ZTOP

IBM homenageia o descobridor do Fractal

Benoit Mandelbrot nasceu no dia 20 de novembro e trabalhou na IBM por 35 anos onde foi um dos pioneiros da computação gráfica e descobriu a chamada “impressão digital de Deus”

A IBM Research colocou no ar na sua página no Tumblr o IBMblr Fractal Fest uma homenagem a Benoit Mandelbrot o descobridor do Fractal com direito a um curioso utilitário que fractaliza páginas do Tumblr.

tumblr_mwkzv44lhM1s141c3o1_500

Nascido no dia 20 de novembro de 1924 em Varsóvia, ainda criança Mandelbrot  mudou-se com a família para a França em 1936 fugindo da crescente perseguição nazista na Polônia. Depois da segunda grande guerra mundial, ele estudou matemática e fez mestrado em aeronáutica na Caltech e, em 1958, foi trabalhar na IBM onde ficou por 35 anos como IBM Fellow.

De fato, foi o acesso aos computadores da empresa que permitiram que Madelbrot pudesse criar suas primeiras imagens de geometria fractal — o que faz dele um dos pioneiros da computação gráfica — e que levou a descoberta do chamado Conjunto de Mandelbrot em 1979.

mandelbrot_set

Mandelbrot cunhou o termo Fractal em 1974 a partir da palavra em latim “Fractus” (= quebrado) para descrever fórmulas matemáticas simples capazes de gerar estruturas geométricas recursivas onde cópias idênticas de si mesmo aparecem no interior da mesma  por mais que ampliemos a sua escala, um fenômeno que é bem mais fácil de ser observado com o auxílio de computadores, o que também ajudou a difundir esse conceito entre o público em geral e que virou até coqueluche nos anos 1990, em especial durante o boom do PC  Multimídia.

fractal_books

Porém, mais do que uma experiência psicodélica e/ou curiosidade matemática, a geometria fractal tem aplicações muito interessantes no mundo real, entre elas a chamada “theory of roughness” onde ele mostrou que os fractais poderiam ser usados para criar modelos bem realistas de formas geradas pela natureza como as estruturas de plantas, agrupamentos celestes e até a distribuição de vasos sanguíneos e até elementos geográficos como o relevo de montanhas, linhas costeiras e bacias de rios — esta última por sinal, uma aplicação muito usada em videogames para criar cenários e paisagens a partir de fórmulas matemáticas, permitindo assim criar mundos infinitos sem depender de desenhos e mapas pré-armazenados em arquivo — daí a idéia de alguns chamarem os fractais de “God’s Thumbprint”.

Na clássica sequência da demonstração do chamado “Efeito Gênesis” no filme Jornada nas Estrelas II, a geração do novo relevo do planeta foi criada pela divisão de CGI da Lucasfilm (que depois se tornaria a Pixar) usando técnicas de geometria fractal:

Segue abaixo uma entrevista com o cientista feito 19 dias antes do seu falecimento em outubro de 2010:

Para saber mais sobre esse fascinante assunto, recomendamos assistir o excelente documentário da série NOVA chamado Hunting the Hidden Dimension produzido pela KCET para a TV pública americana (PBS) e que foi ao ar pela primeira vez em agosto de 2011:

Para aqueles que não dominam o idioma dos bretões existe uma opção na barra de ferramentas desse vídeo que permite traduzir suas legendas em inglês para o português em tempo real. :-0

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.