ZTOP

Hands-on: ThinkPad X1 Wireless Touch Mouse

Voltado para usuários móveis, o novo X1 Wireless Touch Mouse da Lenovo é tão versátil que pode trabalhar tanto de pé quanto de cabeça para baixo!

Da série “acessórios bacanas que a gente não costuma ouvir falar muito (a não ser no Ztop + Zumo)”, o ThinkPad X1 Wireless Touch Mouse (P/N 4X30K40903) da Lenovo é um belíssimo exemplo do design industrial criado pelo pessoal de Raleigh lá no grande estado da Carolina do Norte:

Segundo a empresa, ele foi desenvolvido para expandir o que eles chamam de X1 Experience ou seja, um produto leve, fino e versátil que cabe em qualquer bolsa ou bolso daquele usuário que está sempre em movimento, oferecendo o máximo de comodidade no menor volume possível.

O produto em si vem dentro de uma elegante embalagem junto com seu cabo USB, alguma documentação impressa…

… e um pequeno cartão com mensagem de David Hill, Chief Designer Officer da Lenovo e atual guardião da imagem do ThinkPad — um produto que ele ajudou a criar há quase 25 anos atrás e que ainda hoje ele continua a aperfeiçoar ano após ano.

Medindo aproximadamente 5,68 x 9,50 x 2,04 cm (LxAxP) e 58,5 gramas de peso, como era de se esperar de um produto “ThinkPad” o X1 Wireless Touch Mouse é dono de um visual limpo e sóbrio, formado por linhas retas e curvas suaves com detalhes em vermelho e textos em branco sobre um fundo preto levemente fosco:

Seu perfil na forma de cunha pode não parecer muito ergonômico, mas ela até que ele se encaixa muito bem sob a mão (tanto esquerda quanto direita) do usuário. Isso porque, ao contrário dos mouses convencionais onde a mão (inteira) fica apoiada sobre o mouse…

… e sim apenas os dedos, o que até faz sentido no caso de um acessório tão pequeno:

Se comparado com o modelo anterior, podemos ver que o novo X1 Wireless Touch Mouse não vem com aquela pintura emborrachada (que derrete com o passar dos anos) e ficou bem mais fino…

… devido ao fato da sua bateria interna ser agora do tipo recarregável (LiPo de 380 Ma) e não removível, o que para mim é uma decisão controversa porque — se de um lado isso ajudou a tornar o produto mais leve e fino, ao mesmo tempo passa a impressão de se tratar de um produto cuja vida útil será determinada pelo estado da bateria — ao contrário do modelo anterior que trabalha com pilhas alcalinas/recarregáveis do tipo AA.

Outro detalhe interessante desse novo modelo é que ele praticamente não tem partes móveis, o que inclui os botões direito/esquerdo e a rodinha de rolagem de tela…

… sendo que esta última foi substituída por uma linha vermelha que delimita uma área capacitiva/sensível ao toque…

… que permite ao usuário rolar a tela passando o dedo sobre a mesma:

Já as funções dos botões direito e esquerdo passaram para a parte de baixo do mouse que, na realidade, fica apoiada sobre uma espécie de base oscilante…

… que responde a pressão aplicada nos cantos…

… com um feedback sonoro que confirma o clique do mouse:

Fora isso, sua base também possui um pequeno touchpad e um controle de avanço/recuso de tela o que pode ser útil em apresentações de PowerPoint:

Outra surpresinha que fica escondida neste produto é que como no Nokia 95 sua baste desliza para cima, revelando um compartimento que abriga uma porta USB Micro (usada apenas para recarga), um dongle USB (que não sai do lugar por causa de um imã na sua base) e uma chave seletora que ativa o modo de conexão sem fio via dongle USB ou bluetooth 4.0:

Pode parecer estranho a empresa oferecer esse mouse com duas interfaces, mas o nosso palpite é que apesar da facilidade de uso do dongle USB (mais “plugue e use” impossível) a medida que os notebooks ficam cada vez mais leves finos, existe uma tendência de que eles também venham com menos portas físicas — incluindo a USB — o que faz com que o bluetooth volte a ser uma alternativa viável para conectar periféricos como teclados e mouses. Sob esse ponto de vista, na dúvida, melhor oferecer os dois né?

Outro toque de design bem bacana é o seu botão de liga/desliga que também funciona como uma porta que ao ser ligada expões seu sensor óptico (de 1.000 dpi). Assim quando desligado/fora de uso, essa portinha impede a entrada/acúmulo de impurezas no sensor.

Já para recarregar a bateria do mouse basta conectar o cabo USB micro na porta do mesmo. Note a presença de um LED branco ao lado da mesma que indica a passagem de corrente…

… e de um indicador de carga na parte de cima do mesmo que também acende na hora em que ligamos o mouse:

Segundo a empresa, um minuto de recarga é o suficiente para até uma hora de uso, assim sendo ela diz que uma carga completa tem autonomia estimada em um mês de uso.

Na prática pode se usar qualquer cabo USB micro para recarregar esse mouse, mas é preferível usar o modelo que acompanha o produto já que o mesmo permite que o usuário continue a usar o mouse mesmo durante a recarga:

Com relação ao seu uso, como já dissemos antes, ao contrário do mouse comum onde colocamos toda a mão sobre o dispositivo e o arrastamos pela mesa de trabalho, no caso do X1 Wireless Touch Mouse a tendência é que apoiemos a palma da mão sobre a mesa, colocando apenas os dedos sobre o mouse, segurando o mesmo pelos lados usando o dedo polegar e anular…

.. e clicando com os dedos indicador e médio, aplicando uma leve pressão com os dedos nos cantos para clicar em algo.

Isso pode parecer estranho no início, mas com o tempo a gente acostuma e até começa a gostar do dispositivo apesar da “linha de rolagem” não ser tão precisa quanto a boa e velha rodinha, principalmente na hora de fazer ajustes finos na sua posição, algo como tentar manobrar um barquinho na banheira apenas soprando na sua vela.

Fora isso, no geral, ficamos bem impressionados com esse mouse pela sua excelente combinação de forma, função e tecnologia, o que nos passa a impressão de ter sido um produto onde tudo foi cuidadosamente pensado e desenvolvido para oferecer a melhor experiência de uso para o seu usuário, o que por sinal é uma das características mais fortes da linha ThinkPad.

Como já disse David Hill numa entrevista para este ZTOP:

“… temos a preocupação de que tudo aquilo que implementamos tem algum propósito e que não é algo frívolo, como, por exemplo, calça boca de sino, que entra e sai de moda.

Trata-se de um compromisso de longo prazo cujo objetivo é de ter certeza de qualquer mudança que fizermos no Thinkpad é sempre para melhorá-lo de algum modo, tanto sob o ponto de vista da sua usabilidade, no seu visual ou até mesmo para torná-lo mais atraente para um novo público-alvo que possui desejos diferentes.

É isso ai Dave, falou tudo! 🙂

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Produto interessante pra sua faixa de preço. Mais autonomia seria bom, mas entendo que foi uma escolha de priorizar o design.

    Já está disponível no Brasil?

    • Mario Nagano

      O problema de alguns acessórios do ThinkPad é que eles só são chegam por aqui como parte de uma compra corporativa.

      Por exemplo, digamos que uma empresa queira atualizar seu parque de notebooks executivos pelo X1 Carbon só que ela quer todos eles com aquele mouse bacanudo que ela viu no ztop. É claro que a Lenovo Brasil vai importar um lote para atender a esse pedido.

      Quando estava escrevendo esse post eu chequei na lojinha da Lenovo Brasil e eles ainda não tem esse mouse a venda, mas entre um papo e outro ouvi dizer que eles estão sim avaliando essa possibilidade, mas nada de oficial por enquanto. :-p

  • Gostei muito, eu costumo usar o mouse dessa forma com o pulso apoiado na mesa, por isso prefiro mouses pequenos. Ele funciona em qualquer computador ou existe algo que restrinja para o X1?

    • Mario Nagano

      Ao contrário de outros mouses sem fio que vem só com dongle USB (2,4 GHz) ou só com Bluetooth, esse modelo vem com ambas as interfaces, o que faz com que ele funcione com qualquer PC.

      A única “limitação” que li no seu manual é que sua interface Bluetooth 4.0 não é compatível com Windows 7.

      • Obrigado pela informação! Tomara que tragam para o Brasil 🙂

  • angelico

    Acessório legal para usuários que não se dão bem com o trackpoint ou que utilizam o notebook numa dock. Eu particularmente não troco o trackpoint por nada.

    • Mario Nagano

      Trackpoint rulez – Numba one!

  • Anderson Costa

    Mário, “Segundo a empresa, um minuto de recarga é o suficiente para até uma hora de recarga”

    • Mario Nagano

      Ops, tem razão, falha nossa!

      O correto é “Segundo a empresa, um minuto de recarga é o suficiente para até uma hora de uso”

      Brigadão pelo toque Anderson. 🙂