ZTOP

Hands-on: Vectra GT-X Remix em Interlagos

gt-vectra
A convite da Chevrolet, na última semana, este Zumo experimentou a versão equipada com câmbio automático do novo Vectra GT-X Remix, na pista principal do Autódromo de Interlagos.

É claro que duas voltas é muito pouco tempo para sentir tudo o que mudou no carro, mas vamos lá. Internamente, o hatch ganhou novo grafismo no painel de instrumentos e mais porta-objetos. O acabamento dos assentos também tem novo desenho.

Finalmente, os porta-objetos laterais presentes nas portas dianteiras ficaram mais largos e já dá para acomodar uma garrafinha de 600ml neles (na versão anterior não cabia!).

Do lado de fora, as mudanças são mais marcantes. A frente do Vectra GT Remix está ligeiramente mais baixa do que a versão anterior e, vistos de frente, os limpadores de pára-brisa ficam ocultos. A grade, o capô e o para-choque dianteiro têm novo desenho. Já a lateral ganhou um novo friso cromado na altura dos vidros. Os retrovisores externos são pintados na cor do veículo e incorporam as setas.

Ao dirigirmos no asfalto, notamos que o Vectra GT-X Remix continua silencioso como já eram os modelos da geração anterior. Para um carro nacional, o ruído interno no Vectra GT-X Remix é mínimo. Seja nas retomadas de velocidade ou mesmo ao guiar o hatch em baixa velocidade sobre uma pista de cascalho, o ruído interno permanece insignificante.

Segundo a montadora, a suspensão ganhou um novo acerto. Em curvas mais difíceis, como o S do Senna, o carro manteve a estabilidade sem sair nem de  frente e nem de traseira.

Os freios (item muito importante em carros com uma pegada mais esportiva) continuam eficientes e confiáveis. Basta um toque sutil para domar o carro em situações normais. Para testar os freios no limite, aceleramos o Vectra GT-X Remix até a velocidade de 120 km/h e depois pisamos fundo no freio até a parada total do veículo. O ABS (sistema antitravamento) e o EDB (sistema de distribuição eletrônica da força de frenagem nas rodas) garantiram uma frenagem segura sem perdermos o controle do hatch.

Por incrível que possa parecer, é mais difícil guiar a versão virtual do Vectra GT-X Remix na tela do computador do que domar o carro de verdade no asfalto sagrado de Interlagos. Hum… Sabe de uma coisa? Deixa eu ir lá tirar o Atari da caixa e fazer a lição de casa no Enduro. Até. ; – )

Resumo: Chevrolet Vectra GT / GT-X Remix 2.0 Flexpower
O que é isso?
Hatch médio premium.
O que é legal? Silencioso ao dirigir, estável e seguro
O que é imoral?
Falta a opção de teto solar e a regulagem elétrica do banco do motorista como itens da lista de acessórios. Apenas 400 unidades do Vectra GT-X Remix receberão a cor azul Arian perolizada.
O que mais?
A nova frente deixou o carro com um ar mais esportivo e os motores estão mais potentes.
Preço sugerido:
a partir de R$ 56.034 (GT) e a partir R$ 64.134 (GT-X).
Onde encontrar: www.chevrolet.com.br

Dados técnicos:
Motor: transversal dianteiro com quatro cilindros em linha, bicombustível
Cilindrada: 1.998 cm³
Potência: de 133 cv (gasolina) a 140 cv a 5.600 rpm (álcool)
Torque: 18,9 kgfm (gasolina) a 19,7 kgfm a 2.600 rpm (álcool)
Direção: hidráulica
Câmbio: manual de cinco velocidades ou automático de quatro velocidades
Freios: a disco na dianteira e tambor na traseira ou a disco nas quatro rodas, com sistemas ABS e EBD.
Dimensões: 4,24 m de comprimento; 1,75 m de largura; 1,45 m de altura; 2,61 m entreeixos
Peso: 1.283 kg
Tanque: 52 litros
Porta-malas: 345 litros

Marilu Araujo escreve sobre TI desde 1997. Atuou em publicações especializadas, como PC Magazine Brasil e ZDNet Brasil. Escreveu para Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo. Trabalhou do outro lado da mesa, em agência de comunicação. Neste Ztop+Zumo, vai falar também sobre tecnologia embarcada em carros e em outros veículos. No Twitter: @mariluaraujo

  • Marcelo

    Se não fosse chevrolet e seus motores 4 cilindros com consumo de motor 6 cilindros, até consideraria, mas por isso e pelo preço – não não. Pra não sentir de cara tão até sorteando 100 reais em combustível hehe

  • anderson

    É o Zumo ampliando seus horizontes!!!

    Não deixa se soar um tanto estranho ver um carro num site de tecnologia focada em dispositivos computacionais, mas não significa que ele não tenha o seu valor.

    E não podemos esquecer que falar de outros assuntos sempre é bom.

  • André

    Mas ele roda Crysis? hahaha. Só uma brincadeira pela “expansão” (hands-on de um carro?!) do conceito de gadgets.

  • Walter Mercado

    Infelizmente ainda é o Astra europeu com o motor do Monza…

    E o facelift deixou o carro mais feio na minha opinião:
    [img src=”http://www.carplace.com.br/wp-content/uploads/2007/09/novo-vectra-gt-4.jpg”]

  • Henrique e Nagano.
    Vocês são tão nerds, mas tão nerds, que uma menina teve de ir testar um carro? Façam-me o favor!!

  • Peter

    Qnd se trata de GM (Grande Museu), até q o Astra GT deu uma melhorada. O anterior- com seu motor ridículo de ~127cv-, de GT não tinha nada! Agora qual estagiário da GM escolheu “Remix” como nome do carro? Deve ter sido o mesmo q escolheu o do Vectra “Previous” Edition! ahuaha

  • Pingback: Nungo()

  • Marilu

    Liga não, Renata… 🙂

    Deixa eles…

    Adoro tecnologia, mas é sempre um prazer falar de veículos. 😉

  • Eduardo Fabro

    bacana esse carango….

  • Vander

    Bonito carro, melhor agora com o novo motor de 140 vc, deve andar bem esse carro, com 55.000 vc compra um desse com ABS e sensor de chuva, dentre outros acessórios, do que comprar um 307/ c4 hatch e dentro outros pagando esse valor por um motor 1.6 de 113 cv, ninguem merece….