ZTOP

Intel apresenta versão “popular” do robô Jimmy

[IDF 2014] Movido por um módulo de processamento Edison, o novo Jimmy chega ao mercado americano pelo preço sugerido de US$ 600.

Já faz algum tempo que falamos de Jimmy, um projeto de robô “Open Source” criado pelos pesquisadores da Intel. O produto é fruto da cabeça de Brian David Johnson, futurologista da Intel que utiliza estudos de campo, etnografia, pesquisas tecnológicas, análises de tendências e comportamento social para construir uma visão pragmática da tecnologia sobre o ponto de vista dos consumidores e, no fim das contas, ajudar a Intel no  desenvolvimentos de novos produtos que podem chegar ao mercado a médio e longo prazo (algo como 10-15 anos).

Jimmy_pop_Brian

Durante o IDF do ano passado, Brian anúnciou uma nova iniciativa chamada 21st Century Robot, um manifesto que defende a idéia de que boa parte dos robôs do futuro não serão produzidos por grandes empresas e sim pelo esforço coletivo de inúmeras pessoas no melhor espírito do Open Source, ou seja — menos Bender B. Rodriguez de Futurama e mais C3PO de Guerra nas Estrelas.

O início desse projeto foi bastante modesto, já que na época além do manifesto original o que ele tinha para iniciar esse movimento era um modelo do corpo de Jimmy impresso em 3D, ficando por conta da comunidade a tarefa de recheá-lo e lhe dar vida:

Jimmy_pop_v1

E passado quase que um ano desse início modesto, o primeiro grande passo foi dado pela Trossen Robotics, que criou uma versão “turbinada” do Jimmy voltado para o meio acadêmico, pesquisadores e programadores avançados (de preferência com profundos conhecimentos de C++) que apesar de seus méritos, ainda é um modelo caro para o consumidor final, na faixa dos US$ 16.000:

Jimmy_pop_v2a

De fato, este Jimmy foi o tema de uma das apresentações de Brian…

Jimmy_pop_press_meeting

… e que aparentemente fez bastante sucesso:

Jimmy_pop_press_meeting2

De fato, Jimmy fez até um um showzinho para a platéia:

Para mim, a grande novidade desta história é que a Intel também anunciou durante esse IDF a versão mais em conta do Jimmy baseado na plataforma de processamento Edison e preço sugerido de US$ 600.

Jimmy_pop_versions

Dai surge a dúvida: O que é que o consumidor leva pra casa com essa grana? Para descobrir isso segui uma dica de Brian e fui dar uma olhada no estande do Edison no showcase do eventro e lá estava ele em todo o seu esplendor:

Jimmy_pop_v3a

Pelo que conversei com o pessoal da Trossen (que também irá comercializar esse modelo), por US$ 600 o usuário recebe o esqueleto completo…

Jimmy_pop_v3b

… mais toda a parte eletrônica (incluindo o módulo Edison) e motora (servos, sensores, bateria, fiação etc.)

Jimmy_pop_v3c

A única coisa que fica por conta do montador é fazer a carcaça, cujo desenho está disponível de graça para ser impresso em 3D.

Jimmy_pop_v3d

Pode parecer peguiça do pessoal da Trossen não fornecer esse componente, mas isso dá a opção para o usuário de customizar/criar seu próprio corpo e ter um só Jimmy para chamar de seu:

Jimmy_pop_models

E como ele funciona?

Eu perguntei se esse Jimmy também anda e o demonstrador disse que sim, mas eles preferiram não implementar essa rotina nessa demo devido ao receio do pessoal do stand se distrair por um momento e o olho do robô cair da bancada.

Mais informações aqui.

Disclaimer: Mário Nagano viajou para Califórnia a convite da Intel, mas todas as opiniões e fotos bacanas são dele.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.