ZTOP

Hands-on: BlackBerry Q10

O BlackBerry Q10 é o produto mais improvável que eu esperava ver aqui no Mobile World Congress 2013. Improvável? Sim: tem todos os novos recursos do sistema operacional BlackBerry 10, que são de certa forma impressionantes, e um teclado QWERTY integrado, o que não faz muito sentido no mundo atual com telas full touch com teclados preditivos. Mas para a BlackBerry faz.

Pegar um Q10 na mão é voltar ao passado glorioso da BlackBerry. Lembra do Bold, um modelo robusto, forte, com bateria que durava uma eternidade e um teclado ótimo? Tire o trackpad, insira uma tela sensível ao toque de 3,1 polegadas, pronto, você tem um Q10.

SONY DSC

E, bem, o teclado é aquele que sempre fez sucesso nos Blackberry: firme, suave, fácil de digitar com uma mão só.

Mas de novo: em tempos de teclados QWERTY virtuais (no Android, o Swiftkey é incrível, por exemplo) e com o próprio teclado virtual preditivo em vários idiomas do BB10, você se pergunta: precisa de teclado? O representante da BlackBerry me deu uma explicação simples: quem quer teclado físico não quer previsão de texto, mas sim escrever toda a palavra.

SONY DSC

O acabamento do Q10 é primoroso: a parte traseira é feita em fibra de carbono (esse modelo em demonstração era um protótipo ainda). Dá firmeza e estrutura forte ao aparelho.

SONY DSC

E de resto é um velho BlackBerry no visual e detalhes:SONY DSC SONY DSC SONY DSC

Com o grande fator adicional de vir com o novo sistema operacional e seus gestos e facilidade de uso.

SONY DSC SONY DSC SONY DSC

De qualquer modo, só devemos ver o Q10 no mercado brasileiro no segundo semestre ou depois até. O Z10, todo touch, chega ainda este semestre, e na imagem abaixo os dois – Q10 e Z10 – posam para a foto. Um detalhe que passou batido nas demos iniciais e que foi confirmado pela fabricante é o fato de poder usar os novos aparelhos “como pessoa física”, direto com seu plano de dados da operadora, sem necessitar dos planos especiais de acesso aos servidores da BlackBerry.

SONY DSC

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin