Buena para ver como estavam os preparativos para o lançamento do novo telefone da empresa com nome de fruta.

A entrada principal já estava pronta:

 

A  grande imprensa já estava marcando terreno…

E a não tão grande também:

Se der tempo, dou uma passada hoje para ver como estão as coisas por lá.

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.