ZTOP

Review: Acer Aspire ES 14 Cloudbook

Testamos o Acer Aspire ES 14 Cloudbook, a resposta da Microsoft para o Chromebook do Google e disponível no Brasil.

Desde seu surgimento no início desta década, o Chromebook do Google chegou ao mercado com a proposta de oferecer uma plataforma de computação simples e acessível (pelo menos nos EUA) projetada para trabalhar essencialmente conectada na internet, local onde a maioria dos seus dados e aplicações ficam armazenadas.

Sob esse ponto de vista, ele não deixa de ser um “Thin Client” de uso genérico baseado em Linux — e o mais bem sucedido deles — diga-se de passagem.

Na época da chegada do Chromebook C710 da Acer no Brasil, fizemos uma análise mais detalhada do Chrome OS e ficamos particularmente impressionados com a sua facilidade de uso, manutenção simples e capacidade de reproduzir fielmente o ambiente de trabalho do navegador Chrome do PC, o que apresenta uma interessante proposta de valor para aqueles que utilizam intensivamente esse navegador web para suas atividades do dia a dia…

ChromeOS_Chrome_browser

… mas nem tanto na hora de trabalhar no modo offline já que sua capacidade de armazenamento local é bem limitada (algo como 16~32 GB) e a oferta de aplicações ainda é pequena se comparada com a do Windows. Fora isso, é sempre bom lembrar que ainda existem locais neste País de dimensões continentais onde o sinal de Internet mal chega.

ChromeOS_apps_nativas2

Sob esse ponto de vista, essa “limitação” do Chrome OS no modo offline é a abertura que a arqui-rival Microsoft resolveu explorar para combater a plataforma do Google com sua própria solução de “Thin Client” de uso genérico baseado em Linux Windows, batizada com o sugestivo nome de…

MS_Cloudbook

E o que é um Cloudbook? — Segundo o pessoal de Redmond, é uma plataforma móvel que oferece a experiência de uso do Windows 10 na sua totalidade, o que significa que o usuário não vai ver diferenças entre usar um desktop ou notebook de linha e o Cloudbook, incluindo a transição do modo on e offline.

Nesta chamada “experiência de uso” também acompanham o produto alguns programas consagrados como o navegador Microsoft Edge, aplicativos Office, o assistente pessoal Cortana (disponível em algumas geografias) e — é claro — total compatibilidade com periféricos como impressoras, discos externos, câmeras e outros dispositivos USB, além da possibilidade de instalar seus programas favoritos, desde que claro — caibam na sua memória interna — já que, como no concorrente do Google, a proposta é que a maioria dos arquivos pessoais sejam armazenados no One Drive, o serviço de armazenamento na nuvem da Microsoft.

Algumas idéias interessantes do Chromebook também foram adotadas pelo Cloudbook como, por exemplo, o modo de atualização de software sempre ativado.

Em relação à plataforma de hardware, a Microsoft especifica algumas características como Processador Intel Dual Core, 2 GB de RAM e 32 GB de SSD.

Ao ver acima a proposta, as especificações de hardware e o próprio slogan da Microsoft (“Enjoy a Great Experience online — and offline — with fast-starting Windows 10″) é difícil ignorar o fato de que esse produto nos parece ser um notebook de entrada com pouco pouquíssimo espaço em disco, e cujo principal atrativo na nossa atual conjuntura econômica nem é sua “grande experiência online — e offline” e sim o fato de ele ser barato.

De fato, já ouvimos de alguns integradores locais que a Microsoft até dá um desconto na licença do Windows 10 para Cloudbook. Porém o que notamos é que existem produtos no mercado cuja configuração é praticamente idêntica à de um Cloudbook mas não é promovido como tal.

Vai entender.

Mas voltando ao que nos interessa, o Acer Aspire ES 14 Cloudbook — ou mais exatamente o modelo ES1-431-C3W6 — é um modelo que difere da série One comercializada lá fora, o que nos leva a crer que a empresa optou por adaptar a mesma plataforma de hardware usada na sua série ES o que faz sentido se pensarmos em termos de racionalização da plataforma e redução dos custos de fabricação.

Acer_Cloudbook_ES14_overall

Disponível apenas na cor vermelha, o Cloudbook da Acer é dono de um visual simples e agradável que lembra um pouco a última geração de smartphones da Nokia pela maneira positiva com que eles utilizam o plástico no seu gabinete, não como um substituto barato para outros acabamentos mais nobres como metal…

Acer_Cloudbook_ES14_closed

… e sim como um material com personalidade própria que possui características bem interessantes, como cores diferenciadas, toque agradável e facilidade de limpeza. De fato, seu acabamento fosco com “furinhos” não escorrega e é resistente à marcas de dedos (yaaay!).

Observamos porém, que esse material é relativamente “macio”, de modo que o usuário ainda deve tomar o cuidado para que ele não fique marcado por riscos na sua superfície:

Acer_Cloudbook_ES14_textura2

Seu gabinete mede aproximadamente 34,6 x 2,5 x 24,8 cm (LxAxP fechado) e 2,1 kg de peso o que poderíamos até classificá-lo como um modelo leve e fino, porém não no nível dos atuais Ultrabooks. Note a alternância de tons vermelho por cima de uma base preta, tanto na tela quanto na sua base/teclado.

Acer_Cloudbook_ES14_perfil

A maioria das suas portas de entrada e saída se concentram do lado direito do portátil onde podemos ver (a partir da esquerda) a entrada de alimentação, a porta de rede Gigabit Ethernet, a porta de vídeo HDMI, uma USB 3.0, outra USB 2.0 e a porta que combina a entrada de microfone e a saída de som, como nos celulares. Internamente o sistema ainda conta com uma porta de rede Wi-Fi padrão 802.11 b/g/n, mas nenhuma interface bluetooth.

Acer_Cloudbook_ES14_portas

Na frente podemos ver o slot para cartão de memória padrão SD e à sua direita os LEDs de estado que indicam se o notebook está ligado e a condição da bateria.

Acer_Cloudbook_ES14_slot_SD

Ainda no lado direito, podemos ver o slot para encaixar dispositivo antifurto padrão Kensington e a saída do sistema de circulação de ar/cooler do portátil.

Acer_Cloudbook_ES14_kensington

Sua fonte de alimentação modelo AR0218 é do tipo bivolt com entrada de 100~240 volts AC e saída de 19 volts CC de 2,37 amperes:

Acer_Cloudbook_ES14_Fonte1

Como já dissemos antes, o teclado desse portátil adota o mesmo tom vermelho da tampa superior, o que contrasta bem com o seu teclado preto…

Acer_Cloudbook_ES14_overall

… tom também usado na moldura da tela LCD com resolução nativa de 1.366 x 768 pixels e retro-iluminação a LED, que também abriga a webcam com resolução HD. E antes que alguém pergunte — não, ela não possui interface de toque.

Acer_Cloudbook_ES14_tela2

Como era de se esperar, o teclado do Acer Cloudbook é simples e até que bem tradicional, já que não vemos “inovações” com teclas com letras em caixa baixa, teclas de função invertidas, retroiluminação, etc. Apesar disso, achamos o seu uso bastante agradável graças à maciez das suas teclas (de longo curso?) que não passa aquela sensação de estarmos batucando no portátil.

Acer_Cloudbook_ES14_teclado

Seu layout segue o padrão nacional ABNT-2 e a moda dos teclados “chiclete” com seus botões quadrados, planos e bem espaçados — ou quase — já que notamos que algumas teclas estão praticamente grudadas uma na outra, caso das teclas “]” e “Enter” no lado direito…

Acer_Cloudbook_ES14_teclado1

… e as teclad “Shift” e “\” no lado esquerdo:

Acer_Cloudbook_ES14_teclado2a

E porque isso acontece? Bom, acho que o meu palpite é tão bom quanto o seu.

O seu touchpad também segue a moda dos modelos sem teclas, onde a função de clique do mouse é obtido ao pressionar um dos os cantos da moldura. A vantagem dessa solução é que ganha-se espaço na área de toque, observe porém que alguns podem sentir falta dos botões de verdade, o que na minha opinião é uma questão de gosto pessoal.

Acer_Cloudbook_ES14_touchscreen

A direita do touchpad vemos a etiqueta de “auto-promoção” do produto, que descreve seus principais atrativos. O curioso é que ele não deixa claro que esse sistema é um Cloudbook.

Acer_Cloudbook_ES14_label

Segundo a especificação da Microsoft, o Cloudbook precisa vir equipado pelo menos com um processador Intel Dual Core…

Acer_Cloudbook_ES14_intel_selo

… sendo que o modelo analisado veio equipado com um processador Intel Celeron N3050 de 1,6~2,16 GHz + 2 MB de cache, que é na verdade um SoC dual core (sem HT) de 14 nm que faz parte da linha de produtos Braswell, que sucedeu o Bay Trail no ano passado.

Seus núcleos de processamento são baseados na microarquitetura Airmont que é uma versão menor e melhorada do Silvermont, principalmente no uso do Turbo Boost resultando assim num melhor desempenho geral.

Acer_Cloudbook_ES14_CPUZ

Sua aceleradora gráfica é  baseada na microarquitetura Gen8 da Intel que é a mesma usada nos chips Broadwell (como o HD Graphics 5300). Ele possui 12 unidades de execução (ou Shaders) e é compatível com é DirectX 11.2, aceleração de vídeo em 4K/H.265 e seu desempenho gráfico chega a ser superior ao do Bay Trail, mas isso não significa que ele é capaz de rodar os jogos em 3D mais recentes, o que — cá entre nós — nem é o foco desse produto. :-/

Acer_Cloudbook_ES14_GPUZ

A base do produto tem um layout até que bem limpo, habitado apena por algumas etiquetas de certificação, entradas de ar…

Acer_Cloudbook_ES14_base

… e é claro, o acesso à bateria que ainda pode ser liberada soltando-se uma trava com o auxílio de um objeto com ponta como uma caneta:

Acer_Cloudbook_ES14_bateria

A bateria em si é um modelo AL12A32 de 14,8 volts x 2.500 mAh/37 Wh equipado com 4 células de íon de litio e que — segundo a empresa — tem autonomia estimada de 5 horas de uso contínuo.

Acer_Cloudbook_ES14_bateria2

E por fazer parte da linha Aspire ES, esse Cloudbook  possui uma baia para gravador de DVD mas esse acessório não acompanha o produto, esse espaço é preenchido…

Acer_Cloudbook_ES14_baia_DVD

… por uma peça de plástico. Dai pode surgir a dúvida: Seria tecnicamente possível instalar um gravador de DVD de notebook, ou mesmo mais memória e disco nesse sistema e transformar esse Cloudbook num notebook de linha?

Acer_Cloudbook_ES14_baia_DVD2

Para descobrir isso nós removemos a tampa inferior desse portátil para dar uma olhada no seu circuito. E a primeira impressão que temos é uma certa sensação de vazio, o que não deixa de ser uma impressionante amostra de como a tecnologia — ainda impulsionada pela Lei de Moore — evoluiu nestes últimos anos.

Acer_Cloudbook_ES14_base_aberta1

Um bom exemplo é a própria placa-mãe que mal ocupa 1/3 da área disponível e mesmo assim, tem mais conectores soldados nela do que chips propriamente ditos:

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB1

Aqui podemos ver o sistema de circulação de ar + cooler do sistema…

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_Cooler2_leg

… sendo que este último nada mais é do que uma placa de metal que transfere o calor da CPU para a região da ventoinha. E com um TDP/SDP de apenas 6/4 watts respectivamente, a geração de calor é tão pouca que nem irradiador de calor ele tem na saída de ar.

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_Cooler

Aqui podemos ver o processador SoC Intel Celeron N3050 em todo o seu esplendor:

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_CPU

Logo acima dele, podemos ver o slot para pente de memória RAM ocupado com um módulo de 2 GB DDR3-1600 (ou PC3-12800). Segundo a Intel, o Celeron N3050 suporta até 8 GB de RAM e até onde sabemos, a plataforma Cloudbook especifica até 4 GB de RAM. Isso abre a possibilidade de que seria possível substituir (não adicionar!) esse módulo por outro de 4 GB, melhorando assim o seu desempenho geral.

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_RAM1

Já a direita do processador SoC, podemos ver o seu “disco SSD” ou mais exatamente um módulo de memória do tipo eMMC de 32 GB soldado diretamente na placa-mãe, ou seja, neste caso sem possibilidades de troca/upgrade (boo!)

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_Fash

Ainda mais a direita podemos ver um slot PCIe Mini ocupado pela interface Wi-Fi 802.11 b/g/n modelo QCNFA336 da Qualcomm Atheros:

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_WiFi_card

Aqui podemos ver as duas baias de periféricos, uma para o gravador de DVD outra para o disco rígido (HDD) de 2,5 polegadas:

Acer_Cloudbook_ES14_base_baias_leg1

O curioso é que o modelo analisado veio com o conector SATA para a unidade de disco óptico…

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_DVD_HD

…mas não do disco rígido. Com isso fica claro que, realmente não é possível instalar um disco a mais nesse portátil e pela ausência de componentes soldados ao redor do conector do gravador de DVD temos dúvidas se esse periférico também possa ser instalado, algo que poderia ser pesquisado por meio de tentativa e erro.

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_SATA_HD

Mas se você não tiver prática em mexer com hardware de PC, nossa recomendação é que você desista dessas alternativas e prefira adotar as opções externas com porta USB.

Fora isso, aqui temos as diversas portas de entrada/saída do portátil…

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_portas_leg

… e aqui o verdadeiro ponto de encaixe da trava antifurto padrão Kensington:

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_kensington

E finalmente aqui, a conexão da saída de som ligada aos alto-falantes internos:

Acer_Cloudbook_ES14_base_MB_falantes_leg

Com relação à sua plataforma de software…

Acer_Cloudbook_ES14_desktop

… o Cloudbook vem equipado com o Windows 10 Home de 64 bits …

Acer_Cloudbook_ES14_Win10_sistema1

… o que somado ao outros aplicativos e utilitários já pré-instalados de fábrica, faz com que restem aproximadamente 8 GB de memória livre no seu disco interno (eita!)

Acer_Cloudbook_ES14_Win10_disco_livre

Para nós, essa quantidade de memória é pouca — até para um smartphone de linha, diga-se de passagem — mas como no Chromebook, a proposta neste caso é que o usuário armazene seus dados não localmente e sim na nuvem. E para isso, o pessoal de Redmond oferece o serviço OneDrive. Mas como estamos de Windows, nada impede que o usuário utilize outro serviço de armazenamento, seja ele gratuito, pago ou até mesmo particular.

Acer_Cloudbook_ES14_Win10_Onedrive

De fato, a própria Acer possui seu próprio serviço de armazenamento na nuvem que faz parte de uma estratégia mais ampla batizada de BYOC, que é um ecossistema completo de produtos e serviços voltado tanto para usuários finais quanto para empresas e até desenvolvedores externos que podem oferecer e implementar suas próprias soluções.

Acer_Cloudbook_ES14_Acer_Cloud

No caso dos usuários finais, o BOYC  já oferece alguns aplicativos essenciais

Acer_Cloudbook_ES14_byoc_apps

… sendo o principal deles no nosso caso é o Portal Acer, que é um tipo de gerenciador de aplicações que dá acesso à outros produtos.

Acer_Cloudbook_ES14_ES4_Acer_Portal1

O interessante dessa solução é que os dados armazenados na nuvem da Acer e gerenciados por essas aplicações podem ser acessadas por outros dispositivos móveis como smartphones ou tablets com Android e iOS.

Porém, entre todos os atrativos do Cloudbook talvez o mais interessante é a oferta de um ano de assinatura grátis do MS Office 365 (~R$240 na lojinha da Microsoft) o que representa um valor bem razoável para um portátil na sua faixa de preço (~ R$ 1.700).

Acer_Cloudbook_ES14_Win10_Office_365

Gostaríamos que esse período fosse maior — digamos 2 ou até 3 anos — o que tornaria a proposta de valor do Cloudbook ainda mais atraente.

Devido às limitações de espaço de disco desse portátil, não pudemos rodar todos os testes que costumamos fazer num PC de linha. De qualquer modo conseguimos executar alguns deles como o PCMark 8 onde o Cloudbook bateu 1.658 pontos no modo Home accelerated…

Aspire_ES4_PCMark8_acc

588 (+/- 17) pontos no WebXPRT 2013

Aspire_ES4_HDxPRT_2013

… e 115 (+/- 5) pontos no WebXPRT 2015:

Aspire_ES4_HDxPRT_2015a

Já com o CrystalDiskMark pudemos avaliar o desempenho do seu disco SSD de 32 GB…

Aspire_ES4_crystal_diskmark

… e com o Battery Mark 1.1 o sistema manteve-se ativo por 9h30min no modo normal (não acelerado):

Aspire_ES4_BattMark_normal

Nossas conclusões:

O que esses números mostram é que o Acer Aspire ES 14 Cloudbook não é exatamente um equipamento voltado para desempenho (de fato ele nem tem memória e disco para isso). Porém, ele atende bem à necessidade daquelas pessoas que precisam de um notebook com Windows simples e acessível para aqueles que utilizam intensivamente o navegador web nas suas atividades do dia a dia.

Fora isso, não podemos ignorar o potencial desse equipamento em situações em que o portátil executa especificamente uma função ou tarefa, como por exemplo elaborar relatórios, coletar dados ou pedidos, monitorar um equipamento de diagnóstico, programas de treinamentos para escolas/comunidades etc.

Se comparado com o Chromebook, vemos vantagens do Cloudbook na flexibilidade da plataforma, oferta de programas e principalmente na compatibilidade com dispositivos externos (como discos e impressoras) sejam eles novos ou legados.

Vale a pena ressaltar que devido ao uso do Windows, é mais fácil conectar o Cloudbook numa rede 3G ou 4G/LTE por meio de um adaptador USB. Algo que é bem mais complicado no Chromebook apesar deste poder se conectar por meio de um smartphone com recurso de roteador/tethering ou mesmo de um roteador portátil como o D-Link 506L.

Observamos porém que achamos que o gerenciador de perfis de usuários (incluindo o genial perfil temporário ou “guest”) e o sistema de atualização do Chromebook ser bem mais versátil (ou pelo menos mais amigável e/ou menos exotérico) que a do pessoal de Redmond. Apesar disso, é sempre bom relembrar que o usuário só pode tirar o máximo proveito do Chromebook se o mesmo estiver ligado numa conexão de banda larga, seja ela com ou sem fio. Apesar de todo o esforço do Google em melhorar a experiência de uso offline, ela ainda é modesta se comparado com os sistemas da Microsoft e Apple.

No final das contas, vale a pena investir num Cloudbook?

Difícil dizer, já que por uns R$ 400~500 a mais é possível adquirir o modelo Aspire ES 14 modelo ES1-431-P0V7 equipado com um processador melhor (Pentium N3700 quad-core 1,60~2,4 GHz, ), 4 GB de RAM e 500 GB de disco. Só que neste caso ele não vem com a oferta de um ano de Office 365.

Sob esse ponto de vista, o Cloudbook é sim um produto diferenciado, mas não tanto ao ponto dele ser muito diferente de um notebook de entrada. Assim nossa recomendação é que o usuário avalie bem suas necessidades antes de optar ou não por esse produto.

De minha parte, é o notebook que compraria para a minha mãe. 🙂

Resumo: Acer Aspire ES 14 Cloudbook (modeloES1-431-C3W6)

O que é isso? Notebook de uso geral voltado para uso on-line (e off-line)
O que é legal? Boa apresentação e acabamento, Windows 10 Home e um ano de Office 365 incluso no preço.
O que é imoral? Não é indicado para tarefas de processamento intensivo. Apenas 32 GB de disco SSD, sendo apenas 8 GB livres para o usuário.
O que mais? Disponível em qualquer cor, contanto que seja vermelho.
Avaliação: 7,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 1.699 (no varejo R$ 1.499)
Onde encontrar: Acer Store

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Infelizmente esse produto se mata pelo preço pouco competitivo. O peso também não se justifica pela presença de um soc que demanda menos espaço e conteúdo que um processador convencional. Se fosse por 999 reais poderia ser considerado ainda, mas por esse preço é melhor comprar um portátil convencional com um pentium dual core ou a solução equivalente da AMD, podendo pagar ainda menos do que esse simulacro de notebook.

    • Adriano De Lima

      Talvez se viesse a R$999,99…

  • Sandro De Jesus Soares

    Não sei se estou ficando muito velho ou se as notícias de 30 linhas não estão mesmo suprindo meu interesse por informação, só sei que cada vez me identifico mais com o Ztop e sua maneira cheia e completa de se fazer artigos e análises. Espero que continuem assim, pois o brasileiro comum se acostumou com vídeos de 2 minutos e manchetes sensacionalistas para artigos curtos e desinteressantes, mas o verdadeiro geek não sei contenta com pouco! Parabéns!

  • Sandro De Jesus Soares

    Não sei se estou ficando muito velho ou se as notícias de 30 linhas não estão mesmo suprindo meu interesse por informação, só sei que cada vez me identifico mais com o Ztop e sua maneira cheia e completa de fazer artigos e análises. Espero que continuem assim, pois o brasileiro comum se acostumou com vídeos de 2 minutos e manchetes sensacionalistas para artigos curtos e desinteressantes, mas o verdadeiro geek não se contenta com pouco! Parabéns!

    • Alexandre Fabian

      Ztop é um oasis de boa informação.
      Maioria dos outros sites copia post gringo ou press release e acha que isso é matéria.
      Parabains 😀

    • Adriano De Lima

      ZTop é amor.

    • Hugo Leonardo

      Concordo integralmente com você, Sandro.

    • comentário perfeito.
      A geração tuiter acha que pode se informar apenas com o título da matéria

  • Luis Fernando Consulo Martins

    [Pergunta idiota} Tem alguma diferença entre o windows “convencional” e o adotado por ele? Pergunto isso porque gostaria de saber se têm como executar qualquer programa compatível com o Windows.

    • Alexandre Fabian

      Boa pergunta…. Pelo que andei vendo por aí não existe diferença… Problema é a falta de espaço, já que com 8GB disponíveis no SSD fica difícil de executar “qualquer” programa….

    • Mario Nagano

      Até onde conseguimos levantar no mercado, nos parece ser a versão “full” do home de 64 bits.

  • Douwe

    Quanto mais vejo esses “netbooks bombados” por esses preços mais amo meu velho Acer Aspire V5-471 Core i5 6GB RAM e 500GB HD, que comprei dois anos e meio atrás por R$1699 em uma promoção do Extra. Funciona liso, sem travamentos e sem problemas como se fosse novo, espero que dure mais uns bons anos assim, a única coisa que está indo pro saco é a bateria mas nada que o Mercado Livre e 150 reais não resolvam.

  • Pesado: 2.1kg num netbook sem storage?
    Carregador grande?: Não foi possível determinar o tamanho do carregador, mas um SOC precisa de tanta potência que não poderia ser substituída por um carregador semelhante a um smartphone, fonte de roteador ou Asus EEE?
    Baia de DVD: consegui trocar o DVD em um antigo Vostro que comprei (intel i5 3a. geração), instalando um HD como storage (1Tb), deixando o sistema num SSD.
    Acho que é algo a se tentar instalar um HD nessa porta, deixando ele pros arquivos.
    R$1.700?: Caro. Existem opções melhores pra Windows. tinha um MacBook Air na época do Win7 e considerava o melhor notebook pra tal sistema – até trocar por um Surface Pro 1 (Core i5 3rd gen, 128Gb RAM4Gb – encontrei a maquina perfeita. Ainda mais quando descobri que posso usar a caneta do N8000 da Samsung (Galaxy Note 10.1), pois as telas usam a mesma digitalizadora Wacon.

    • Mario Nagano

      OK, vamos por partes:

      Quando conversei com o pessoal da Acer sobre a estratégia do Cloudbook, o que o meu radarzinho de jornalista sentiu é que eles não estavam totalmente convencidos de que esse produto poderia emplacar por aqui, de modo que eles preferiram não se arriscar — ou seja — ao invés de trazer um hardware sob media para o Cloudbook (leve, fino e enxuto) eles preferiram pegar um notebook de linha, simplificaram a plataforma e dai surgiu o Acer Aspire ES 14 Cloudbook!

      E a partir do resultado das vendas, pode ser que o seu sucessor possa ser uma versão mais otimizada e sem espaço para o CD-ROM e disco, o que resultaria num portátil bem mais leve e fino.

      • Valeu pela outra perspectiva.
        A Zumo caverna vai testar essa conexão SATA?

        • Mario Nagano

          Nope. Ela já tinha ido embora quando pensei nisso. 😛

  • evefavretto

    Acho que com um daqueles caddys dê pra instalar um disco interno nesse conector SATA interno, seja um HD ou SSD. Até acho que pelo espaço ao redor, um disco de 2.5″ encaixe diretamente no conector, mas aí sem ter como fixar ele.

    Btw: Chromebooks são compatíveis com modems 3/4G da Huawei, de acordo com a página de suporte do Google. Pelo menos no Cloudready, meus modems velhos da Huawei funcionaram sem problemas.

  • Leandro F. Silveira

    jesuis, me lembrou aqueles primeiros netbooks trevosos de 2009. como eram feios…