ZTOP

iLife chega í  versão 2008 recheado de novos recursos

iLife 08 - Cortesia da AppleSteve Jobs não falou só de Macs no evento de hoje. O iLife, conjunto de aplicativos da Apple para sua vida digital, também ganhou nova versão. O iLife 08 traz mudanças significativas em todos os seus componentes, que o tornam um upgrade mais do que recomendado para quem usa versões antigas (como eu, que ainda estou no iLife 05).

No iPhoto, a principal mudança é a capacidade de organizar as imagens em “eventos”. A idéia, que faz sentido, é que é muito provável que todas as fotos tiradas em um determinado perí­odo (por exemplo, o mesmo dia) pertençam a um mesmo evento (um passeio, uma viagem, um casamento), e portanto fazem parte de um mesmo grupo. Tendo isto em mente, o iPhoto automaticamente divide as imagens em eventos ao importar. Cada evento tem uma “imagem í­cone” especí­fica, e juntar dois eventos é tão fácil quanto arrastar o í­cone de um para cima do outro. Para dividir um evento em dois basta selecionar o “ponto de corte” e clicar em um botão. É uma versão aprimorada do velho truque í­ndio de agrupar as imagens em álbuns em versões antigas do iPhoto, mas com uma interface e usabilidade muito melhores.

iPhoto 08 - Cortesia da Apple

Se você tem .Mac, vai adorar as novas “Web Galleries”: são praticamente um Flickr pessoal, e permitem mostrar suas fotos de viagem para todo o mundo com vários modos de visualização, inclusive um muito similar ao CoverFlow. Além disso os visitantes também podem contribuir imagens para sua galeria: você pode permitir que eles façam o upload de imagens, tanto via web como por e-mail. Até quem tem um iPhone pode entrar na brincadeira.

O editor de sites iWeb também aprendeu alguns novos truques: agora ele é capaz de publicar suas páginas em seu servidor pessoal em vez do .Mac (antes isso só era possí­vel com um truquezinho). Um recurso chamado “Web Widgets” permite inserir fácil e rapidamente pequenos “objetos” da Web, como mapas do Google, ví­deos do YouTube, Badges do Flickr e afins em suas páginas. Além disso, finalmente é possí­vel trocar de tema depois que você cria um site: na versão anterior, se você mudasse de idéia teria de recomeçar do zero.

Pretendo dar uma olhadinha no novo iWeb assim que possí­vel e ver se melhorou em alguns itens desde a última versão: entre os problemas que encontrei estavam a mania de usar imagens em alta resolução mesmo para thumbnails minúsculos na página, a insistência em converter até mesmo fotos para PNG (o que resulta em arquivos muito maiores do que em JPEG, com diferença mí­nima de qualidade) e problemas com fontes e acentuação.

No GarageBand, a mudança mais interessante é o Magic GarageBand. Funciona de forma bem simples: escolha um ritmo (Jazz, Pop, Rock e por aí­ vai) e posicione os instrumentos no “palco” da forma como quiser. O GarageBand cria automaticamente uma melodia base para você, que pode ser exportada para o editor e modificada como quiser. É uma ótima novidade para quem sempre quis “brincar” de música mas nunca teve criatividade para criar nem a mais simples das batidas. Além disso, há seis novos Jam Packs com loops e instrumentos para adicionar í s suas músicas, entre eles World Music, Orquestra Sinfônica, Ritmos e Vozes, com solistas e coros em vários estilos.

Mas de todos os aplicativos do iLife, o que mais mudou foi o iMovie. Ele não ganhou uma nova versão: ele é um aplicativo completamente novo. Segundo Steve Jobs, um dos “mais brilhantes engenheiros de ví­deo” da Apple foi passar férias no Caribe e voltou com horas de ví­deos de mergulho em alta definição. Ele pretendia condensar tudo em um ví­deo de 5 minutos para mostrar aos amigos, e não queria gastar mais do que meia hora no processo. O engenheiro descobriu que não conseguiria fazer isso com o iMovie, nem com o Final Cut (a ferramenta de edição profissional de ví­deo da Apple), nem com outros programas aos quais tinha acesso, então resolveu inventar algo para resolver o problema. O resultado ficou tão bom que a Apple decidiu basear a próxima versão do iMovie no trabalho do engenheiro, e assim nasceu o iMovie 08.

iMovie 08 - Cortesia da Apple

A primeira mudança notável é a interface totalmente diferente, com um visual muito mais profissional. Em termos de recursos, um dos mais significativos é o fato de que o iMovie deixou de ser apenas um software de edição de ví­deo para ser também um software de organização de ví­deo, como o iPhoto. Isso é excelente: até mesmo eu, que tenho uma câmera digital low-end, sinto falta de uma solução para organizar decentemente os clipezinhos que faço durante minhas viagens.

Mas no final das contas, o que mais importa são os recursos que aceleram a produção de um clipe. Por exemplo, o “skimming” permite encontrar rapidamente qualquer ponto em um ví­deo: apenas arraste o cursor do mouse sobre a amostra do clipe para ver trechos dele. Quanto mais rápido você arrasta, mais rápidos trechos se sucedem. Encontrou um ponto que interessa? Clique o botão do mouse e continue arrastando até onde quiser. Quando soltar o botão, você vai ter um “recorte” do clipe pronto para ser usado em sua montagem.

Há novas transições e efeitos, além de renderização em tempo real (já presente no iMovie 06) usando o poder de processamento a placa de ví­deo para acelerar o processo. E há uma opção para exportar ví­deo diretamente para o YouTube! Isso é algo muito importante: antigamente era necessário exportar seu projeto (sempre em DV) para Quicktime, e depois converter com um software externo para o formato do YouTube. Além de demorado, o processo de codificação e recodificação da imagem resultava em perda de qualidade. Agora apenas um clique resolve todo o processo.

O novo iLife 08 já está disponí­vel na loja online da Apple por US$ 79. Um “pacote famí­lia”, com licenças para cinco Macs na mesma casa, custa US$ 99. O programa também será incluso gratuitamente em todos os novos Macs comprados a partir de hoje.