ZTOP

Google Street View

OK, eu comi bola nessa. Deixei de comentar sobre o recurso mais interessante que o Google mostrou ontem, o Street View. Talvez porque ele tenha sido mostrado só rapidamente durante a palestra do Maps, e quando cheguei em casa para fuçar o site não encontrei referência a ele na interface. Mas ele está lá, é só saber onde procurar, nesse caso em San Francisco, Nova Iorque, Las Vegas, Washington e Denver.

A idéia é MUITO interessante. Em qualquer uma destas cidades, aproxime o zoom o suficiente para ver o mapa das ruas. Você notará que algumas delas tem uma borda azul. Clique no botão Street View no canto superior direito do mapa e o í­cone de um bonequinho amarelo aparecerá no mapa. Arraste o bonequinho pra qualquer uma das ruas em azul e pronto! Você pode ver uma foto da rua, como se estivesse lá.

Na verdade, você não vê só uma foto da rua. O que o site mostra é um panorama VR em 360 graus, e há opção de vários ní­veis de zoom, o suficiente para ler placas nas calçadas. A qualidade das imagens varia um pouco, mas no geral é muito boa (as melhores estão em San Francisco). Elas são capturadas por uma van do próprio Google carregada com equipamento especializado.

Em breve este recurso também estará disponí­vel em outras cidades, mas não dá pra especular quando poderemos passear por uma São Paulo virtual sem sair da cadeira. Estimo que o Google vá focar em primeiro fotografar as principais cidades dos EUA, depois as grandes capitais mundiais, e só depois o resto do mundo.

O engraçado é que já tem gente reclamando do serviço. Por exemplo, uma matéria na seção de tecnologia do New York Times informa que uma moradora de um prédio em Oakland, na Califórnia, está pedindo ao Google que retire do serviço uma foto da fachada de seu prédio. Motivo? Dá pra ver o gato dela na foto, o que ela considera como “invasão de privacidade”. “O próximo passo é fotografar os livros na minha estante”, diz Mary Kalin-Casey, dona do gato.

Na verdade o Google não está fazendo nada de errado. As fotos foram tiradas em via pública, e mostram apenas o que qualquer pedestre ou motorista passando pelo local naquele momento veria. Não quer ser fotografada? Feche as janelas. Pessoas eternamente insatisfeitas e paranóicas estão em todo canto.

E enquanto alguns reclamam, outros se divertem. Uma página na Wired convida as pessoas a postarem links para as imagens mais interessantes (ou curiosas) encontradas no Google Maps e votarem em suas favoritas. Tem de tudo, de moças desinibidas tomando sol de biquini em um gramado ao que parece um “laser” queimando o chão e deixando um rastro de fumaça. Quem será o primeiro a encontrar o Elvis? 😛

  • Pric

    Então… sobre a questão de privacidade acho que algumas questões precisam ser colocadas…
    uma coisa é uma ou duas pessoas passarem na frente na minha casa e me virem dançando pelado na sala por alguns segundos…
    outra coisa é gravar uma imagem da cena, perpetuar esse momento e disponibilizá-las a, quem sabe, milhões de pessoas…
    Então… acho que no mínimo deva haver um debate sobre os limites do argumento “é uma imagem que qualquer pessoa na rua poderia ter visto portanto não é invasão de privacidade”… Creio que, como em qualquer veículo de massa, deva haver a permissão das pessoas para que imagens pessoais e particulares sejam difundidas pela net…
    Fico imaginando se é confortável para as “garotas desinibidas” flagradas nessas fotos, terem suas imagens exploradas à exaustão e colocando em risco sua privacidade após esse fato (visto que agora todos sabem onde elas moram e onde tomam sol)… talvez elas possam até perder seus empregos dependendo da repercussão…

    Então… acho que a questão é um pouco mais ampla… e o conceito de privacidade talvez tenha que ser revisto em função do avanço da tecnologia…

    Abraços,

    Ricardo